Posts em destaque

Eu li: A Assombração da Casa da Colina – Shirley Jackson

Olá, pessoal! No último post aqui do blog, contei que amei a série A Maldição da Residência Hill (em cartaz na Netflix). Eu também contei que a série foi baseada em um livro e que fiquei doida quando soube. O livro em questão é A Assombração da Casa da Colina, escrito por Shirley Jackson. Ganhei a obra de Natal e li rapidinho para poder contar tudo para vocês! 🙂

Para quem não sabe, a Shirley Jackson é uma das maiores autoras de livros de terror e mistério do mundo. E A Assombração da Casa da Colina é considerado por muita gente como a melhor história de casa mal-assombrada da história. Lógico que eu estava com a expectativa lá em cima quando comecei a ler, né?

Antes de começar a falar sobre o livro, preciso contar sobre a série. Lá, a trama gira em torno de uma família composta por um casal e cinco filhos. Eles se mudam para uma casa durante um verão e logo começam a ver coisas muito estranhas acontecendo. As experiências da casa mexeram para sempre com eles, que agora são adultos e precisam lidar com todos esses traumas.

A história do livro

Bom, a história do livro é COMPLETAMENTE diferente. Tudo acontece quando Dr. Montague, especialista em fenômenos sobrenaturais, convida duas pessoas para passarem uma temporada em uma casa misteriosa. O objetivo é que ele possa registrar tudo que acontece de estranho para apresentar uma tese a outros especialistas. Além deles, está também o herdeiro da casa (a presença dele é exigida pela atual proprietária da mansão).

Algumas coincidências do livro com a série:

  • Os nomes: no livro, também temos uma Eleanor (a protagonista), uma Theodora e um Luke. Mas eles não são irmãos e têm personalidades bem diferentes nas duas histórias.
  • Os Dudley: os funcionários da casa existem. Na série, eles têm uma filha e são legais. No livro, não se sabe nada sobre isso e a Sra. Dudley é bem perturbada.
  • Hugh Crain: o pai da família da série existe no livro. Mas lá ele é quem projetou e construiu a Casa da Colina, tendo falecido décadas antes.

Na primeira metade do livro, acompanhamos a chegada de Eleanor à casa e sua convivência estranha e obsessiva com Theodora (que também foi convidada para o experimento). No início, ela não liga muito para a fama da casa, mas logo começa a presenciar coisas muito estranhas. E assim segue: os acontecimentos vão piorando e a gente fica naquela ansiedade para saber quem vai sair vivo da casa.

O que eu achei

O livro não tem nada a ver com a série, então é preciso separar as duas histórias. Para ser bem sincera, me lembrou muito mais o filme A Casa da Colinade 1999. Lá, um milionário resolve dar uma festa em uma casa mal-assombrada e convida várias pessoas que não se conhecem. Quem passar a noite toda na casa será premiado com 10 mil dólares. Eu AMAVA esse filme quando era adolescente (MORRIA de medo), então, li o livro com uma clima de nostalgia bem legal.

Se você gosta de filmes de terror (daqueles com vários clichês), recomendo MUITO assistir a este aqui!

A Assombração da Casa da Colina foi escrito em 1959, portanto, há 60 anos. Achei bacana que muitas palavras da época foram mantidas, mas ao mesmo tempo, a narrativa é um pouco cansativa e às vezes é difícil prestar atenção. Mesmo assim, é incrível pensar como a história ainda prende e funciona. Eu costumo ler à noite, antes de dormir, e sempre rolava um medo quando precisava apagar a luz do quarto. Vejam bem: eu tenho 30 anos, não tenho medo de histórias de terror, mas tive medo com este livro. Sinal de que é realmente bom!

A única coisa que eu não gostei é que o livro termina muito de repente. Achei que os acontecimentos de terror não são tão pesados assim (acaba que é uma coisa mais psicológica) e quando parece que vai ficar tenso de verdade, pah, o livro termina. Também achei que a conclusão dos outros personagens é rápida demais. Sei lá, fiquei com a sensação de que faltou alguma coisa. Mas, se a gente lembrar que o livro é dos anos 1950, é incrível pensar como ainda dá medo.

 

Eu gostei muito e indico para todo mundo que também curte histórias de terror. Só vale lembrar mais uma vez que o livro não tem nada a ver com a série, por isso, esqueça comparações, ok?

Um beijo e até o próximo post!

Eu li: Dando um Tempo | Marian Keyes

Olá, pessoal! Bora fazer a primeira resenha literária do ano aqui no blog? Bom, todo mundo que ama livros tem seus autores favoritos e comigo não é diferente. Tenho uma listinha de escritores favoritos e a Marian Keyes com certeza está entre eles. Já li quase todos os livros que ela lançou aqui no Brasil (só falta um). Aliás, foi graças a ela que eu me apaixonei pelo gênero chick lit – que eu costumo chamar de livros de mulherzinha.

Bom, fazia um tempinho que ela não lançava livros novos (o último foi A Mulher Que Roubou Minha Vida). No finzinho do ano passado, estava passeando em uma livraria quando vi Dando um Tempo. Fiquei empolgadíssima e resolvi levar na mesma hora. Só que tinha outros livros na frente e acabou que só consegui ler mesmo em novembro. Aliás, o livro tem quase 600 páginas, então demora mesmo (vamos combinar que a dona Marian curte uns livros enormes né?).

A história

Dando um Tempo conta a história de Amy, uma mulher de 44 anos que já foi casada e prometeu que nunca mais se envolveria com nenhum homem depois de encontrar seu ex na cama com outra mulher. Tudo vai bem, até que ela se apaixona por Hugh, engravida logo depois que eles começam a namorar e eles resolvem se casar. 20 anos depois, eles parecem levar uma vida ótima com suas três filhas.

Bom, eu disse que eles pareciam levar uma vida ótima, né? Um belo dia, Hugh diz para Amy que quer dar um tempo no casamento para entrar em período sabático de 6 meses e viajar pelo sudeste asiático. No entanto, ele JURA que continua amando Amy da mesma forma e que vai voltar conforme o prometido. Claro que ela se desespera e se pergunta o que faltou e o que ela deixou de fazer para ele tomar essa decisão.

Depois que ele enfim parte em sua viagem, Amy precisa se desdobrar para dar conta das filhas, do trabalho, dos cuidados com a casa… e nesse tempo ela começa a avaliar sua própria vida. Enquanto ela lembra de alguns dos acontecimentos mais marcantes de antes e durante o casamento com Hugh, ela percebe que essa história de dar um tempo não foi tão ruim assim.

Minha opinião 

Eu de verdade gosto de todos os livros da Marian Keyes. Mas Dando um Tempo me fez lembrar dos primeiros livros que eu li dela, há mais de 10 anos. A gente simplesmente não consegue parar de ler. Como os capítulos são curtinhos, você vai lendo e quando percebe metade da história já foi. Então, apesar de ter quase 600 páginas, eu li rapidinho, em menos de 1 mês.

Sou quase 15 anos mais nova que a Amy, não sou mãe e não sou casada. Mesmo assim, me identifiquei MUITO com ela. Faria exatamente as mesmas coisas que ela fez. É aquela história: a gente sofre, dá risada, fica com raiva. Eu simplesmente AMO livros assim e mergulhei de cabeça neste aqui!

Eu também amei os personagens secundários deste livro. Destaco Neeve, a filha mais velha de Amy, que é youtuber de maquiagem (tipo eu né gente rsrs). A mãe de Amy também é divertidíssima, assim como os colegas de trabalho de Amy. Eu sempre amei a forma com que a Marian Keyes constrói a personalidade de seus personagens e não foi diferente desta vez.

Eu AMEI este livro e indico de olhos fechados para todo mundo. É tão vida real que é impossível não gostar!

 

E vocês, já leram este ou outro livro da Marian Keyes? Me contem aqui nos comentários!

Um beijo e até o próximo post!

Eu li: Um Pequeno Favor – Darcey Bell

Olá, pessoal! Ultimamente, temos vivido um boom de filmes inspirados em livros , né? Na maioria das vezes, eu já li o livro quando o filme estreia e fico naquela expectativa para saber como vai ser a versão do cinema. Mas também acontece de ver o filme antes de ler o livro e não ter o mesmo impacto quando leio, sabe?

Bom, falei tudo isso porque há alguns meses, fui ver um filme no cinema e antes de começar passou o trailer de Um Pequeno Favor. Achei interessante porque era uma trama cheia de mistério e porque era estrelado por duas atrizes que eu adoro: Anna Kendrick e Blake Lively. Na hora, eu até pensei: “poxa, se tivesse um livro desse filme seria muito bom”. Mas passou.

Algumas semanas depois, entrei em uma livraria só para matar tempo (tinha horário para assistir a outro filme no cinema) e, de repente, encontrei o livro inspirado no filme. Comprei na mesma hora e fiquei MUITO feliz com a possibilidade de ler antes de ver a versão do cinema. Sério, eu nem sabia da existência do livro!

Li rapidinho, em uma semana, e agora chegou a hora de contar tudo para vocês! 🙂

A história

A trama do livro se concentra em Stephanie, que tem um blog dedicado à maternidade e é apaixonada por seu filho, Miles. Tudo começa quando sua melhor amiga, Emily, desaparece de forma misteriosa. É tudo muito estranho porque horas antes, ela pediu que Stephanie pegasse seu filho, Nicky, na escola. Além disso, Emily sempre foi uma mãe exemplar e nada daquilo fazia sentido.

Stephanie começa a se aproximar de Sean, marido de Emily, e precisa lidar com o pequeno Nicky, que sofre com a ausência da mãe. Enquanto isso, eles se perguntam onde Emily está e por quais motivos ela resolveu desaparecer.

O livro caminha assim até mais ou menos a metade, até que começa a ter várias reviravoltas. Chega em um ponto que você não sabe mais quem está certo e quem está errado. Sabe aquela coisa de que ninguém é tão inocente assim?

Enquanto a primeira parte do livro é narrada sob o ponto de vista de Stephanie (mesclando capítulos em primeira pessoa e os posts que escreve em seu blog), a segunda e a terceira contam com capítulos narrados por outros personagens. Então, dá para ter várias visões da mesma história, o que eu achei ótimo!

O que eu achei

Eu amei o trailer do filme e adoro essas histórias de suspense e mistério. Apesar de amar livros de romance estilo mulherzinha, eu realmente gosto quando pego uma história diferente para ler.

E foi assim no começo. Não conseguia parar de ler e não via a hora de saber o que tinha acontecido com a Emily. Aliás, preciso dizer que a primeira parte do livro é muito boa, por mais que a Stephanie seja bem bobinha, fui lendo sem parar e, quando vi, já estava na metade.

Eu adorei esse lance que a Darcey Bell, autora do livro, fez de mostrar que ninguém é tão inocente assim. Todo mundo esconde alguma coisa. Chega uma hora em que você não sabe mais o que pensar sobre os personagens, deu um nó tão grande na minha cabeça que eu só queria entender como aquilo tudo ia terminar.

Tudo caminhava muito bem, mas acho que a Darcey Bell se perdeu um pouco nessa loucura toda. A ideia inicial era solucionar o mistério do desaparecimento da Emily, mas de repente isso vira só um detalhe, sabe? E sei lá, o livro tem um final condizente com a história, mas deixou algumas pontas soltas que não fizeram muito sentido. Ficaria melhor se eu pudesse falar o que de fato acontece, mas não quero dar nenhum spoiler. Vocês me entendem, né?

No geral, eu gostei do livro e achei que a história prende muito. Não é o meu livro preferido e eu até perdi a vontade de ver o filme no cinema, mas estou esperando sair em algum streaming para comparar. Quem sabe gosto mais do que o livro, né?

 

E vocês, já leram? O que acharam?

Um beijo e até o próximo post!

Eu Li: Você Acredita Mesmo em Amor à Primeira Vista? – Fabi Santina

Olá, pessoal! Estamos vivendo um boom de livros escritos por youtubers. Eu não tenho absolutamente NADA contra isso porque: 1) também sou youtuber/influenciadora e 2) a gente vive em um país em que as pessoas não têm o hábito de ler e eu acho isso MUITO triste. Por isso, o importante é estimular a leitura, não importa que seja o livro de um autor best-seller ou de um youtuber.

Por que falei tudo isso? Bom, porque a Fabi Santina lançou recentemente o seu primeiro livro, chamado Você Acredita Mesmo em Amor à Primeira Vista?. Ao contrário de outras colegas de profissão, que lançam títulos mais voltados para autoajuda, a Fabi contou sua relação com o noivo, Leandro, desde que se conheceram pela primeira vez.

Como muitos de vocês já sabem, eu AMO a família Santina, sou fã MESMO, e estava aguardando ansiosamente o lançamento do livro da Fabi. Comprei na pré-venda, corri para terminar de ler o que estava lendo e comecei a história da Fabi em um dia que ia passar horas no salão. Quando percebi, já estava na metade. É bom de verdade!

História

Como falei, a Fabi conta sua história com seu noivo, Leandro, desde o primeiro dia que se viram até quatro anos atrás, quando terminaram o relacionamento por um tempo. É engraçado porque eu sigo a Fabi há muito tempo e parece que a gente é amiga, sabe? Mas, ao mesmo tempo, foi como se eu descobrisse uma nova Fabi. Não fazia a menor ideia de que ela tinha passado por tanta coisa assim.

Eu gosto muito de livros narrados em primeira pessoa e achei legal que a Fabi procurou manter um tom bem próximo da realidade, parece que ela está conversando com a gente. É tipo um diário e me deu muita saudade de quando eu tinha o meu diário na adolescência.

E, bom, a grande questão do livro é que a gente (a gente eu digo no modo geral, os leitores) não sabia como Leandro tinha sido sacana (para não dizer outra coisa) com a Fabi. Eu achava que tinham tido um rolinho só antes de começarem a namorar, mas eles ficaram por ANOS e ele só enrolava, gente. Fora vários outros problemas que ela enfrentou com a sogra e por aí vai.

O que eu achei

Como eu falei antes, eu comprei o livro porque era da Fabi e nem tanto pela história, que eu achava já conhecer. Acabou que eu realmente devorei, talvez até por conhecer alguns fatos, eu ficava: “mas e aí, eu sei que eles terminaram em algum momento, quando que vai ser?”. E aí eu não queria mais parar de ler. No total, li em três dias – acho que foi um recorde, não me lembro de ter lido outro livro em menos tempo.

Eu gostei que, apesar de ter sofrido muito, ela diz o tempo todo que sempre teve certeza de que ele era o  homem da vida dela. E eu achei isso LINDO! Eu também sou muito intuitiva e já tive alguns desses episódios na minha vida, então, eu super me identifiquei com a Fabi, rolou mesmo uma conexão entre nós com esse livro (na verdade, só minha né, ela nem faz ideia de quem eu sou rsrs…).

E, bom, quem nunca sofreu por um boy? Quando ela chorava e ficava mal, eu também me lembrei de situações em que eu me senti exatamente assim. Quando ela ficava extremamente feliz por um momento simples, eu também me lembrava de situações assim. Como eu disse, é um livro muito real!

A única coisa que eu não gostei foi do final. O livro acaba meio no ar, mas ela diz que mudou muito. Só que ela não diz exatamente O QUE e COMO mudou, sabem? Fora que eu fiquei esperando para saber da reconciliação deles, do pedido de casamento, do fato deles terem começado a morar juntos… ela já prometeu uma continuação e eu quero muito, mas sei lá, achei que o livro terminou de repente.

Agora, o mais legal de tudo é que eu assisto aos vídeos mais recentes da Fabi, depois de saber de tudo, e parece que nós viramos amigas de verdade. Se eu já era fã antes, agora fiquei muito mais!

 

E vocês, já leram? O que acharam?

Um beijo e até o próximo post!

Retrospectiva | Os livros que eu li em 2018

Olá, pessoal! Mais um post de retrospectiva aqui no blog e, desta vez, vou falar sobre um assunto que eu gosto muito: livros. Eu realmente amo ler, especialmente aqueles romances bem de mulherzinha, e sempre tenho metas anuais em relação à quantidade de livros lidos.

Neste ano, eu deveria ler mais de 17 livros, só que não deu muito certo. Estava em outra pegada, me dediquei muito ao canal e aproveitei meu tempo livre escrevendo posts para o blog, gravando e editando vídeos. Acabou que eu não li da forma acelerada dos últimos anos, mas acho que é tudo fase. Senti que aproveitei melhor cada livro lido, sabem?

Bora conferir os livros que eu li em 2018?

Quase Casados – Jane Costello

Em 2016, li o livro Corra, Abby, Corra da Jane Costello e simplesmente AMEI, foi um dos meus favoritos daquele ano. Ganhei um vale presente de uma livraria no fim do ano passado e comecei a pesquisar alguns títulos, quando encontrei Quase Casados. Acabei comprando por ser da mesma autora e li com a expectativa lá em cima.

A história gira em torno de Zoey, uma mulher que é abandonada pelo noivo na porta da igreja e que decide mudar de ares trabalhando como babá nos Estados Unidos. As crianças são uns amores, mas o pai delas é um workaholic grosso e sem tempo para os filhos. No geral, eu gostei e alguns momentos são bem engraçados, mas ainda sim prefiro o livro da Abby.

Guia Astrológico Para Corações Partidos – Silvia Zucca

Este livro estava na minha wishlist há muito tempo, mas só consegui comprar com esse vale presente que eu ganhei. Vocês sabem que eu sou doida por signos, então, fiquei com vontade de ler só pelo título. Ah, e é ficção, viu? Muita gente acha que é autoajuda, mas é um romance bem divertido.

A protagonista dessa história é Alice, que trabalha em uma emissora de TV e decide criar um reality show com 12 participantes, um de cada signo. No meio disso tudo, ela recebe a notícia de que seu ex vai se casar e que a empresa agora conta com um consultor para demitir funcionários antigos. Adorei ler um livro de uma autora italiana e ri muito em alguns momentos, mas achei tudo bem bobinho, sabem? Parece que faltou algo…

Ainda Sou Eu – Jojo Moyes

A Jojo Moyes é uma das minhas escritoras favoritas e eu sempre corro para ler os livros dela. Para quem não sabe, Ainda Sou Eu é a terceira parte da história de Lou, que nós conhecemos em Como Eu Era Antes de Você (tem o filme também, caso você não tenha lido). Eu já achava que a segunda parte – chamada Depois de Você – tinha sido desnecessária, mas mesmo assim quis ler este livro.

Nesta sequência, Lou desembarca em Nova York para trabalhar como assistente de uma mulher casada com um milionário. Em boa parte da história, acompanhamos o mundo de luxo na cidade, até que ela precisa se virar para começar de novo e lidar com o namorado, Sam. Bom, continuo achando desnecessário e é um livro BEM cheio de drama, com poucos momentos engraçados, mas foi legal saber como a Lou se redescobriu nesse novo momento.

Uma Noite com Grace Kelly – Lucy Holliday

Eu realmente adorei a saga da Libby Lomax, que começou no livro Uma Noite com Audrey Hepburn. Estava doida para ler este livro, que é a conclusão da série, e esperei por mais de um ano, só para não acabar logo. Vocês também são assim?

Bom, nesta parte da história, Libby enfrenta dificuldades para manter seu negócio e precisa lidar com os sentimentos que nutre por Olly, seu melhor amigo. No meio disso tudo, ela encontra um milionário e se depara com uma nova figura ilustre em seu sofá: Grace Kelly. Eu gostei, mas achei que faltaram algumas cenas que a gente sempre teve curiosidade por ser o último livro da série, sabem?

Se Nada Der Certo Até os 30, Você Se Casa Comigo? – Karina Halle

Prêmio de história mais surpreendente do ano! Também estava com vontade de ler este livro há muito tempo e comprei em uma promoção, mas deixei para ler quando estava bem pertinho de completar 30 anos. Eu achava que seria uma história bobinha, mas, quando percebi, o livro toma outro rumo e fica parecido com Cinquenta Tons de Cinza, só pegação atrás de pegação.

A trama gira em torno de Stephanie e Linden, dois amigos que fazem um pacto de se casarem se estiverem solteiros aos 30 anos. Os anos se passam e ambos seguem em outros relacionamentos, até que eles não aguentam mais reprimir os sentimentos que nutrem um pelo outro e a paixão explode. Eu gostei, mas confesso que fiquei com vergonha em vários momentos rsrs…

Um Lugar Para Mim – Melissa de la Cruz

Também comprei este livro em uma promoção e minha escolha foi mais pela capa (é bem fofa, vai?). Acabou que li em um timing perfeito, prestes a embarcar de férias para os Estados Unidos. Isso porque a trama fala sobre Jasmine, uma adolescente nascida nas Filipinas que se muda para os Estados Unidos ainda pequena e descobre que está ilegal no país depois que ganha uma bolsa de estudos para cursar a faculdade.

No geral, achei que é um livro bem teen, até porque a Jasmine é adolescente e tem todos os dilemas de escola e primeiro amor que nós já enfrentamos um dia. Mesmo assim, é bacana para entender o outro lado da história, sabem? A gente acaba julgando os imigrantes ilegais, mas não pensa nos motivos que os levaram até lá. Vale a pena ler!

Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre? – Sophie Kinsella

Este livro é escrito pela Sophie Kinsella, uma das minhas autoras favoritas (a mesma que escreveu a saga da Becky Bloom). Ao longo da trama, conhecemos Sylvie e Dan, casados há dez anos e pais de gêmeas de 5 anos. Um belo dia, eles descobrem que ainda terão mais 68 anos juntos e começam a surtar, criando um projeto para fazer surpresas um para o outro.

O começo é bem divertido e você precisa segurar a risada, mas depois a gente descobre que o Dan tem um segredo e a trama acaba indo mais para o drama. Eu gostei e realmente nos prende, mas achei que fica pesado demais e perde o humor característico da Sophie Kinsella.

A Lista de Brett

Este livro é simplesmente LINDO! Várias pessoas já tinham me falado sobre ele, há muitos anos, mas eu acabava adiando e nem eu sei o motivo. Mas eu li no momento certo e é impressionante como a história fala justamente sobre isso. Em vários momentos, eu me pegava com o olho cheio de lágrimas (sou chorona, eu sei). O fato é que o livro me fez querer ser uma pessoa melhor!

A história fala sobre Brett, que acabou de perder a mãe e descobre que tem 12 meses para cumprir as metas de uma lista que ela escreveu para si mesma quando tinha 14 anos. Algumas são mais fáceis, mas outras envolvem outras pessoas (como casar e ser mãe). Se ela conseguir, receberá uma herança milionária. Parece bobinho, mas o livro fala sobre aproveitar todas as oportunidades da vida e viver de coração e olhos abertos porque a resposta para as nossas dúvidas pode estar mais perto do que imaginamos.

Você Acredita Mesmo em Amor à Primeira Vista?

Sou fã assumida da família Santina, vocês sabem. Já faz muitos anos que acompanho o processo do famoso livro da Fabi Santina e ele foi lançado neste ano. Comprei logo na pré-venda e me segurei para não ler tudo em 1 dia, porque é tão bom que você devora. Quando vê, metade do livro já foi embora. Sério, me surpreendeu muito, é extremamente real e eu me identifiquei demais com a Fabi.

No livro, ela conta a história dela com o Leandro, que hoje é seu noivo (e figura constante nos vídeos dela). Eu sabia que o lance deles sempre foi meio enrolado, mas não fazia ideia do tanto que ela sofreu insistindo nesse amor. E ó, ela foi muito esperta porque o livro termina meio no ar e ela já disse que vai lançar a parte 2. Vê se não demora hein, Fabi! Estamos curiosas!

Um Pequeno Favor

Já aconteceu de vocês só comprarem um livro por causa da versão cinematográfica baseada nele? Fui ver um filme, vi o trailer de Um Pequeno Favor e fiquei enlouquecida. No dia, até brinquei com uma amiga que poderia ter um livro dessa história, porque seria ótimo. Uma semana depois, estava passeando numa livraria e adivinhem, não é que tinha mesmo o livro? Comprei e comecei a ler no mesmo dia, tamanha a minha curiosidade.

A história começa sob o ponto de vista de Stephanie, uma mãe blogueira que está em busca de sua melhor amiga, Emily. que desaparece de forma misteriosa. A primeira parte é realmente muito boa e eu devorei, tentando descobrir o que tinha acontecido com a Emily. Só que depois o livro vira uma cópia de Garota Exemplar e embarca em uma verdadeira loucura que deixa a gente confusa. Para ser sincera, achei tão doido que eu não sei se gostei ou não rsrs…

Dando um Tempo

Marian Keyes é uma das minhas autoras favoritas e eu sempre me divirto com os livros dela. Fazia um tempo que ela não lançava um título, até que encontrei este aqui numa livraria e comprei no mesmo dia. Sério, foi um reencontro maravilhoso e eu estou amando cada página (sim, ainda estou lendo, até porque…são quase 600 páginas de história, imaginem!). Às vezes, eu até me seguro para ler pouquinho e não acabar rápido.

livro fala sobre Amy, uma mulher de 44 anos que sofre com a ausência do marido, que simplesmente pede um tempo para tirar um período sabático e viajar pela Ásia. Ela é mãe de três meninas e precisa se virar para dar conta de tudo. De repente, ela descobre que não só dá conta, como se descobre como uma nova mulher. Sério, é maravilhoso!

 

E você, quais livros leu neste ano?

Um beijo e até o próximo vídeo!