Posts em destaque

5 Destinos para conhecer no inverno

schneemannbauen_familie_hartkaiser_1

Julho chegou e muitas pessoas aproveitam o mês para tirar férias. Isso porque as escolas param e alguns pais levam seus filhos para passear. Quando somos crianças, é uma maravilha ter 30 dias de folga, mas depois a gente cresce e passa a dar muito mais valor para as tão sonhadas férias. Por isso, a dica é planejar o roteiro com muita atenção para não deixar nenhum detalhe de fora.

A principal dúvida é a escolha do destino. Afinal, o mundo é cheio de lugares lindos e fica difícil saber qual deles visitar. Para ajudar na missão, preparei um guia com cinco opções para aproveitar o friozinho com toda a família. Vamos lá?

Bariloche

bar1

Localizada na Argentina, é a pedida ideal para quem procura um local com muita neve. Acho que as paisagens ficam tão lindas quando estão branquinhas, não acham? Por mais gelada que sejam, as famosas montanhas de Bariloche são muito visitadas no inverno por famílias que querem se arriscar nos esportes típicos da estação, como esqui e snowboard. O melhor de tudo? Nem precisa sair do continente para chegar. Bastam algumas horas de avião para aterrissar.

Santiago

slide1

Ainda na América do Sul, um dos melhores destinos para visitar nesta época é a capital do Chile. Com muito verde, tem um quê de Europa e diversos passeios. Além dos parques com vistas incríveis, oferece passeios a vinícolas que são indispensáveis para quem gosta de tomar uma taça de vinho no inverno. Turistas que pisam lá pela primeira vez normalmente reservam um dia para conhecer as cidades vizinhas. E, por fim, Santiago tem shoppings imensos e perfeitos para fazer compras. E digo por experiência, viu? Fui para lá duas vezes e sempre recomendo.

Nova York

Top-10-Free-Things-To-Do-In-New-York-City-This-Summer1

Todo mundo sabe que as estações no hemisfério norte são ao contrário das nossas. Ou seja, enquanto estamos no inverno, eles estão no verão. Por isso, quem sonha em ver Nova York coberta de neve deve embarcar entre os meses de dezembro e fevereiro. Vale a pena esperar porque a metrópole é mesmo linda no frio. Além da neve, oferece a tradicional pista de patinação no gelo e espetáculos exclusivos para comemorar o Natal. Mas, se preferir uma temperatura mais agradável, a diversão vai ser a mesma, com muitas compras, musicais e comida boa.

Londres

wiki-800px-Hdr_parliament

A regra é a mesma de Nova York. Quem quer ver neve e decorações natalinas deve embarcar durante o verão brasileiro. Apesar de ser mais charmosa no inverno, Londres é cheia de atrativos em qualquer época do ano. Os museus, entre eles a matriz do Madame Toussaud’s (famoso pelas esculturas de cera), são maravilhosos e não dá para ir embora sem visitar os principais cartões-postais, como a roda-gigante London Eye, o Big Ben e o Palácio de Buckinghan. Aliás, a gente bem que gostaria de ver a Kate Middleton andando por aí…

Campos do Jordão

Campos-do-jordão

Não vai dar para viajar para muito longe neste inverno? Sem problemas. A dica é aproveitar um fim de semana e conhecer o charme de Campos, localizada a cerca de duas horas da cidade de São Paulo. O clima de montanha oferece temperaturas bem baixas na alta temporada, passeios ao ar livre, muita natureza e comidinha gostosa para esquentar (entenda como fondue, chocolate e outras delícias). Gostou da ideia? Clique aqui e saiba mais.

[Especial Califórnia] O que fazer em San Francisco

imageFinalmente encontrei um tempinho para escrever sobre a minha última parada na Califórnia. Descobri que o fato de demorar para postar não tem a ver apenas com a correria do dia a dia, mas porque ando com uma saudade enorme desta viagem. Até mesmo a escolha das fotos já dá aquela dorzinha no peito. E agora, praticamente um mês depois de voltar de lá, posso dizer com toda a certeza que San Francisco é mesmo especial. Rolou uma pressão porque todo mundo (juro, todo mundo sem exceção) me disse que a cidade era linda e que eu iria adorar. Estava completamente apaixonada por San Diego e costumo ser do contra, então rolou um medinho de eu não gostar. Mas, aos poucos, percebi que isso é impossível. A cidade é incrível e eu explico agora os motivos:

Charles M. Schulz Museum (Museu do Snoopy)

image

Certo, o primeiro item deste post não é em San Francisco. Mas foi uma das primeiras coisas que fiz quando cheguei por lá, então resolvi compartilhar. Fãs do Snoopy e de toda a turma das tirinhas Peanuts não podem deixar de visitar o museu criado em homenagem ao desenhista Charles M. Schulz, criador dos quadrinhos. O espaço fica em Santa Rosa, pouco mais de uma hora de San Francisco, e traz alguns detalhes sobre os personagens e uma reprodução extremamente fiel da escrivaninha de Schulz. Logo ao lado do museu há um café (que o próprio cartunista gostava de frequentar) e uma pista enorme de patinação. Além disso, existe uma lojinha temática. Experimente sair de lá sem ao menos uma sacolinha. Eu não consegui…

Sonoma/ Napa Valley

image

Além do céu azul e da natureza abundante, a Califórnia também é conhecida pelos ótimos vinhos. Por isso, visitar uma vinícola é um item obrigatório em qualquer roteiro. As principais produções ficam entre as regiões de Sonoma e Napa Valley. Nós fomos na vinícola do Francis Ford Coppola, que, para quem não sabe, é um dos maiores cineastas do mundo (a trilogia O Poderoso Chefão, por exemplo, é dele). O lugar é muito bonito, com clima de campo, e funciona como clube no verão. Dá para pagar uma diária e curtir a piscina. O tour, apesar de rápido, dá acesso ao processo de fabricação dos rótulos e ainda permite a degustação de quatro vinhos (já adianto: gostei de todos). Vale esticar o passeio com um almoço no restaurante da vinícola. No menu, receitas típicas da culinária italiana. Recomendo o calzone, que é maravilhoso!

Pier 39

image Não tem jeito: qualquer turista que vá a San Francisco pela primeira vez tem que passear pelo Pier 39. Além de lojinhas com todos os tipos possíveis de souviniers – tem até pet shop chiquetosa – o espaço conta com restaurantes variados, carrossel e uma das maiores concentrações de leões marinhos da Califórnia. Eles se refugiaram lá após o terremoto de 1989 e não saíram mais. São tão bonitinhos que eu poderia passar horas observando os bichinhos brincando. Não sei vocês, mas eu sempre me perguntei o porquê de terem escolhido o Pier 39 para virar ponto turístico. Acontece que a presença dos leões marinhos impedia a chegada de navios e, com isso, ele foi transformado em uma espécie de shopping a céu aberto.

Fisherman’s Wharf

image

Bem próximo ao Pier 39, fica outro cartão-postal da cidade. O Fisherman’s Wharf funciona como um mercado, em que são vendidos (adivinhem só) diversos frutos do mar. Não há muita coisa a fazer por lá, mas vale a pena escolher um restaurante. Eu recomendo a Boudin, padaria-boutique que vive lotada. Conhecida por fazer pães fresquinhos, oferece aquele sopa bem quentinha dentro do pão italiano. Eu pedi o creme de tomate e AMEI!

Passeio de bondinho

image

O que eu mais queria fazer em San Francisco era passear de bondinho. Sim, aquele famoso bondinho que sobe e desce ladeiras pra lá de íngremes. Fomos logo no nosso primeiro dia e bem cedinho porque as filas ficam enormes. O tíquete custou cerca de 7 dólares, mas é possível comprar um passe que dá acesso a todo tipo de transporte público. Os bancos externos são os mais disputados, então é bom ficar esperta para garantir um lugar. Como não tínhamos um destino certo, fizemos o trajeto todo da linha, saindo do Ghirardelli Square e indo até a Market Street. Achei incrível porque o bonde para no meio da rua para que outros passageiros possam subir ou descer. O visual é aquele dos filmes mesmo, bem charmoso. Passeio imperdível!

Golden Gate

image

Outro local que eu eu queria muito visitar era a famosa ponte Golden Gate. Tinha visto tantas fotos e vídeos da ponte que eu queria saber se ela era mesmo especial. E é viu, gente! A construção é impactante. Para terem uma ideia, a travessia de carro demora mais de dois minutos. Normalmente, ela fica encoberta e raramente é vista assim, com céu azul. Eu tentei tirar foto antes, mas o dia estava cinza e eu não estava 100% feliz com o resultado. O tempo em San Francisco, aliás, é dessa forma: nublado de manhã e ensolarado à tarde. Por isso, experimente passar pela ponte no final da tarde. As chances de conseguir um visual como este aí em cima são muito maiores!

Salsalito e Tiburon

image Ao cruzar a Golden Gate, você terá acesso a duas cidadezinhas extremamente charmosas: Salsalito e Tiburon. A primeira é menor e tem casinhas em cima dos morros, característica que oferece uma atmosfera campestre. A segunda é mais chique e tem um custo de vida mais elevado. Vale reservar algumas horinhas da manhã e passear de carro pelas cidades. Gostei tanto das duas que não sei dizer qual é a minha preferida.

Alcatraz

image

Nem todo mundo sabe, mas há uma construção bem no meio da baía de San Francisco que funcionou, até os anos 60, como o principal presídio de segurança máxima dos Estados Unidos. As operações por lá foram desativadas, mas o prédio continua aberto e recebe diversos tours diariamente. O passeio é narrado por ex-funcionários, que ajudam a mostrar todos os detalhes do espaço. E olha só que boa notícia: tem traduções em milhões de idiomas, incluindo o português. É muito legal, bem feito e chega até a dar medo em algumas partes. Vale MUITO a pena!

Lombard Street

image

Uma das ruas mais tradicionais da cidade, a Lombard tem um trecho sinuoso que permite um trajeto muito interessante para carros. As curvas fechadas são decoradas com jardins lindos e muito floridos. O colorido dá um charme especial e a paisagem é maravilhosa inclusive para quem desce a pé. Difícil mesmo é subir depois…

Alamo Square

image

San Francisco também é conhecida pelas casas coloridas, com janelas do tipo bay window. Um dos locais onde é possível avistar essas construções é o tradicional Alamo Square. Ao contrário do que eu pensava, as casinhas ocupam apenas uma parte do quarteirão, mas oferecem uma das vistas mais interessantes da cidade. Olha que bacana avistar essas construções e os prédios modernos lá atrás. Fora que há um parque muito gostoso por lá. Vale a pena reservar pelo menos dez minutinhos para dar uma voltinha!

Market Street

image

Eis aqui um paraíso para nós, mulheres consumistas. A Market é O lugar para fazer compras. Começo dizendo que ela abriga uma das maiores unidades da Forever 21 que eu já vi na vida. São três andares de perdição e loucura, a ponto de eu ter que desistir de olhar tudo para evitar estragos financeiros. É lá que fica também o Westfield, shopping mara com lojas bacanudas – Aéropostale, Victoria’s Secret e H&M são alguns exemplos – e escadas rolantes circulares (não sabia que existiam coisas do tipo até então). Termine o passeio com uma visitinha na Macy’s e suba até o último andar, onde fica uma unidade da The Cheesecake Factory. Aí é só escolher um sabor (ou vários) e se inspirar com a vista.

_________________________________________________

Gostou do post? Clique aqui para conferir os outros textos do Especial Califórnia.

[Especial Califórnia] O que fazer em Los Angeles

IMG_2681[1]

Depois de deixar Anaheim, cidade em que ficam os dois parques do complexo Disney na Califórnia, meu próximo destino foi Los Angeles. Contei aqui antes que Los Angeles me deixou um pouco decepcionada e acho que o principal motivo foi o trânsito intenso. A distância entre as duas cidades é de aproximadamente uma hora e o fluxo na estrada começou a ficar mais pesado assim que os prédios grandes começaram a aparecer. O que a gente não imaginava é que o engarrafamento por lá existe em qualquer dia e horário, inclusive aos finais de semana. Por essa razão, Los Angeles me lembrou um pouco São Paulo. Mas, assim como a maior cidade brasileira, tem muita coisa para fazer por lá. Quer ver?

Camarillo Premium Outlets

camarillo-outlets

Brasileiro que é brasileiro adora viajar e conhecer novos lugares, mas ama mesmo quando para em um outlet. E para quem acha que não existe um local bom para fazer compras baratas na Califórnia, aqui vai uma ótima informação: o Camarillo é simplesmente o maior outlet que eu já vi na vida. Sério, tem até cinema e escola lá dentro! Localizado a cerca de 1 hora e 20 minutos de Los Angeles, tem lojas muito boas e conhecidas por nós como Adidas, Asics, Diesel, Forever 21, Kate Spade, Gap e por aí vai. Essa parada é obrigatória, pois garante preços ótimos e aqueles cupons de promoção que a gente tanto gosta. Vale MUITO a pena!

Warner Bros. Vip Tour

IMG_2560[1]

IMG_2583[1]IMG_2601[1]

Quando a gente pensa em Los Angeles, a primeira coisa que vem à cabeça é a grandiosa produção de filmes. Então, fizemos nossa inscrição no tour vip dos estúdios da Warner Bros. (um dos melhores por lá) daqui do Brasil para garantir que participaríamos do passeio. É muito bacana porque a visita começa do lado externo e nos possibilita ver todas as construções falsas usadas para fazer filmes e séries bem conhecidas, como Big Bang Theory. Depois, a gente pode ver os figurinos que ficam no acervo. Neste ano, o Batman comemora 75 anos, então a Warner preparou diversas homenagens e dedicou um andar inteiro para as produções cinematográficas do super-herói. O que eu mais gostei? De ver bem de pertinho as roupas usadas pelo Heath Ledger como o curinga, um de seus últimos papéis antes de morrer. Fãs da saga Harry Potter também vão amar o segundo andar, que conta com figurinos e objetos utilizados nos filmes. Dá até para colocar o chapéu seletor e saber a qual casa você pertenceria – eu, por exemplo, seria da Grifinória (adorei!).

O tour não para por aí e convida os visitantes a entrarem na gigantesca sala de objetos que são utilizados e alugados para os filmes e também podemos entrar em alguns estúdios onde são gravadas as séries. Não sei vocês, mas eu sempre achei que aquelas risadas de seriados eram falsas. Pois elas são verdadeiras e de gente como nós, que adquire ingressos pela internet e assiste às gravações (tipo de programa que vale muito para quem curte séries de comédia).

Amoeba Music

IMG_2675[1]

Quem gosta de música e de comprar CDs deve saber que a maior loja de discos fica em Los Angeles. Trata-se da Amoeba Music, que tem mais de 2 mil m² (isso mesmo!). É tão grande que tem até um espaço reservado para música brasileira. Além de CDs, a loja vende vinis, filmes, camisetas de bandas e bonecos. Confesso que eu fiquei um pouco sem saber o que fazer em um espaço tão gigante e fiquei com preguiça de procurar algo por lá. Mas, se estiver em busca de música para trazer ao Brasil, este será o melhor lugar da viagem!

Hollywood

IMG_2679[1]

Chegamos à parte mais polêmica deste post. Sempre tive curiosidade em conhecer Los Angeles e sempre me imaginei passeando em Hollywood. Cresci vendo as transmissões do tapete vermelho do Oscar e achava que o bairro era puro glamour. A verdade é que a história não é bem assim. As celebridades não moram por lá e é muito comum esbarrar em moradores de rua ou naqueles atores recém-chegados, que se vestem de Elvis, Marilyn Monroe e até nos Transformers para ganhar trocados dos turistas. Apesar de ser um local sujo e zero pomposo, vale a pena para quem está lá pela primeira vez. Tem um shopping bacana onde dá para ver o famoso letreiro e fazer uma foto (como esta aí de cima), ver as estrelas da calçada da fama, as mãos das celebridades, o teatro onde o Oscar é realizado e o teatro chinês.

Beverly Hills

IMG_2669[1]IMG_2672[1]

Um dos bairros mais chiques de Los Angeles, é aqui que moram algumas celebridades. Existe um tour que passa na frente de algumas casas habitadas por famosos, mas eu não fiz por um problema de tempo. Se você for ficar bastante tempo na cidade, vale a pena se aventurar na experiência. Mas, se tiver apenas alguns dias, a dica é passear nas ruas de carro e sem rumo. Dá para se impressionar com o luxo das mansões e imaginar quem mora nelas.

Universal Studios

IMG_2735[1]

Ia fazer um post especial sobre o parque, que também existe em Orlando, mas ele é tão pequeno que dá para explicar por aqui. A maioria das atrações também existe na Flórida, como Meu Malvado Favorito, Shrek 4D, Transformers e Jurrasic Park. O destaque fica por conta da montanha-russa da Múmia, que é TOTALMENTE DIFERENTE. Muito mais assustadora, com direito a mãos de múmias parando a pouco centímetros da sua cabeça, tem trajeto que envolve descidas e curvas rápidas e trilho que vai e volta. É sensacional e imperdível!

IMG_2764[1]

A grande atração é o tour pelos estúdios, utilizados em filmes e séries de verdade. Além de visitar cenários, dá para ver carros usados em longas e mais bacana é que o trajeto envolve atrações espetaculares, como o cinema 3D do King Kong, uma sequência de terremoto dentro de uma estação de metrô, tubarões e até Norman Bates, o astro do filme Psicose. Uma delícia e muito divertido!

The Grove

IMG_2829[1]

Algumas celebridades escolhem o The Grove para fazer compras e almoçar ou jantar. Shopping extremamente luxuoso, tem lojas renomadas, como Forever 21 e uma unidade gigante da livraria Barnes and Nobles e outra do restaurante delícia The Cheesecake Factory. O mais legal é que tem um bonde que passa lá dentro (pois é). Aqui sim é puro glamour! Vale passar por aqui para conhecer o local, que é uma graça!

Santa Monica e Venice Beach

IMG_2900[1]

Se Los Angeles não foi tudo aquilo que eu esperava, Santa Monica foi uma surpresa muito agradável. Estava morrendo de saudade do clima de cidade de praia de San Diego e senti a mesma paz quando pisei no famoso píer, aquele que tem um mini parque de diversões, com montanha-russa e roda gigante. O visual é incrível para tirar fotos e buscar inspiração. A clássica praia de Venice fica ao lado. Eu tinha pouco tempo, então só passei de carro. Quem tiver mais disponibilidade pode passear e até tomar um solzinho. Eu recomendo e estou até pensando em me hospedar na região da próxima vez!

[Especial Califórnia] 6 motivos para conhecer o parque California Adventure

IMG_2413[1]

No último post, falei (quase) tudo sobre a Disneyland. Hoje é dia de falar sobre o California Adventure, o segundo parque do complexo da Disney em Anaheim, na Califórnia. Para quem já foi a Orlando, esse parque é bem parecido com o Hollywood Studios (meu favorito por lá), mas também tem algumas áreas que me lembraram muito o Animal Kingdom. Eu estava curiosíssima para conhecer o local porque já tinha visto alguns vídeos das atrações no Youtube e ele me parecia diferente de tudo. De fato, é um parque extremamente gostoso com brinquedos para todas as idades. Eu amei de verdade e digo com certeza que ele virou o meu preferido entre todos os parques que eu já visitei, incluindo os da Flórida. Vamos saber mais sobre?

1. É um dos parques mais recentes de todo o complexo Disney

Mapa do parque

Mapa do parque

Inaugurado em 2001, o California Adventure foi construído em um espaço anteriormente usado como estacionamento e é um dos parques mais novos de todos o complexo Disney no mundo (para quem não sabe, a Disney também tem parques em Paris, em Tóquio e em Hong Kong). Apesar de ser uma delícia, o local enfrentou sérias dificuldades após a inauguração. Acontece que ele tinha poucas atrações para crianças e o número de visitantes era menor do que o esperado. Em 2007 foi feita uma grande reforma com a inclusão de novas áreas temáticas com brinquedos para os pequenos e o resultado agradou a todos. E vale lembrar: fica ao lado (ao lado mesmo) da Disneyland e a divisão é feita pelo centrinho de compras Downtown Disney. Praticidade na certa!

2. Talvez seja o parque mais radical da Disney

Esse pontinho rosa sou eu, lá no alto da montanha-russa

Esse pontinho rosa sou eu, lá no alto da montanha-russa

Justamente por ter sido considerado um parque para adultos, o California Adventure tem atrações muito legais para quem, assim como eu, adora sentir adrenalina. Amo os parques de Orlando, mas sempre sinto falta de uma montanha-russa mais radical. Pois bem, aqui nós temos a California Screamin’, uma montanha-russa de madeira – com trilho de aço – que começa acelerando em questão de segundos e tem um looping generoso (vale a pena assistir ao vídeo).O parque tem ainda a montanha-russa do Pateta, que é para todas as idades – não consegui ir por causa da fila. Vale pegar o fast pass para chegar ao brinquedo mais rápido!

3. Tem o brinquedo mais legal do mundo (ao menos na minha opinião)

IMG_2388[1]

IMG_2496[1]

Minhas reações dentro da roda gigante

Não poderia deixar de fora a Mickey’s Fun Wheel, que, para mim, é o brinquedo mais legal de todos os que eu já andei na vida. O diferencial fica por conta das cabines que balançam. Tinha visto alguns vídeos e achava que era algo inofensivo, mas a verdade é que elas balançam MUITO! É quase como um barco viking. Eu não fiquei com medo, mas senti aquele friozinho gostoso na barriga. Vi algumas pessoas morrerem de medo (inclusive minha mãe) principalmente por não ter nenhum lugar para segurar. Então, se esse for o seu caso, recomendo as cabininhas que não balançam. Para as corajosas, eu reafirmo que é a coisa mais deliciosa deste mundo. Veja mais aqui.

4. Tem um hotel dentro

Nesta foto, o parque ainda não tinha sido reformado, mas dá para ter uma ideia da (super) proximidade

Nesta foto, o parque ainda não tinha sido reformado, mas dá para ter uma ideia da (super) proximidade

Assim como acontece em Orlando, os parques da Califórnia também contam com alguns hotéis dentro do complexo. Mas um deles é realmente dentro do California Adventure. Trata-se do Grand Californian, que tem inclusive uma saída que dá direto no parque. Imagine que legal abrir sua janela e ver o pessoal se divertindo nas atrações. Eu não fiquei lá, mas garanto que deve ser uma delícia assistir aos shows noturnos com todo o conforto necessário ou ter uma visão pra lá de especial de todo o parque. Por outro lado, penso que o barulho deve ser frequente. Quem sabe me hospedo lá da próxima vez para saber?

5. Traz os brinquedos mais legais de Orlando em um único parque

IMG_2401[1]

O que eu mais gostei no California Adventure é que ele reúne algumas das minhas atrações favoritas de Orlando, como a Hollywood Tower Hotel (foto acima), o simulador de asa delta Soarin’ e o game interativo Toy Story Mania. A torre do terror, como eu apelidei, é beeem diferente e, na minha opinião, mais legal. O elevador aqui abre mais vezes e em uma das paradas mostra um espelho no qual nós somos transformados em fantasmas. E ele não anda quando chega no topo. Pelo contrário, fica parado e totalmente no escuro, o que causa um leve e gostoso pânico antes da descida.

Outra atração imperdível é o Radiator Spring Racers, uma espécie de Test Track do parque Epcot, só que toda com a temática do filme Carros. Seu carro faz um trajeto pela cidade do desenho para então passar por testes e disputar uma corrida com outro carro a toda velocidade. É TÃO legal que a fila é quilométrica. Para terem uma ideia, nem tínhamos almoçado quando pegamos nosso fast pass e o horário de retorno era para as 17:30. A área Cars Land, inclusive, é uma das que eu mais gostei e totalmente válida para os fãs do filme. Ficou na curiosidade? Clique aqui para saber mais sobre o brinquedo.

6. World of Color

IMG_2492[1]

O California Adventure não tem fogos de artifício, mas um show muito lindo na água. Chamado de World of Color, projeta cenas dos principais filmes da Disney por meio de jatos coloridos na lagoa em frente à roda gigante, que também recebe iluminação especial. O show lota e é bom chegar pelo menos uma hora antes para pegar um lugar bacana. Mas, se você estiver em busca de conforto, vale a pena fazer o pacote Dining, que inclui um jantar com menu especial em alguns restaurantes e ingresso para a área vip. E põe vip nisso! Ficamos no espaço mais próximo da água com pouquíssimas pessoas na nossa frente. Isso porque chegamos apenas alguns minutos antes da apresentação. Então, a comodidade é 100%. Super recomendo essa experiência!

Por fim, vale dizer que o California Adventure é um parque mais compacto, porém com número maior de atrações do que a Disneyland. Tem uma área exclusiva para crianças e locais para encontrar personagens (incluindo a turma do filme Frozen), mas eu acredito que agrada mais adolescentes e adultos. De qualquer maneira, virou meu xodó. Não vejo a hora de voltar!

[Especial Califórnia] O que fazer em San Diego

IMG_2049[1]

Ontem comecei a série de posts especiais sobre a Califórnia e hoje passo a falar mais detalhadamente das cidades que visitei nas últimas semanas. A primeira parada foi San Diego, que, por sinal, foi o meu lugar favorito de toda a viagem. Localizada bem ao sul dos Estados Unidos, fica pertinho da fronteira do México. Por isso, quase todo mundo lá fala espanhol.

Pegamos o vôo que sai aqui de São Paulo e vai direto a Los Angeles e, de lá, alugamos um carro para chegar em San Diego. O caminho dura cerca de uma hora e meia e a estrada tem paisagens que deixam qualquer pessoa encantada. Chegar de uma viagem longa e ver montanhas, visual de deserto, casinhas chiques no alto do morro e o mar já mostra que a cidade é mesmo especial. Por sinal, lá tem sol quase que o tempo todo. O clima é muito gostoso, de verdade!

O fuso horário da Califórnia tem uma grande diferença com o nosso e está quatro horas para trás. No começo do ano, quando o Brasil está em horário de verão, eles estão em horário de inverno e o relógio deles fica seis horas para trás do nosso. O começo é estranho: nos primeiros dias a gente acordava às 5 da manhã e tinha sono lá pelas 9. O mais engraçado era ligar o facebook e perceber que o pessoal aqui estava saindo para jantar enquanto a gente tinha acabado de almoçar.

Five Guys

IMG_1624[1]

Nós chegamos em San Diego por volta das 11 da manhã e estávamos com fome. Então, depois de deixar as malas no hotel, fomos comer no Five Guys, que vem a ser o meu hambúrguer favorito de todos os tempos. Quem está acostumado a ir a Orlando, sabe que tem várias unidades na rede (como direto quando estou por lá). Na Califórnia, o Five Guys só existe em alguns lugares. Das cidades grandes, a única que conta com essas delícias é San Diego.

Lá, o Five Guys fica em uma avenida bem movimentada e próxima à praia. O que eu mais gosto é a possibilidade de montar seu lanche com o que você gosta. Eu gosto do sanduíche simples com pão, carne e queijo e lá consigo comer exatamente desse jeito sem o menor problema. Além da carne ser maravilhosa, a porção de batatas é gigaaante e vem um copo enorme. Na hora a gente pensa que é impossível comer tudo, mas acredite: é tão bom que a gente come com prazer. Super recomendo essa parada. Não dá para ir embora sem passar por lá!

Ir à praia

IMG_1662[1] IMG_1634[1]

San Diego tem sol, verde e muito mar. Por isso, vale a pena visitar pelo menos uma das diversas praias da cidade. Nós escolhemos a Pacific Beach – que por sinal fica perto do Five Guys – e fomos até lá logo no primeiro dia. Assim como outras praias dos Estados Unidos, ela tem um píer bem comprido que permite caminhar por cima do mar. Amei as casinhas que ficam logo no começo e que são alugadas como hospedagem, principalmente durante o verão.

IMG_1677[1] IMG_1694[1]

Não sei vocês, mas um dos meus sonhos era molhar meus pés no Oceano Pacífico. Já saí daqui de São Paulo obrigando minha mãe a me levar à praia só para isso. A prova está aí em cima (sim, a água é gelada a ponto de doer os ossos dos pés). E olha que bacana: não tem o menor problema ir de calça para a praia. Aliás, o pessoal lá curte mais ficar na areia tomando sol ou praticando esportes enquanto os surfistas é que encaram o mar frio. Por isso, digo e repito: se você também quer dizer às amigas que pisou no Pacífico, aqui está sua melhor chance.

Old Town

IMG_1729[1]IMG_1730[1]

Por estar próxima à fronteira com o México, San Diego é considerada o berço da Califórnia. É lá que a colonização começou. Apesar de hoje pertencer aos Estados Unidos, a cidade ainda carrega traços de sua história e o bairro Old Town é o principal deles. É um passeio divertidíssimo e apresenta diversas atrações, como casinhas típicas do velho oeste que vendem artesanatos e produtos típicos do México. Além disso, tem um palco em que cantores da região podem se apresentar e fazer todo mundo “bailar”.

Mas o que eu gostei mesmo foi da gastronomia. Curto muito os restaurantes mexicanos que fazem sucesso aqui no Brasil, mas sei que não é bem o que eles comem de verdade no México. Então, rolou um certo medinho quando a gente se acomodou em um restaurante em Old Town. Ao contrário do que eu pensava, as fajitas estavam óóóótimas e as margaritas são geladinhas do jeito que a gente gosta e em um copão gigante!

San Diego Zoo

IMG_1736[1] IMG_1742[1] IMG_2056[1]

O zoológico de San Diego é reconhecido internacionalmente como um dos melhores no quesito respeito à vida animal. Isso não significa apenas que são bem tratados. Mais do que isso, podem conviver tranquilamente sem jaulas e com outras espécies (os lobos, por exemplo, vivem e brincam com os cachorros) e os estudiosos trabalham constantemente para prolongar uma espécie e estimulam cruzamentos de forma natural. Experimente seguir a página do zoológico no Facebook para ver tudo que fazem.

Gigantesco, abriga 3.700 animais dos mais variados tipos. Para terem uma ideia, vi até alguns diabos da tasmânia e achei todos muitos fofos. A novidade do zoo é a área chamada de Koalafornia (aliás, achei o trocadilho GENIAL) que, claro, apresenta um grande número de… Koalas! Sim, minha gente, vários koalinhas lindos. O problema é que eles passam a maior parte do tempo dormindo, então é normal vê-los com as cabeças encostadas nos troncos das árvores.

Conta também com espécies mais tradicionais, como girafas, zebras, rinocerontes, hipopótamos e elefantes. Por sinal, eles abrigam um elefante que, por sorte, ainda mantém suas presas de marfim. Isso é muito, mas muito raro. Para conseguir ver tudo, minha sugestão é pegar o teleférico. O passeio vale muito a pena pois permite ver as árvores lá do alto (inclusive o espaço das aves) e uma vista especial da cidade.

Seaport Village

IMG_2006[1] IMG_2037[1]

O Seaport Village é um espaço ao ar livre localizado às margens do mar e mistura área para caminhar e correr, restaurantes e centro de compras. Achei bacana porque fica bem no centro da cidade e dá para ter outra visão. As pessoas são mais chiques e urbanas. Em um lado, fica uma marina com barcos e iates que fazem inveja em qualquer pessoa e, do outro, as lojinhas. Os produtos vendidos são mais turísticos, então dá para encontrar um presente ou uma lembrança especial da cidade. Nós fomos no pôr-do-sol (aliás, lá escurece beeem tarde, lá pelas 20:30) e o visual foi extremamente inspirador.

Ballast Point

IMG_2055[1]

Essa é uma parada obrigatória para quem gosta de cervejas. Fábrica local, a Ballast Point fica no bairro de Little Italy e produz os melhores rótulos da região. A Sculping, por exemplo, foi premiada dez vezes como a melhor do tipo IPA. Aqui vai uma confissão: adoro, adoro mesmo, essas cervejas artesanais, então fiz questão de provar. E realmente ficou entre as minhas favoritas. A Ballast também proporciona aos consumidores uma brincadeira bem bacana e oferece um kit degustação (esse da foto) com doses de cervejas criadas pelos próprios funcionários. Depois de beber, entra a parte de avaliar com notas quesitos como sabor, cor, aroma e por aí vai. As melhores passam a entrar no menu da fábrica. E quem estiver com fome ainda pode pedir o cheeseburger que é maravilhoso!

Sea World

IMG_2114[1] IMG_2146[1]

Como falei no post anterior, sei que muita gente critica o Sea World por causa do documentário Black Fish, que acusa o parque de supostamente maltratar os animais. Em duas vezes, tive a oportunidade de conhecer os bastidores do Sea World e vi que a história não é bem assim. Eles super se preocupam em preservar a vida marinha e inclusive promovem resgates na região. Então, recomendo muito a visita neste parque que, para mim, é infinitamente melhor do que o de Orlando.

Nós fomos em uma terça e o parque estava completamente vazio. Não pegamos fila para absolutamente nada e conseguimos ir em todas as atrações ainda na parte da manhã. A entrada já é mais bacana do que a de Orlando. Estruturas em vários tons de azul fazem com que a gente realmente sinta que está entrando no oceano. E tem mais: o parque foi construído às margens do mar. É só olhar o visual da foto ali de cima para comprovar: com um cenário assim, o local é mesmo especial.

 IMG_2088[1] IMG_2117[1]

IMG_2123[1]

O que eu mais gosto em parques temáticos são as atrações, então vamos começar pelo Journey to Atlantis. Se você já foi ao parque de Orlando, deve estar pensando que lá tem um brinquedo igual. Ele pode até parecer, mas é muito, muito, MUITO melhor. O de San Diego não tem bonequinhos na parte interna da construção. É uma montanha-russa aquática de verdade.O carrinho já começa subindo horrores e é encaminhado para essa descida da foto. Mas depois ele sobe de novo de um jeito muito criativo (que eu não vou contar para não estragar a surpresa). É um dos meus brinquedos favoritos de todos os tempos.

O teleférico é lindo porque passa em cima do mar e é bem alto, o que permite ter uma visão única da cidade. Eu já estava apaixonada por San Diego, mas depois disso fiquei ainda mais. E o legal é que você vai e volta, sem precisar descer em uma parte desconhecida do parque.

Por fim, a Manta, que tem o mesmo nome da de Orlando, mas não funciona com os passageiros deitados. Isso tinha me deixado um pouco desanimada quando ocupei meu lugar, mas o sorriso veio em questão de segundos. Logo no início, somos transportados para um local em que um telão acende e mostra uma raia gigante te puxando. O carrinho, lógico, arranca em alta velocidade. Diversão pura. Fui três vezes, duas seguidas e todas na primeira fileira (parque vazio dá nisso, né?). Imperdível para fãs de adrenalina.

Fashion Valley

Esta foto é do site do shopping. Estava tão empolgada fazendo minhas compras que esqueci de tirar uma foto para compartilhar por aqui

Esta foto é do site do shopping. Estava tão empolgada fazendo minhas compras que esqueci de tirar uma foto para compartilhar por aqui

Atenção, consumistas! San Diego tem um dos shoppings mais bonitos que eu já conheci. Ao ar livre, o Fashion Valley tem mais de 200 lojas e entre elas estão as que moram nos nossos corações, como Forever 21, H&M, Apple, Victoria’s Secret, Charlotte Russe, M.A.C., Kate Spade e por aí vai. Importante dizer que não é outlet e que os preços são um pouquinho mais caros, mas vale a pena para procurar aqueles itens difíceis. Ou então para fazer uma refeição especial. Só para deixar vocês com água na boca: lá tem The Cheesecake Factory, que vem a ser um dos melhores restaurantes do mundo – saudade eterna do cheesecake de oreo!

La Jolla

IMG_2171[1] IMG_2210[1]

Nossa última parada em San Diego foi o bairro de La Jolla (pronuncia-se “La Rôia”), que é mais distante e com custo de vida mais elevado. As principais ruas são cheias de lojinhas bacanas – tem uma da Benefit – e restaurantes para todos os tipos de paladares, mas o gostoso mesmo é ir de dia para passear pela praia. Já não basta ser um lugar lindo, daqueles que enchem nossos olhos, La Jolla ainda é ocupada por leões marinhos, as minhas paixões. E lá você consegue descer até aspedras e vê-los bem de pertinho. É tão gosto ver animais em seus habitats! Deu até ânimo para continuar a viagem!

Como falei várias vezes, San Diego é linda e foi a minha cidade favorita da viagem.Tive a sensação de estar em casa. E confesso: chorei um pouquinho na hora de ir embora. Ou seja, vou ter que voltar – o que não vai ser nada difícil 🙂