Posts em destaque

Como aproveitar o Guarujá em casal

Olá, pessoal! Como a maioria já sabe, o litoral paulista é um dos principais destinos que vem à mente dos casais da Grande São Paulo e até mesmo de outras regiões quando se pensa em tirar um descanso no feriado, férias ou final de semana, principalmente nas épocas do ano em que sabemos que podemos contar com muitos dias de sol e calor. Entre as mais procuradas, a cidade de Guarujá ainda é uma das queridinhas dos casais que buscam conforto, preço justo e, claro, belas praias e pontos turísticos variados. Se você ainda acha que Guarujá é só um destino de praia, venha conhecer os muitos atrativos e dicas da “Pérola do Atlântico” para curtir com o seu amor!

praiaguarujacasal

Para começar, nada melhor para um casal do que um lugar aconchegante para se hospedar, certo? Guarujá possui uma grande quantidade de hotéis e pousadas, então não será difícil achar algum que agrade o gosto do casal. Para aqueles que curtem um clima romântico e querem aproveitar o espaço do hotel também, mas sem gastar muito, o Hotel Vicino al Mare – como já diz o nome em italiano, “perto do mar” – está bem de frente à praia, conta com serviços de massagem e o melhor: piscina aquecida com visão para o mar. E para aqueles que procuram algo mais sofisticado, o Casa Grande Hotel Resort & Spa e o famoso Sofitel Jequitimar são ótimas recomendações, pois ambos estão próximos da praia, possuem academia, piscina coberta e ao ar livre e restaurantes próprios, dentro do hotel.

As praias do Guarujá são consideradas as mais belas e ideais para banho de todo o litoral paulista. Além da incrível cor da água, a maioria conta com largas faixas de areia e bastante infraestrutura, como quiosques e ciclovias para andar de bike, patins ou apenas para caminhar, sem contar os muitos coqueiros que fazem das paisagens ainda mais espetaculares. À noite, todas são muito bem iluminadas e agitadas, reunindo todo tipo de público. Aos casais que curtem praias mais cheias, a Praia da Enseada com certeza deve entrar para a programação. Já se estiverem mais a fim de um lugar tranquilo, a Praia do Éden irá atender às suas expectativas, pois é mais distante e de acesso apenas por trilha, o que ainda conserva a sua beleza mais selvagem.

Um dos pontos turísticos que marcam a cidade certamente é o Aquário Acqua Mundo, o maior da América Latina. Não podemos negar que esse tipo de atração chama atenção de pessoas de todas as idades, então se estiverem sem saber o que fazer no período da tarde, não deixem de visitar esse local que abriga mais de 3 mil espécies de animais aquáticos e garante a satisfação de todos os seus visitantes. Se os dois forem corajosos, por que não mergulhar juntinhos num tanque cheio de tubarões e arraias? Sim, isso é possível no Acqua Mundo. O tanque “Oceano” foi feito exatamente para isso, é adrenalina garantida!

morrodo maluf casal

Se quiserem ter uma vista espetacular do oceano de diversos pontos e tirar muitas fotos como recordação desses momentos, poderão usufruir dos 6 mirantes espalhados pela cidade. Os mais concorridos são o Mirante da Gávea e o Mirante do Maluf, ambos próximos ao centro. Além de poder sentar para conversar e apreciar a vista, terão também a oportunidade de praticar esportes radicais, como escalada e rapel. E é claro que todo casal irá querer curtir o pôr do sol juntinho! Para isso, o melhor lugar é o Costão das Tartarugas.

Por fim, durante os dias de descanso, poderão encontrar os mais variados tipos de restaurantes, desde os mais simples e populares até os mais sofisticados e famosos. A estrutura gastronômica da cidade puxa bastante o estilo de São Paulo, ou seja, cozinha não só brasileira, mas de diversos países. Os frutos do mar, no entanto, ainda são os mais procurados pelos turistas. Dois dos restaurantes mais recomendados pelos casais são o Bistrô Saint Malo, de culinária francesa e ambiente aconchegante, e o Atlântico Frutos do Mar, que traz referências da culinária portuguesa e possui mesas com vistas privilegiadas da Praia da Enseada.

No site do Roteiro de Turismo você encontra mais dicas sobre pousadas no Guarujá acesse http://www.roteirodeturismo.com.br/hoteis-e-pousadas/sao-paulo/guaruja/

 

E aí, o que acharam das dicas? Já conhecem as atrações do Guarujá?

Um beijo e até o próximo post!

*publipost

Vlog: Fim de semana no Rio de Janeiro

Passei o último fim de semana no Rio de Janeiro e aproveitei para matar a saudade do meu pai, da minha irmã de 9 anos e de toda a minha família que mora lá. Na verdade, a intenção da viagem era entregar os presentinhos que eu comprei pra eles lá em Nova York, destino que visitei nas minhas férias. Mas aí aproveitamos para passear, assistir ao filme Procurando Dory, gravar vídeos e… FAZER VLOG!!!

Espero que gostem (e se derretam pela minha irmã, que roubou a cena):

 

Um beijo e até o próximo post!

O que eu fiz em Nova York

Não sei vocês, mas eu amo viajar! Adoro pesquisar o destino da vez, a melhor época para visitar, o que fazer por lá, visitar sites, entrar em grupos do Facebook especializados no local e por aí vai. Tenho férias uma vez por ano, assim como muitas de vocês, e, desta vez, escolhi ir para Nova York. Foi a minha terceira vez por lá e, acreditem em mim, ainda sobrou coisa para fazer. Pois é, dá pra passar 15 dias tranquilamente do tanto de coisa legal que tem para fazer.

Por isso, se você nunca foi para lá e sonha em realizar esta vontade, vai precisar passar pelo combo de programações voltadas para turistas de primeira viagem. Isso inclui os museus (especialmente o Metropolitan e o de História Natural), o Empire State Building, o Rockefeller Center, a Estátua da Liberdade e tantos outros. Como já tinha feito muitas dessas coisas da última vez que fui, aproveitei para incluir outros passeios. A intenção deste post é justamente essa: mostrar o que fazer em Nova York, só que fora do óbvio. Vamos conhecer?

 

Andei pela 5ª avenida

 

Sim, amigas, passear pela avenida mais luxuosa do mundo é um dos meus programas favoritos em Nova York. Fui para lá logo que cheguei e nossa intenção era ir no Eataly. Problema: nenhum de nós tinha ido lá e não fazíamos ideia de que o lugar era no final da avenida. Ou seja, foi um verdadeiro passeio porque acabamos caminhando por todos os quarteirões. E como é gostoso, viu gente? A cada passo, víamos uma loja bacana. E depois de comer um pratão de massa (eu escolhi um nhoque mara de batata), voltamos e paramos nas tais lojas.

Estava muuuito frio nos primeiros dias da viagem

Estava muuuito frio nos primeiros dias da viagem

 

 

Andei de metrô

Parece besta, mas eu sempre tive vontade de andar de metrô em Nova York. É meio coisa de filme, em que a gente vê os personagens se esbarrando na plataforma ou subindo as escadinhas das estações. É fácil andar a pé em Manhattan, mas nós estávamos no Brooklyn e precisávamos atravessar o rio todos os dias. Baixamos um aplicativo sucesso que nos ajudou muito a pegar os trens (são várias linhas e facinho de ficar perdido). Tomamos alguns olés, claro, mas eu me diverti muito. Aviso: nem pense em andar de carro ou de táxi. O trânsito de NY é pior do que o de São Paulo. Falando sério!

 

Comi na Magnolia Bakery

Não foi bem uma novidade. Conheci a Magnolia Bakery da outra vez que fui para Nova York, em 2011. Naquela época, ficamos na fila (era época de Natal, então NY fica uma loucura!), eu não fazia ideia do que pedir e a atendente me sugeriu o Red Velvet Cheesecake. Foi amor à primeira vista e eu nunca mais comi nada igual nessa vida. Pois bem, matei minha vontade logo no primeiro dia. Esse docinho aqui da foto abaixo era tipo um macaron (de red velvet, óbvio), mas eu levei o cheesecake para viagem para comer no hotel e, dois dias depois, fui na loja de novo. Isso é o que chamamos de vício, minha gente!

IMG_9767[1]

Magnolia Bakery + Red Velvet = amor!

Visitei a Estátua da Liberdade e a Ellis Island

Sei bem o que vocês estão pensando: “Ué, você não disse que a Estátua da Liberdade era passeio de quem conhece NY pela primeira vez?”. Acontece que eu nunca tinha ido lá (da primeira vez estava fechado por causa de nevasca e, da segunda, não deu tempo) e eu cismei que não ia embora sem riscar esse programa da lista. Fomos no segundo dia e era um friiiio de doer os ossos (com chuva fininha, para piorar). De quebra, fui na Ellis Island, ilha conhecida por receber os imigrantes que chegavam nos Estados Unidos. Valeu a pena porque foi lindo!

 

Assisti a dois musicais da Broadway

Amo musicais e poderia passar dias vendo os espetáculos da Broadway, Era algo que eu fazia questão (e vou continuar fazendo das próximas vezes que for) e, desta vez, escolhi Wicked e Aladdin. Para quem não sabe, Wicked conta a história da bruxa má do Mágico de Oz e está em cartaz aqui em São Paulo, mas eu queria muito ver o original por causa da música Defying Gravity, que eu amo. Amei demais o musical e arrisco dizer que foi um dos mais lindos que eu já vi. Aladdin é bem a cara da Disney mesmo com todas as músicas do desenho e mais algumas. Ótimo para dar risada com o Gênio. 

IMG_9809[1]

“It’s time to try defying gravity…”

Comi no Shake Shack

Amo hambúrguer, batata frita e refrigerante, então não passo vontade alguma quando estou nos Estados Unidos. Muita gente me falava sobre o cheeseburger do Shake Shack e eu estava doida para saber se era bom mesmo. Enfrentamos chuva e frio e quebramos a cabeça para tentar entender como chegar, mas conseguimos pedir e… É MARAVILHOSO! Com certeza é um dos melhores que já comi. A paixão foi tanta que a gente repetiu o cardápio alguns dias depois, no outlet de Woodbury (um dos maiores dos Estados Unidos). O que não foi legal: minha bolsa bateu sem querer no copo de água de um cara e molhou tudo, inclusive ele. Acontece né?

 

Andei de bondinho até a Roosevelt Island Tramway

Essa dica eu peguei no site Loving New YorkLá, eles falavam sobre um bondinho que subia a vários e vários metros de altura e fazia a ligação de Manhattan até a ilha Roosevelt, que, até então, eu nem sabia que existia. Falou em subir bem alto é comigo mesmo, então queria muito fazer esse passeio. Precisei convencer minha mãe e meu padrasto a irem comigo e aguentei os dois dizendo o tempo todo que nunca souberam de teleférico ou bodinho em Nova York, mas nós chegamos lá e foi um dos pontos altos da viagem. O dia estava lindo, então a vista lá do alto foi algo indescritível. Quando chegamos em Roosevelt, aproveitamos para deitar na grama de um parque que tinha por lá. Imperdível!

IMG_9971[1]

Olha eu aqui gravando vlog para vocês lá do alto

Dei um rolê pelo Brooklyn

A ponte do Brooklyn é um dos cartões-postais mais famosos de Nova York, mas eu só tinha visto de longe. Cruzá-la a pé era outro passeio que eu fazia questão e nós fomos no nosso último dia, em um clima meio que de despedida. Acabamos andando bastante para chegar na ponte, mas tem uma estação do metrô bem pertinho. A ponte é bem longa, mas a gente nem percebe porque se diverte tirando fotos a cada dois segundos. Fora a vista dos prédios altos de Manhattan, que é linda demais! E aí aproveitamos para passear pelo Brooklyn, que é bem bonito! Eu amei ficar sentadinha nos bancos do bairro Brooklyn Heights e ver a cidade do outro lado do rio.

 

Fui para outros estados

Quem me conhece sabe que eu tenho o sonho de conhecer todos os estados norte-americanos. Tenho até um mapa dos Estados Unidos aqui em casa e sempre volto das viagens feliz porque posso colocar tachinhas nos locais visitados. Pois bem, como já tínhamos ido para Nova York outras vezes, decidimos passar alguns dias em New Jersey. E nossa, gente, que surpresa boa! Enquanto NY é pura agitação (a gente andava umas 12 horas por dia), NJ é calminha e tem todas as lojas que a gente ama a preços bem mais baixos. Tem menos gente, os shoppings são maravilhosos e a natureza abundante é algo espetacular. Acabou que sobrou tempo para conhecermos Filadélfia, o que também acabou se revelando uma surpresa. Mais duas tachinhas para o meu mapa!

13221757_10153501807511434_8900271879383488207_n (1)

Essas escadas são as que aparecem no filme Rocky

 

Me joguei no Six Flags

Sou doida por parques de diversão e sempre morri de vontade de ir nos parques do Six Flags, conhecidos pela quantidade absurda de montanhas russas. Parte do meu desejo de ficar alguns dias em New Jersey era por causa do Six Flags Great Adventure, que fica na cidade de Jackson. Queria me divertir, claro, mas sonhava em andar na montanha russa mais alta do mundo, a Kingda Ka, que fica nesse parque. Só tínhamos um dia para ir e a previsão era de chuva. Fui rezando para que nada me impedisse de andar na primeira fila da Kingda Ka e realizar um dos meus grandes sonhos. Foi o minuto mais incrível da minha vida e, logo depois, começou a chover. Era pra ser!

 

Tem mais um monte de coisa que eu fiz por lá, mas esses aqui foram os destaques. Ah, se você quiser saber mais sobre dicas de passeios, é só assistir a minha séries de vlogs no Yotube clicando aqui!

Um beijo e até o próximo post!

5 Destinos para conhecer no inverno

schneemannbauen_familie_hartkaiser_1

Julho chegou e muitas pessoas aproveitam o mês para tirar férias. Isso porque as escolas param e alguns pais levam seus filhos para passear. Quando somos crianças, é uma maravilha ter 30 dias de folga, mas depois a gente cresce e passa a dar muito mais valor para as tão sonhadas férias. Por isso, a dica é planejar o roteiro com muita atenção para não deixar nenhum detalhe de fora.

A principal dúvida é a escolha do destino. Afinal, o mundo é cheio de lugares lindos e fica difícil saber qual deles visitar. Para ajudar na missão, preparei um guia com cinco opções para aproveitar o friozinho com toda a família. Vamos lá?

Bariloche

bar1

Localizada na Argentina, é a pedida ideal para quem procura um local com muita neve. Acho que as paisagens ficam tão lindas quando estão branquinhas, não acham? Por mais gelada que sejam, as famosas montanhas de Bariloche são muito visitadas no inverno por famílias que querem se arriscar nos esportes típicos da estação, como esqui e snowboard. O melhor de tudo? Nem precisa sair do continente para chegar. Bastam algumas horas de avião para aterrissar.

Santiago

slide1

Ainda na América do Sul, um dos melhores destinos para visitar nesta época é a capital do Chile. Com muito verde, tem um quê de Europa e diversos passeios. Além dos parques com vistas incríveis, oferece passeios a vinícolas que são indispensáveis para quem gosta de tomar uma taça de vinho no inverno. Turistas que pisam lá pela primeira vez normalmente reservam um dia para conhecer as cidades vizinhas. E, por fim, Santiago tem shoppings imensos e perfeitos para fazer compras. E digo por experiência, viu? Fui para lá duas vezes e sempre recomendo.

Nova York

Top-10-Free-Things-To-Do-In-New-York-City-This-Summer1

Todo mundo sabe que as estações no hemisfério norte são ao contrário das nossas. Ou seja, enquanto estamos no inverno, eles estão no verão. Por isso, quem sonha em ver Nova York coberta de neve deve embarcar entre os meses de dezembro e fevereiro. Vale a pena esperar porque a metrópole é mesmo linda no frio. Além da neve, oferece a tradicional pista de patinação no gelo e espetáculos exclusivos para comemorar o Natal. Mas, se preferir uma temperatura mais agradável, a diversão vai ser a mesma, com muitas compras, musicais e comida boa.

Londres

wiki-800px-Hdr_parliament

A regra é a mesma de Nova York. Quem quer ver neve e decorações natalinas deve embarcar durante o verão brasileiro. Apesar de ser mais charmosa no inverno, Londres é cheia de atrativos em qualquer época do ano. Os museus, entre eles a matriz do Madame Toussaud’s (famoso pelas esculturas de cera), são maravilhosos e não dá para ir embora sem visitar os principais cartões-postais, como a roda-gigante London Eye, o Big Ben e o Palácio de Buckinghan. Aliás, a gente bem que gostaria de ver a Kate Middleton andando por aí…

Campos do Jordão

Campos-do-jordão

Não vai dar para viajar para muito longe neste inverno? Sem problemas. A dica é aproveitar um fim de semana e conhecer o charme de Campos, localizada a cerca de duas horas da cidade de São Paulo. O clima de montanha oferece temperaturas bem baixas na alta temporada, passeios ao ar livre, muita natureza e comidinha gostosa para esquentar (entenda como fondue, chocolate e outras delícias). Gostou da ideia? Clique aqui e saiba mais.

[Especial Califórnia] O que fazer em San Francisco

imageFinalmente encontrei um tempinho para escrever sobre a minha última parada na Califórnia. Descobri que o fato de demorar para postar não tem a ver apenas com a correria do dia a dia, mas porque ando com uma saudade enorme desta viagem. Até mesmo a escolha das fotos já dá aquela dorzinha no peito. E agora, praticamente um mês depois de voltar de lá, posso dizer com toda a certeza que San Francisco é mesmo especial. Rolou uma pressão porque todo mundo (juro, todo mundo sem exceção) me disse que a cidade era linda e que eu iria adorar. Estava completamente apaixonada por San Diego e costumo ser do contra, então rolou um medinho de eu não gostar. Mas, aos poucos, percebi que isso é impossível. A cidade é incrível e eu explico agora os motivos:

Charles M. Schulz Museum (Museu do Snoopy)

image

Certo, o primeiro item deste post não é em San Francisco. Mas foi uma das primeiras coisas que fiz quando cheguei por lá, então resolvi compartilhar. Fãs do Snoopy e de toda a turma das tirinhas Peanuts não podem deixar de visitar o museu criado em homenagem ao desenhista Charles M. Schulz, criador dos quadrinhos. O espaço fica em Santa Rosa, pouco mais de uma hora de San Francisco, e traz alguns detalhes sobre os personagens e uma reprodução extremamente fiel da escrivaninha de Schulz. Logo ao lado do museu há um café (que o próprio cartunista gostava de frequentar) e uma pista enorme de patinação. Além disso, existe uma lojinha temática. Experimente sair de lá sem ao menos uma sacolinha. Eu não consegui…

Sonoma/ Napa Valley

image

Além do céu azul e da natureza abundante, a Califórnia também é conhecida pelos ótimos vinhos. Por isso, visitar uma vinícola é um item obrigatório em qualquer roteiro. As principais produções ficam entre as regiões de Sonoma e Napa Valley. Nós fomos na vinícola do Francis Ford Coppola, que, para quem não sabe, é um dos maiores cineastas do mundo (a trilogia O Poderoso Chefão, por exemplo, é dele). O lugar é muito bonito, com clima de campo, e funciona como clube no verão. Dá para pagar uma diária e curtir a piscina. O tour, apesar de rápido, dá acesso ao processo de fabricação dos rótulos e ainda permite a degustação de quatro vinhos (já adianto: gostei de todos). Vale esticar o passeio com um almoço no restaurante da vinícola. No menu, receitas típicas da culinária italiana. Recomendo o calzone, que é maravilhoso!

Pier 39

image Não tem jeito: qualquer turista que vá a San Francisco pela primeira vez tem que passear pelo Pier 39. Além de lojinhas com todos os tipos possíveis de souviniers – tem até pet shop chiquetosa – o espaço conta com restaurantes variados, carrossel e uma das maiores concentrações de leões marinhos da Califórnia. Eles se refugiaram lá após o terremoto de 1989 e não saíram mais. São tão bonitinhos que eu poderia passar horas observando os bichinhos brincando. Não sei vocês, mas eu sempre me perguntei o porquê de terem escolhido o Pier 39 para virar ponto turístico. Acontece que a presença dos leões marinhos impedia a chegada de navios e, com isso, ele foi transformado em uma espécie de shopping a céu aberto.

Fisherman’s Wharf

image

Bem próximo ao Pier 39, fica outro cartão-postal da cidade. O Fisherman’s Wharf funciona como um mercado, em que são vendidos (adivinhem só) diversos frutos do mar. Não há muita coisa a fazer por lá, mas vale a pena escolher um restaurante. Eu recomendo a Boudin, padaria-boutique que vive lotada. Conhecida por fazer pães fresquinhos, oferece aquele sopa bem quentinha dentro do pão italiano. Eu pedi o creme de tomate e AMEI!

Passeio de bondinho

image

O que eu mais queria fazer em San Francisco era passear de bondinho. Sim, aquele famoso bondinho que sobe e desce ladeiras pra lá de íngremes. Fomos logo no nosso primeiro dia e bem cedinho porque as filas ficam enormes. O tíquete custou cerca de 7 dólares, mas é possível comprar um passe que dá acesso a todo tipo de transporte público. Os bancos externos são os mais disputados, então é bom ficar esperta para garantir um lugar. Como não tínhamos um destino certo, fizemos o trajeto todo da linha, saindo do Ghirardelli Square e indo até a Market Street. Achei incrível porque o bonde para no meio da rua para que outros passageiros possam subir ou descer. O visual é aquele dos filmes mesmo, bem charmoso. Passeio imperdível!

Golden Gate

image

Outro local que eu eu queria muito visitar era a famosa ponte Golden Gate. Tinha visto tantas fotos e vídeos da ponte que eu queria saber se ela era mesmo especial. E é viu, gente! A construção é impactante. Para terem uma ideia, a travessia de carro demora mais de dois minutos. Normalmente, ela fica encoberta e raramente é vista assim, com céu azul. Eu tentei tirar foto antes, mas o dia estava cinza e eu não estava 100% feliz com o resultado. O tempo em San Francisco, aliás, é dessa forma: nublado de manhã e ensolarado à tarde. Por isso, experimente passar pela ponte no final da tarde. As chances de conseguir um visual como este aí em cima são muito maiores!

Salsalito e Tiburon

image Ao cruzar a Golden Gate, você terá acesso a duas cidadezinhas extremamente charmosas: Salsalito e Tiburon. A primeira é menor e tem casinhas em cima dos morros, característica que oferece uma atmosfera campestre. A segunda é mais chique e tem um custo de vida mais elevado. Vale reservar algumas horinhas da manhã e passear de carro pelas cidades. Gostei tanto das duas que não sei dizer qual é a minha preferida.

Alcatraz

image

Nem todo mundo sabe, mas há uma construção bem no meio da baía de San Francisco que funcionou, até os anos 60, como o principal presídio de segurança máxima dos Estados Unidos. As operações por lá foram desativadas, mas o prédio continua aberto e recebe diversos tours diariamente. O passeio é narrado por ex-funcionários, que ajudam a mostrar todos os detalhes do espaço. E olha só que boa notícia: tem traduções em milhões de idiomas, incluindo o português. É muito legal, bem feito e chega até a dar medo em algumas partes. Vale MUITO a pena!

Lombard Street

image

Uma das ruas mais tradicionais da cidade, a Lombard tem um trecho sinuoso que permite um trajeto muito interessante para carros. As curvas fechadas são decoradas com jardins lindos e muito floridos. O colorido dá um charme especial e a paisagem é maravilhosa inclusive para quem desce a pé. Difícil mesmo é subir depois…

Alamo Square

image

San Francisco também é conhecida pelas casas coloridas, com janelas do tipo bay window. Um dos locais onde é possível avistar essas construções é o tradicional Alamo Square. Ao contrário do que eu pensava, as casinhas ocupam apenas uma parte do quarteirão, mas oferecem uma das vistas mais interessantes da cidade. Olha que bacana avistar essas construções e os prédios modernos lá atrás. Fora que há um parque muito gostoso por lá. Vale a pena reservar pelo menos dez minutinhos para dar uma voltinha!

Market Street

image

Eis aqui um paraíso para nós, mulheres consumistas. A Market é O lugar para fazer compras. Começo dizendo que ela abriga uma das maiores unidades da Forever 21 que eu já vi na vida. São três andares de perdição e loucura, a ponto de eu ter que desistir de olhar tudo para evitar estragos financeiros. É lá que fica também o Westfield, shopping mara com lojas bacanudas – Aéropostale, Victoria’s Secret e H&M são alguns exemplos – e escadas rolantes circulares (não sabia que existiam coisas do tipo até então). Termine o passeio com uma visitinha na Macy’s e suba até o último andar, onde fica uma unidade da The Cheesecake Factory. Aí é só escolher um sabor (ou vários) e se inspirar com a vista.

_________________________________________________

Gostou do post? Clique aqui para conferir os outros textos do Especial Califórnia.