Posts em destaque

Livros lidos em 2016

Olá, pessoal! Nossa retrospectiva continua firme e forte e chegou a hora de falar sobre uma das coisas que eu mais gosto no mundo: livros. Uma das minhas metas de 2016 era ler mais livros do que ano passado. Li 14 livros em 2015 (confira aqui a lista completa) e, neste ano, foram 15 títulos lidos, oba! Missão dada é missão cumprida rs!

 

sem-titulo

Confesso que alguns demoram mais e, em alguns momentos, eu precisei correr contra o tempo, mas no fim deu tudo certo. Aproveitei para gravar um vídeo falando sobre cada livro e, no final, conto qual foi meu favorito do ano. É só dar play e assistir:

Livros lidos neste ano por ordem de leitura

– A Mulher Que Roubou Minha Vida (Marian Keyes)

– Joyland (Stephen King)

– P.S. Ainda Amo Você (Jenny Han)

– Depois de Você (Jojo Moyes) *Continuação de Como Eu Era Antes de Você

– Corra, Abby, Corra (Jane Costello)

– Uma Carta de Amor (Nicholas Sparks)

– Um Presente da Tiffany (Melissa Hill)

– A História de Nós Dois (Dani Atkins)

– Wicked (Gregory Maguire)

– Uma Pitada de Amor (Katie Fforde)

– Uma Noite com Audrey Hepburn (Lucy Holliday)

– É Do Babado (Evelyn Regly)

– Becky Bloom ao Resgate (Sophie Kinsella)

– O Pulo da Gata (Fernanda França)

– Dez Coisas que aprendi sobre o amor (Sarah Butler)

 

E você, quais livros leu neste ano? Conta para mim aqui nos comentários, vou amar ler também!

Um beijo e até o próximo post!

[Resenha] Joyland – Stephen King

Sou completamente louca por livros de mulherzinha, mas fiquei alucinada por Joyland, típico do gênero terror/suspense, antes mesmo de terminar de ler. Isso aconteceu lá em julho do ano passado, quando eu o avistei na prateleira de uma livraria. Peguei por curiosidade e logo de cara descobri que a história se passaria em um parque de diversão. E quem me conhece sabe que eu estou próxima dos 30, mas continuo apaixonada por parques de diversão.

Mas tem outro motivo que me fez amar este livro de cara: aconteceu um assassinato no trem fantasma e rola uma lenda de que o fantasma da garota morta ronda a atração. Assim como eu amo parques de diversões, eu tenho verdadeiro PAVOR de trem fantasmas. Juro, tenho muito medo e nem me arrisco a passar perto mesmo sabendo que são bonecos, que é tudo mentira e tal. Pronto, taí minha explicação de felicidade quando cheguei perto do livro.

ff66f-joyland-stephen-king-suma-de-letras

Apesar de tudo isso, passei meses esperando por ter um exemplar para chamar de meu. Sabem como é, tenho sempre aquela pilha enorme de livros para ler, vivo tentando economizar o que posso e aí só fui ganhar o livro de presente de amigo secreto. Naquela altura, estava lendo um livro enorme e corri para terminar logo, assim conseguiria pegar este aqui. E, olhem, como valeu a pena esse tempo de espera!

A história gira em torno de Devin, um rapaz de 21 anos que resolve trabalhar no parque Joyland durante o verão na década de 70. Sabe aquele clima de parque de praia? Então! É tudo muito gostoso, mas aí ele descobre o tal do assassinato e resolve que também quer ver a fantasma.

Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer. Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado

Autor da obra, Stephen King escreveu outros clássicos do medo, como O Iluminado e It (aquele do palhaço assustador). Eu nunca tinha lido nada dele porque achava que morreria de medo, mas a verdade é que Joyland não dá medo. Ok, em algumas noites eu terminava de ler e corria para a cama (de luz acesa) com medo de ver a fantasma. Mas não tem susto, figuras horríveis nem nada disso. Tudo bem no clima do suspense!

Joyland foi um descoberta deliciosa, muito bem escrita e que me prendeu do início ao fim. Recomendo para todo mundo que adora parques de diversão, já que a gente se imagina dentro do parque, e para quem curte tramas de suspense com pegada policial. Aliás, o fim tem todo aquele clima de “quem matou?” e eu acabei surpreendida.

Falei mais sobre o livro lá no canal do blog no Youtube:

Espero que gostem porque eu AMEI!

Um beijo e até o próximo post!

Avaliação: ♥♥♥♥♥

Top 5: Especial Halloween – Os filmes de terror mais assustadores de todos os tempos

Outubro chegou ao fim e sabe o que isso significa? Que é hora de comemorarmos o Halloween, o famoso dia das bruxas. Como não temos o costume de sair por aí fantasiadas, como acontece em outros países, o jeito é chamar os amigos e colocar um filme bem macabro para assistir. Para te ajudar na missão, selecionei uma lista com os longas mais assustadores que já foram feitos. Alguns entraram por serem clássicos e outros por terem me deixado com medinho (e olha que eu já vi muito filme de terror por aí). Quer saber quais são? Então vamos lá:

O Exorcista

image1 (3)

Não dá para falar de filme de terror sem pensar nele. Considerada a obra cinematográfica mais perturbadora do mundo, deixou muita gente sem dormir por dias. Em 1973, quando foi lançado, não se falava tanto de exorcismo e não existiam muitos efeitos especiais. Então dá para imaginar o choque que foi ver a cabeça de uma menina girar 360 graus ou então essa mesma garota descer uma escada deitada e de cabeça para baixo. Minha febre for filmes de terror começou quando eu tinha 11 anos, mas lembro de ter demorado um ano para ver O Exorcista por achar que ficaria com medo. Quando finalmente tomei coragem, dei tanta risada que eu mesma me surpreendi. Mas vale por ser um clássico e por ter servido de inspiração para muitos filmes do gênero.

O Exorcismo de Emily Rose

image2

Esse é um dos casos de filmes que pegaram carona em O Exorcista. Mas, ao contrário da maioria, que é bem ruim, esse é bom. Com surtos de epilepsia, psicose e esquizofrenia, Emily Rose recebe um tratamento médico que não dá efeito e resolve consultar um padre que acredita que sua doença é sobrenatural. O problema é que ela morre e o padre é então processado. É aí que a história começa e se concentra na advogada de defesa, que reconstitui em sua mente as situações vividas pela jovem. Vi no cinema, no final de 2005, e fiquei um pouco impressionada. Toda vez que as cenas voltavam para a Emily, já ficava apreensiva. Mas o que mais me deixou encucada é que eles dizem no filme que o demônio se manifesta sempre às três horas da madrugada e era justamente nesse horário que a garota e a advogada acordavam (e eu também, logo depois de assistir). Outro ponto que merece destaque é que a Emily é interpretada pela Jennifer Carpenter, que mais tarde faria a Deb da série Dexter – minha personagem favorita de todos os tempos.

O Iluminado

image3

Outro clássico que não poderia ficar de fora desta lista. Baseado no livro homônimo de Stephen King (o rei dos livros de terror), deixou muita gente assustada antes mesmo de estrear. O trailer não contava a história, mostrava apenas um elevador, cujas portas se abriam e derrubavam uma quantidade enorme de sangue. Apesar disso, o filme não tem monstros e demônios e foca na família de Jack Torrance, um escritor que aceita um emprego de zelador em um hotel fora de temporada. Só que esse hotel fica no meio do nada e coisas muito estranhas começam a acontecer. Jack, vivido por Jack Nicholson, passa a se comportar de uma maneira esquisita e sofre de alucinações. O resto já dá para imaginar. É um filme bem longo, tem mais de duas horas de duração, e pode até parecer cansativo. Mas vale muito a pena!

It

image5

Como falei antes, eu já vi muito filme de terror. Tanto que já me acostumei e é difícil sentir medo ou tomar susto. Então, quando fico apavorada, é porque o longa é realmente assustador. Caso de It, chamado em português de Uma Obra-Prima do Medo. Esse é aquele famoso filme do palhaço assassino de crianças. O filme é dividido em duas partes. Na primeira, uma turma de adolescentes vive em uma cidade pequena e começa a ser perseguida por um ser bizarro vestido de palhaço com dentes pontudos e sujos. Ele interage com as crianças ao sair de bueiros, de ralos de pia e até mesmo de álbuns de fotografia. Após alguns acontecimentos estranhos, eles resolvem se mudar. Na segunda parte, eles já estão adultos e resolver voltar à cidade porque um dos amigos morreu de forma misteriosa. Vi uma vez e nunca mais tive coragem de rever. Foi por causa dele que eu passei a ter medo de palhaços. Gostou? Então aproveita para ler o livro que originou o filme, também escrito por Stephen King, que acabou de ser relançado.

Atividade Paranormal

image4

Em meados de 2009, não se falava sobre outra coisa. Um grupo de pessoas foi chamado para ver um filme sobre espíritos e uma câmera registrou todas as reações, que incluía olhos arregalados, gritos e muitos sustos. Essas imagens foram promovidas para lançar Atividade Paranormal e ajudaram a fazer com que fosse visto por muita gente. A história gira em torno de um casal que acredita ser atormentado por forças do mal. É quando eles decidem comprar uma câmera para registrar o que acontecia quando eles estavam dormindo. A sinopse é bem besta e o filme, de certo modo, também. Mas algumas cenas impressionam no momento em que são vistas e até dão uns sustinhos. O filme foi bem original na época e rendeu várias continuações, mas eu recomendo apenas o primeiro.

Menção honrosa: Drácula de Bram Stoker

image6

Mais um daqueles que me dão medo até hoje, apesar de não ser propriamente um filme de terror. Acontece que eu estava com a minha mãe quando ela foi ver essa história no cinema. Era 1992 e eu tinha apenas quatro anos, então fui na sala ao lado com a minha avó assistir Branca de Neve. Quando a gente saiu, minha mãe já estava esperando por nós, sendo que o filme dela durava bem mais que o nosso. Aí ela explicou que a sala dela pegou fogo (sim!!!) e que eles tiveram que cancelar a sessão. Imaginem uma criança pequena ouvindo isso. Era o que faltava para eu ficar impressionada e achar que o filme era do mal. Aí, quando começou minha febre por filmes de terror, resolvi assistir um trecho em que uma mulher vestida de noiva vira vampira e fiquei com medo. Foi só com 15 ou 16 anos que eu tive coragem de ver inteiro. O problema são as cenas em que o Conde Drácula aparece como vampiro, escalando paredes ou afiando suas unhas nojentas. Tenho pavor só de pensar em ver de novo, mas é um filme bem propício para o Halloween.