Posts em destaque

Dia do Cinema Brasileiro | Top 5 filmes nacionais que valem a pena assistir

Olá, pessoal! Vocês sabiam que existe um dia para comemorar o cinema nacional? Pois é! O dia 19 de junho foi escolhido como o Dia do Cinema Brasileiro, mesma data em que teriam sido feitas as primeiras imagens a partir do cinematógrafo. Isso aconteceu em 19 de junho de 1898 e, durante as primeiras décadas do século 20, o cinema brasileiro ficou conhecido pelas chanchadas (aqueles filmes que priorizam o humor popular).

Fato é que o nosso cinema ganhou força mesmo entre os anos 90 e 2000, quando teve uma retomada e investiu em filmes com atores que também fazem sucesso nas novelas. Foi neste período que muitos prêmios nacionais foram criados e passaram a valorizar as nossas produções nas telonas.

Ultimamente, o cinema brasileiro tem apostado muito em comédias bem escrachadas que eu, sinceramente, odeio. Sabem como é, eu gosto de filmes que fazem a gente pensar e deixam várias perguntas no ar, então essas comédias nacionais não têm nada a ver comigo. A boa notícia é que, quando o Brasil dá para fazer bons filmes, ninguém segura. Tanto que eu separei alguns ótimos exemplos do cinema nacional. Separa a pipoca e vem comigo!

Confira também uma lista de filmes ideais para quem gosta de música!

Cidade de Deus

Acho que é uma decisão unânime, né gente? Cidade de Deus é considerado por muitas pessoas (inclusive eu) como o melhor filme do cinema nacional. Só para vocês terem uma ideia, a nota do filme no IMDB é 8,6 (uma nota digna de um filme de Hollywood que concorre ao Oscar). Para quem não sabe, conta a história de Buscapé, um garoto que cresce em meio à favela no Rio de Janeiro que retrata o dia a dia da comunidade por meio do seu dom pela fotografia. É pesado, é forte, mas é a vida real e algumas das falas dos personagens se tornaram clássicas. Como falei antes, eu amo e está na lista dos meus filmes favoritos da vida.

Central do Brasil

Foi justamente durante os anos 90 que o Brasil conseguiu o maior número de indicações ao Oscar na categoria de melhor filme estrangeiro. De todos que conseguiram o feito, meu favorito é Central do Brasil, que conta a história de Dora, que escreve cartas para analfabetos na estação Central do Brasil, no centro do Rio de Janeiro. Tudo vai bem, até que ela decide ajudar o garoto Josué a procurar seu pai no interior do Nordeste. Vale lembrar que a atriz Fernanda Montenegro também foi indicada ao Oscar por sua atuação no filme, que acabou perdendo a estatueta para o italiano A Vida é Bela (e a gente tem que ser justa: A Vida é Bela é lindo demais mesmo!).

Tropa de Elite

Sempre que alguém fala algo sobre esse filme, a frase “não vai subir ninguém” logo me vem na cabeça. Tropa de Elite foi um dos principais sucessos do cinema nacional nos anos 2000. O boom começou antes mesmo de ele ser lançado, já que ficou conhecido pelo fato de muita gente ter visto de forma pirata (sim, as cópias vazaram antes do lançamento). Quando o filme finalmente chegou no cinema, foi aquele auê e todo mundo amou. Na história, o ator Wagner Moura interpreta um capitão do BOPE que realiza um treinamento bem pesado para encontrar um substituto. Enquanto isso, o filme mostra o dia a dia da corporação policial e da corrupção.

Gosta de esportes? Confira uma lista com vários filmes que retratam o universo esportivo!

Que Horas Ela Volta?

Este filme é um sucesso recente do cinema nacional, dando origens a vários debates sobre o tratamento oferecido para as empregadas domésticas. Val deixa sua cidade natal, no Nordeste, para trabalhar e morar na casa de seus patrões, em São Paulo. Ela acaba se tornando babá de Fabinho, filho dos patrões, e os dois criam uma relação única. O problema começa quando a filha de Val decide se mudar também para a casa onde a mãe mora para prestar vestibular. Ela passa a questionar o tratamento recebido pela mãe e começa a se instaurar um verdadeiro caos dentro da casa. Vale muito a pena assistir porque é totalmente vida real. Não tem como não gostar!

Bingo – O Rei das Manhãs

Chegamos ao filme mais novo da lista com ótimos exemplos do cinema nacional. Bingo – O Rei das Manhãs estreou no ano passado e também deixou muita gente de queixo caído. O filme é baseado na história de Arlindo Barreto, o primeiro intérprete do palhaço Bozo. Em pouco tempo, ele conquistou a fama, mas viveu frustrado por nunca poder dizer para as pessoas que fazia o personagem. Esse caminho fez com que se envolvesse com drogas e se afastasse do filho. Lendo assim não parece que o filme é tudo isso, mas a história é narrada com muito bom humor e de uma maneira bem sarcástica, que faz com que a gente se envolva do começo ao fim. Juro, é sensacional!

 

E você, lembra de outro bom filme do cinema nacional?

Um beijo e até o próximo post!

Especial Dia dos Namorados | Os 7 casais mais fofos do cinema

Olá, pessoal! Hoje, dia 12 de junho, é o Dia dos Namorados. Muita gente aproveita para fazer um programa gostoso do lado do boy, nem que seja apenas sair para jantar ou pedir uma comidinha em casa. O importante é estar ao lado da pessoa que ama e, claro, celebrar o amor.

Muitos de vocês sabem que eu sou solteira e não tenho previsão de sair desse time tão cedo, mas nem por isso deixamos de achar essa data fofa, né? Afinal, sempre têm aqueles casais que são tão fofos que a gente torce para que fiquem sempre juntos. Quer exemplo melhor do que os casais do cinema?

Lá nos primeiros anos do blog, preparei uma lista com os meus casais favoritos do cinema (clique aqui para conferir). Como faz tempo que fiz essa lista, acabei lembrando de outros e de alguns novos que também merecem um espaço por aqui. Nada mais justo do que fazer uma continuação, né? Bora conferir!

Mia e Sebastian (La La Land)

 

Quando eu pensei em fazer uma continuação do post com casais fofos, logo lembrei da Mia e do Sebastian. Afinal, La La Land é o meu filme favorito de todos os tempos (se você quer saber porque eu gostei tanto, é só clicar aqui). Aquele lance de química, né? Tanto que eu realmente torço para que a Emma Stone e o Ryan Gosling namorem na vida real (sim, eu sei que ele é casado e não quero destruir o relacionamento de ninguém, mas não custa sonhar né rs). Fora que eu acho que a Mia e o Sebastian são como qualquer outro casal, né? Se amam, brigam e fazem muitos sonhos. Ai, lembro deles e já tenho vontade de chorar, socorro rsrs…

Confira uma lista com filmes que retratam o empoderamento feminino!

Rose e Jack (Titanic)

Gente, COMO ASSIM eu não tinha colocado a Rose e o Jack na outra lista? Eu nasci em 1988 e vivi toda a minha infância nos anos 90. E quem também foi criança ou adolescente nessa mesma época sabe bem o quanto esse filme marcou a nossa vida. Era um tempo em que não marcavam os lugares no cinema e as filas para ver Titanic eram quilométricas (tentei assistir duas ou três vezes antes de conseguir entrar numa sessão porque sempre estavam lotadas). Rose e Jack foram O casal do fim dos anos 90, nós nos apaixonamos perdidamente pelo Leonardo DiCaprio e a Kate Winslet ganhou nosso respeito desde então. Fora que eles são amigos até hoje, gente! Como não amar?

Ellie e Carl (Up – Altas Aventuras)

Bom, preciso dizer que Up – Altas Aventuras está entre os meus dez filmes favoritos da vida. Sério, é aquele desenho mais para adultos do que criança que dá um aperto no coração. Eu sempre me acabo de chorar quando eu vejo e a tristeza começa logo no início do filme, quando a gente acompanha o amor de Ellie e Carl. Eles se conheceram quando ainda eram crianças, se apaixonaram, se casaram e passaram a vida toda juntos. Até que ela morre (já velhinha) e ele se vê sozinho e sem saber o que fazer. É MUITO vida real, né gente? É triste, mas é o tipo de casal que faz a gente acreditar no amor, sabe? Daqueles que são verdadeiros mesmo. Fora que eu AMO o Carl, é um dos meus personagens favoritos da Disney!

Annie e Alvy (Noivo Neurótico, Noiva Nervosa)

Outro filme que eu amo, justamente por mostrar o dia a dia dos casais. Na grande maioria dos casos, funciona assim: vocês se apaixonam perdidamente, fazem grandes planos, conseguem realizar alguns, até que as brigas começam a desgastar o relacionamento. Annie e Alvy são um exemplo claro disso: ela é uma cantora iniciante (com um jeito MUITO estiloso de se vestir, por sinal) e ele é um humorista divorciado. Não demora muito para os dois morarem juntos e começarem a passar por todas essas coisas que eu citei aqui. Mas eles são tão fofinhos como casal que a gente torce mesmo. Juro, vale muito a pena assistir!

Descubra também os filmes mais indicados para comemorar o Dia do Amigo!

Sally e Harry (Harry e Sally – Feitos Um Para O Outro)

Fofo, né gente? Assim como acontece em Noivo Neurótico, Noiva Nervosa, o filme Harry e Sally – Feitos Um Para O Outro mostra o dia a dia de um casal. A história se passa no finzinho dos anos 80 e mesmo assim a Sally e o Harry poderiam muito bem ser nossos amigos, de tão próximo da realidade que é o caso deles. Aquela coisa: os dois se odeiam no começam, até que descobrem estar apaixonados. Só que eles ficam no vai e vem: terminam, até que se encontram do nada e voltam a ficar juntos. Destino, né mores? Fora que são várias cenas clássicas neste filme. Também vale a pena ver e tenho certeza que vocês também vão se apaixonar e torcer muito para a Sally e o Harry.

Melanie e Jake (Doce Lar)

O filme Doce Lar com certeza fez parte das comédias românticas que mais marcaram minha adolescência. É aquela história que começa de um jeito e toma outro rumo, sabe? Melanie é uma estilista (também dona de um figurino e de um corte de cabelo que causam inveja) que está prestes a se casar com o filho da prefeita de Nova York. Tudo vai muito bem, só que ela precisa voltar para sua cidade natal e implorar para que Jake, seu ex-marido, assine o divórcio. Pois é, gente! E não é que a gente torce o tempo todo para eles não separarem e voltarem a ficar juntos? Melanie e Jake também se conheceram quando ainda eram crianças e são aquele tipo de casal que briga o tempo todo, mas que se completa. Também são muito fofos e queridos.

Satine e Christian (Moulin Rouge – Amor em Vermelho)

 

Não sei vocês, mas eu fui assistir Moulin Rouge – Amor em Vermelho no cinema só por conta da música-tema Lady Marmelade, que fez muito sucesso. E vejam só: acabei completamente apaixonada pelo filme. Satine é a principal cortesã do Moulin Rouge e Christian é um jovem escritor que frequenta o local. Como o filme é musical, eles têm cenas muito fofas juntos, especialmente quando ele canta a música Your Song para ela. Os dois formam aquele casal que enfrenta um amor proibido, mas que ganha a nossa torcida logo de cara. Não é um filme fácil de entender e ele é até um pouco estranho, mas não dá para negar que Satine e Christian estão na lista dos casais mais fofos de todos os tempos.

 

E vocês, lembram de outro casal que ainda não coloquei nesta lista? Deixem nos comentários, quem sabe não trago a terceira parte…

Um beijo e até o próximo post!  

Dia Mundial do Meio Ambiente | 5 filmes que comprovam a força da natureza

Olá, pessoal! Vocês sabiam que hoje se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente? A data foi criada em 1972, após a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano e tem o objetivo de chamar a atenção sobre os problemas ambientais, além de ressaltar a importância de preservar os recursos naturais.

A gente tem a tendência de achar que esses recursos são inesgotáveis, mas a verdade é que existem diversos estudos que mostram que não é bem assim. Se a gente não usar tudo isso de forma correta, corremos o risco de viver sem eles no futuro. Pesado, né?

Por isso, a gente precisa se conscientizar, respeitar a natureza e aprender a usar esses recursos com sabedoria. Quer forma melhor de fazer isso do que assistindo a alguns filmes que mostram justamente a força da natureza? Preparei uma lista com algumas sugestões, então já anota seus preferidos para maratonar no fim de semana. Bora ver os escolhidos?

Confira alguns filmes que mostram a força do empoderamento feminino!

Pocahontas

Esta animação da Disney faz parte dos clássicos da companhia dos anos 90 e não fala exatamente sobre fenômenos naturais, mas traz uma mensagem de como é importante preservarmos a natureza. Para quem não sabe, o filme retrata a chegada dos ingleses no continente americano e todo o processo de colonização. No meio disso tudo, a índia Pocahontas (filha do chefe da tribo) se apaixona perdidamente pelo capitão John Smith. Em uma das músicas mais lindas do filme (Colors of the Wind), ela fala sobre respeitar a natureza. A Pocahontas nunca foi minha princesa favorita, mas o filme é um clássico né, tem que assistir.

Twister

 

Mais um dos anos 90 que eu amo até hoje! Como o próprio nome diz, o filme conta a história de um grupo de cientistas que quer colocar sensores nos furacões para prever suas chegadas com mais antecedência. Só que, para isso, eles precisam chegar o mais perto possível desses fenômenos naturais. Sabe aqueles filmes que deixam a gente grudada na TV com o coração saindo pela boca de tanto nervoso? Eu assisti tanto quando era mais nova que morro de medo de furacão até hoje, mas vale muito a pena!

O Impossível

 

Para muita gente, a ficha de que a natureza pode dar uma resposta para tudo de ruim que fazemos com ela caiu em dezembro de 2014, quando aconteceu o maior tsunami da história, na Indonésia. Ao todo, 13 países foram afetados e mais de 220 mil pessoas morreram. Este filme é baseado em fatos reais e conta a história de Maria, que acaba se perdendo de sua família durante o tsunami e precisa superar vários obstáculos para encontrá-los. Vale lembrar que a atriz Naomi Watts foi indicada ao Oscar de melhor atriz por seu trabalho neste filme.

Gosta de música? Então conheça alguns filmes que retratam o ambiente musical!

Saneamento Básico

 

 

Vocês sabem que eu não sou muito fã dos filmes nacionais, né? Ultimamente parece que só fazem comédias sem pé nem cabeça e eu, sinceramente, nem perco meu tempo assistindo porque sei que não vou gostar. Mas, de vez em quando, a gente acerta. Este filme é um retrato muito bem-humorado de comunidades brasileiras que vivem sem esgoto. A história gira em torno de um grupo que resolve fazer um filme com apoio da prefeitura local para mostrar a importância da criação de uma fossa e, assim, chamar a atenção das autoridades. Sério, sempre dou muita risada quando assisto.

Wall-E

Mais uma animação da Disney que não está entre as melhores da companhia, mas que precisa ser vista com atenção. No início, a gente acha que a história é apenas sobre um simpático robô responsável por limpar a poluição da Terra depois que ela se tornou inabitável por conta do acúmulo de lixo. Depois, ele vai parar em uma comunidade espacial onde vivem os ex-habitantes da Terra. É lá que as críticas começam: os humanos se tornaram obesos, amam comer fast food, são sedentários e não esforçam para mudar seus hábitos.

No meio disso tudo, Wall-E descobre que a Terra é, sim, habitável e luta para levar os humanos de volta para o nosso planeta. Como falei, precisa assistir prestando muita atenção porque o começo é bem parado.

 

E você, lembra de outro filme que comprove a força da natureza?

Um beijo e até o próximo post!

Dia Internacional da Mulher | Filmes sobre empoderamento feminino que comprovam a força das mulheres

 

Olá, pessoal! Chega março e a gente logo lembra do Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março. Claro que nós sabemos (ou, pelo menos, deveríamos) que a mulher precisa ser lembrada todos os dias, já que a gente ainda vive em uma desigualdade enorme de gêneros, mas a questão aqui neste post não é esta rs…

Na verdade, o cinema vem mostrando ao longo dos anos o quanto as mulheres sofreram e ainda sofrem. Por isso, uma das maneiras de começar a entender um pouco mais sobre empoderamento feminino é vendo alguns desses filmes. Ah, é importante assistir com esse foco mesmo, de se colocar no lugar da mulher, para entender mais sobre essa nossa luta contínua e diária.

Confira aqui outra lista de filmes para comemorar o Dia Internacional da Mulher!

Preciosa – Uma História de Esperança

preciosa-cena-do-filme

Um dos destaques do Oscar de 2010, este filme continua muito atual. Isso porque conta a história de Preciosa, uma adolescente de 16 anos que vive no bairro do Harlem, em Nova York, e leva uma vida bem diferente da maioria das mulheres de sua idade. Vejam bem: ela é agredida de todos os jeitos pela própria mãe, abusada pelo pai e tem um filho com Síndrome de Down. Para piorar, ela é gorda, está grávida pela segunda vez e foi expulsa da escola. A situação só melhora quando ela vai para uma escola alternativa e encontra um jeito de fugir de sua realidade.

Lembro que o que mais me deixou chocada foi o tratamento recebido pela mãe, já que a relação entre filha e mãe costuma ser forte e sagrada. Daí a gente lembra que existem muitas mulheres que enfrentam essas situações todos os dias e começa a cair a ficha do quanto a mulher ainda sofre. O filme é incrível e, por sinal, a atriz Mo’Nique, que interpreta a mãe de Preciosa, saiu vitoriosa do Oscar como melhor atriz coadjuvante.

Moana – Um Mar de Aventuras

 

filme-moana-um-mar-de-aventuras

O filme da Disney estreou por aqui em janeiro de 2017 e causou o maior auê justamente por quebrar um padrão entre as famosas princesas da Disney. Eu cresci nos anos 90 acostumada a ver princesas esperando um príncipe ou lutando por causa dele, mas essa ideia não faz o menor sentido e não combina com as mulheres de hoje, certo?

Bom, Moana nem se define como princesa, para começar, e fica irritada quando a chamam assim. Ela sabe que tem seus deveres onde mora, mas resolve partir sozinha em busca de novas soluções para o seu povo. No meio do caminho, ela enfrenta diversas dificuldades, mas nada a faz desistir. Mulher guerreira, né mores?

Confira algumas dicas para cuidar de cabelos mistos!

Que Horas Ela Volta?

que-horas-ela-volta-filme

Contei aqui algumas vezes que eu não sou muito chegada em filmes nacionais. Na verdade, eu detesto aquelas comédias com atores que fazem sucesso no humor. Sou mais de filmes que fazem a gente pensar e nós temos ótimos representantes nacionais nesse quesito. Um deles é Que Horas Ela Volta?, um dos maiores sucessos no cinema brasileiro de 2015, e que retrata bem a realidade de muitas mulheres.

O filme conta a história de Val, uma pernambucana que se muda para São Paulo para trabalhar como babá de Fabinho e morar na casa dos patrões. Treze anos depois, ele vai prestar vestibular e ela recebe um telefonema de sua filha, que pede ajuda para ir a São Paulo para prestar a mesma prova. O problema é que a menina quebra vários protocolos da casa e a confusão começa a se instaurar. Vale MUITO a pena!

A Hora Mais Escura

filme-a-hora-mais-escura

Outro fato que nem todo mundo sabe sobre mim é que eu tenho uma raivinha da Jennifer Lawrence porque ela ganhou o Oscar de 2013 por um papel infinitamente inferior ao da Jessica Chastain. No mesmo ano, ela concorreu pelo filme A Hora Mais Escura, no qual interpretou Maya, uma agente da CIA responsável por participar das buscas para capturar Osama Bin Laden.

Por que coloquei este filme aqui? Bom, porque a CIA ainda é um ambiente bastante masculinizado e, ao longo da história, a gente percebe como Maya vai conquistando seu espaço como mulher e profissional, superando o machismo e a desconfiança. Fora que o filme prende com várias cenas de ação e a gente fica tenso querendo saber como tudo vai acabar. Vocês vão amar!

Histórias Cruzadas

filme-historias-cruzadas

Se hoje ainda é difícil ser mulher, imaginem como essa situação era no passado. Temos um retrato de parte disso no filme Histórias Cruzadas, que se passa no estado norte-americano do Mississipi nos anos 60. Naquela época, as mulheres negras só conseguiam trabalho como empregadas domésticas e ainda sofriam constantemente com o preconceito. Até que uma jornalista retorna à cidade e decide entrevistar essas mulheres para escrever um livro e denunciar esse absurdo.

Eu AMO esse filme e o elenco é maravilhoso, contando como atrizes como Emma Stone, Viola Davis e Jessica Chastain. Mas o ponto alto é a atriz Octavia Spencer, que venceu o Oscar de melhor atriz coadjuvante e faz uma cena IMPERDÍVEL (não vou contar para não estragar, é claro) que nos deixa indignados e contentes ao mesmo tempo.

 

E vocês, lembram de outro filme sobre empoderamento feminino?

Um beijo e até o próximo post!

Oscar 2018 | Meus palpites de vencedores do grande prêmio do cinema

Olá, pessoal! Quem me acompanha aqui no blog sabe que eu sou APAIXONADA pelo Oscar. Sempre corro feito doida nos primeiros meses do ano para tentar ver o máximo possível de filmes indicados para poder torcer e comentar com propriedade rs. A entrega do Oscar 2018 acontece no próximo domingo (04) e eu não consegui assistir a todos os filmes, mas vi uma boa leva.

Como sempre acontece, vou postar aqui os melhores e os piores looks da cerimônia, mas hoje queria falar sobre os meus palpites de vencedores do Oscar 2018. Para ser bem sincera, não teve nenhum filme que me deixou completamente apaixonada (como aconteceu no ano passado) e acho que os atores favoritos estão concorrendo sozinhos, mas vamos lá, vou falar mesmo assim!

Aproveite e relembre os looks que marcaram a entrega do Oscar do ano passado!

Melhor filme: Três Anúncios Para Um Crime

Foto: CinePOP

Sem dúvida, o melhor filme entre todos que eu vi que estão concorrendo na principal categoria do Oscar 2018. A história se concentra em uma mulher que teve sua filha brutalmente assassinada e resolve alugar três outdoors que ficam na entrada da cidade para chamar a atenção da polícia, que não encontrou o culpado do crime. O problema é que esse simples fato acaba mexendo com a vida de todos os moradores. Sei que lendo assim não parece um grande filme, mas é muito humano e prende do início ao fim. Estou na torcida por ele (mas queria muito que Eu, Tonya – outro filmão – estivesse entre os candidatos).

Melhor atriz: Frances McDormand – Três Anúncios Para Um Crime

Foto: A Tribuna

Favorita, levou todos os prêmios na categoria até agora e, verdade seja dita, ela merece mesmo. Segura o filme todo, chora, dá risada, faz a gente sentir o drama dela, entender tudo que ela faz, sentir a mesma raiva que ela sente e por aí vai. Sally Hawkings (A Forma da Água) e Margot Robbie (Eu, Tonya) estão maravilhosas em suas atuações e merecem um destaque aqui, mas a Frances tem que levar, não tem para mais ninguém nesta categoria do Oscar 2018.

Melhor ator: Gary Oldman – O Destino de uma Nação

Foto: CinePOP

Não assisti a esse filme, mas o Gary Oldman, assim como a Frances McDormand, ganhou tudo até agora e tem todas as chances de repetir o feito no Oscar 2018. Ele interpreta Winston Chruchill e, pelo que sei, o filme fala sobre as estratégias que a Inglaterra adotou para não ser derrotada pela Alemanha na Segunda Guerra Mundial. Junto com ele, concorrem Daniel Day-Lewis, por Trama Fantasma, e Daniel Kaluuya, por Corra!, mas também acho que o Gary Oldman concorre sozinho. Vocês já assistiram? O que acharam?

Relembre os melhores e os piores looks do Globo de Ouro 2018!

Melhor atriz coadjuvante: Allison Janney – Eu, Tonya

Foto: Gazeta Online

Todo ano temos aquele ator ou aquela atriz que arrebenta e que tem um trabalho elogiado por todos os críticos. No Oscar 2018, quem representa isso é Allison Janney, que interpreta a mãe da patinadora Tonya Harding no filme Eu, Tonya. Praticamente irreconhecível, ela maltrata a filha (fisicamente e mentalmente) e é parte do motivo que explica a tragédia que foi a vida da ex-atleta. Como falei lá em cima, eu AMEI esse filme e é baseado em uma história real, então o trabalho de interpretar uma pessoa que existe é ainda mais intenso. Torcendo MUITO para ela!

Melhor ator coadjuvante: Sam Rockwell – Três Anúncios Para Um Crime

Difícil pensar no filme Três Anúncios Para Um Crime e não lembrar da Frances McDormand, mas Sam Rockwell é responsável por fazer a gente rir em muitos momentos e é aquele personagem que dá uma quebrada na história, que é megapesada. Tudo bem, ele interpreta um policial racista e explosivo, faz coisas bizarras ao longo do filme, mas é justamente ele que tem momentos heroicos e uma redenção daquelas. Quando percebemos, já estamos torcendo por ele. Aliás, ele é o que mais merece entre todos os candidatos do Oscar 2018, concordam?

Melhor diretor: Guillermo del Toro – A Forma da Água

Foto: Super Cinema UP

A Forma da Água foi o filme recordista de indicações do Oscar 2018, com presença em 13 categorias. Eu estava looouca para assistir, até que vi e foi aquela coisa: minha expectativa estava alta demais e eu acabei não gostando. É muito bom tecnicamente, mas achei fraco em história, principalmente quando a gente compara com Três Anúncios Para Um Crime e Eu, Tonya. Agora, o enquadramento das cenas é perfeito, a trilha sonora é incrível, a fotografia é linda. Então, nada mais justo do que o diretor Guillermo del Toro vencer na categoria. Sou apaixonada pelo filme O Labirinto do Fauno e torço por ele desde então.

 

E aí, concordam com os meus palpites?

Um beijo e até o próximo post!