Posts em destaque

Meus produtos favoritos para tirar a maquiagem

Olá, pessoal! Vocês sabem que a gente tem que tirar a maquiagem antes de dormir, né? Sei que parece óbvio falar isso, mas também sei que a preguiça reina em alguns dias e a vontade é de pular direto na cama. Bom, acontece que dormir maquiada pode entupir os poros, aí é um passo para ficar com a pele mais irritada e sensível, além de aumentar as chances de ter envelhecimento precoce.

Eu sempre amei maquiagem e cresci com a minha mãe falando para tirar tudo antes de dormir. É um ritual que eu tenho desde pequena, mas eu costumava só aplicar o demaquilante e fim. Aplicar não, eu pressionava e esfregava (especialmente nos olhos) até ter certeza de que tinha saído tudo. E mesmo assim, acordava parecendo um panda.

Aposto que muita gente chegou até aqui e pensou: “ué, mas não é só passar demaquilante?”. Bom, como o próprio nome diz, sim, o demaquilante é indispensável na hora de remover a make. Mas ele não dá conta de tirar tudo sozinho, então, a gente precisa de outros produtos que ajudam e muito na hora de deixar a pele respirar.

Eu já contei anteriormente quais são os melhores produtos para remover a maquiagem, mas ainda não tinha falado sobre o que eu gosto de usar no dia a dia. Por isso, separei um top 4 para vocês. Bora conferir?

Água Micelar – L’Oréal

É a minha queridinha, tenho estoque em casa e faço questão de colocar na nécessaire quando vou viajar. Descobri a Água Micelar da L’Oréal em 2016 e comprei depois de ver algumas influenciadoras falando bem. Logo no primeiro teste, eu pensei: “como nunca tinha testado algo assim”. Sério, foi amor à primeira vista!

A L’Oréal foi pioneira nesse tipo de produto, que utiliza uma combinação de água e produtos agentes de limpeza. Hoje, existem várias marcas que investem na água micelar. A grande vantagem é a praticidade, já que, além de tirar a maquiagem, ela hidrata, purifica e reequilibra a pele. Uso sempre mesmo!

Demaquilante Bifásico – Lancôme

Impressionante como todo mundo tem um segredo de beleza ensinado pelas avós. O meu foi este aqui. Fui viajar com os meus avós, paramos no Duty Free e ela comprou esse demaquilante. Na época, eu gostava muito de maquiagem, mas não fazia a menor ideia de que um dia trabalharia como influenciadora de beleza, então não sabia praticamente nada sobre esse assunto. Segui a dica dela e comprei um para mim também.

Não acho que tirar maquiagem seja algo tão odiável assim, mas remover a make dos olhos… haja paciência, né? Especialmente na hora de tirar lápis, delineador e máscara de cílios. O demaquilante bifásico serve justamente para facilitar a remoção de produtos da região dos olhos e o da Lancôme faz isso rapidamente, sem deixar aquela sensação de ardência. Algumas pessoas já me contaram que ele deixa a pele oleosa (já que tem óleo na fórmula), mas a minha pele é mais seca, então não percebo nada de diferente.

Mousse de Limpeza – Dailus

Eu tenho dito aqui para vocês (e lá no canal) que as marcas nacionais de maquiagem estão investindo cada vez mais em produtos para a pele. Para mim, faz todo sentido, já que uma pele bem preparada e cuidada é meio caminho andando para ter uma make linda. A Dailus foi uma das pioneiras nessa tendência e lançou, na Beauty Fair de 2017, uma linha de cuidados faciais.

Eu ganhei alguns produtos na ocasião, entre eles, a Mousse de Limpeza. Confesso que não estava botando fé, mas vi resultado logo na primeira aplicação e me apaixonei também pelo cheirinho (que é bem doce, mas muito gostoso). Não passo todos os dias, mas gosto de aplicar quando estou com uma maquiagem mais pesada que não sai com o demaquilante. É só passar e remover com água corrente. Fica uma sensação muito refrescante na pele!

Toalha removedora de maquiagem – Vult

Se você ainda não conhece esse tipo de produto, é isso mesmo que você leu: uma toalha que tira maquiagem. A ideia original não é da Vult, mas de uma empresa gringa que lançou a Make Up Eraser lá em 2016. Todo mundo gostou e a Vult apresentou a sua versão na feira Beleza do Bem do ano passado. Fiquei superfeliz quando vi que recebi o produto e tenho usado desde então.

A toalha removedora de maquiagem da Vult tem dois lados, um que efetivamente tira a make e outro que faz uma pequena esfoliação na pele. Para dar certo, você precisa colocar um pouco de água quente na toalha e aplicar no rosto com movimentos circulares. Também gosto de usar quando a maquiagem é mais pesada e a pele está ficando irritada, sabem? Além de tirar tudo, acalma o rosto que é uma beleza!

 

E você, o que mais gosta de usar para tirar a maquiagem?

Um beijo e até o próximo post!

Testei: Máscara de Cílios Climax – NARS

Olá, pessoal! Mais alguém aí viciada em máscara de cílios? Eu sempre gostei, mas no ano passado me apaixonei de verdade. Para vocês terem ideia, cheguei a ter 30 máscaras de cílios (JU-RO! Fiz questão de contar uma por uma). E aí vocês podem me perguntar: “Nossa, Camilla, pra que ter tantas máscaras de cílios?”. Bom, nem todas as máscaras são iguais. Algumas são para dar volume, outras para definir ou para alongar e por aí vai. Pode parecer um mero detalhe, mas isso faz muita diferença na hora de usá-las.

Eu tenho cílios naturais beeem fininhos, por isso, sou apegada às máscaras de cílios que prometem MUITO volume. Então, logo que soube que a NARS estava lançando uma máscara nova o coração já bateu mais forte. Conheço a NARS há muito tempo, desde que comecei a me interessar de verdade pelo mundo de make. Até hoje, eu amo o famoso blush Orgasm,  um dos produtos mais famosos da marca. Ah, e recentemente descobri o corretivo Radiant Creamy Concelear (meu favorito do momento).

Em dezembro do ano passado, fui convidada para assistir a uma master class da Rafaella Crepaldi, maquiadora da NARS, e lá ela mostrou mais sobre a máscara de cílios Climax. Eu ganhei a minha máscara no final do evento e desde então venho usando sem parar. Agora chegou a hora de contar tudo para vocês! 🙂

Como funciona?

Bom, como falei anteriormente, a Climax é uma máscara de cílios específica para quem busca volume. Mas, além disso, ela também proporciona alongamento (olha que demais!). O grande diferencial dela, no entanto, é que foi desenvolvida justamente para construir camadas (sabe quando a gente passa a máscara várias vezes nos cílios?). Isso tudo sem borrar ou acumular produto.

Para chegar nesse resultado, a marca apostou no complexo Lash Moisture Complex, que permite um efeito cremoso e leve, sem deixar os cílios pesados. O pincel é bem diferente e vem com cerdas de comprimentos variados para alcançar todos os cílios, até os menores e aqueles mais difíceis.

Pesquisei mais sobre a máscara de cílios Climax no site da Sephora e olhem só que interessante: 96% das pessoas que usam o produto atingiram completamente o máximo de volume, sem acúmulo de resíduos. Ah, e 100% delas viram os cílios serem curvados instantaneamente da raiz ao topo. Depois dessa, não tem como não querer testar, né?

Minha opinião

Vou começar falando pela embalagem, que é LINDA! Toda vermelhinha, com circunferências em alto relevo e tamanhos diferentes. Eu postei uma foto no meu Instagram e TODO MUNDO comentou sobre a embalagem. De fato, ela se destaca e já mostra que é um produto sofisticado mesmo.

Minha expectativa estava lá em cima quando eu testei pela primeira vez e eu confesso que fiquei com medo de me decepcionar. Mas, gente, foi surpreendente. O pincel realmente alcançou todos os meus cílios (a gente consegue sentir até nos cílios menores) e o volume foi imediato. Vocês sabem que eu sou bem exigente com máscara de cílios e gosto daquelas que dão um MEGA volume e a Climax promete o que cumpre: quanto mais camadas você passa, melhor fica!

A única coisa que não é tão legal assim é o preço. Aqui, a máscara custa R$ 129. Na Sephora dos Estados Unidos, ela sai por U$ 24. Se a gente converter, dá cerca de R$ 96. Não acho que seja uma diferença tããão grande assim. Por isso, se você gostou e pode pagar, minha dica é comprar aqui mesmo (afinal, no Brasil a gente sempre pode parcelar né?).

Eu realmente amei a Climax e dá vontade de montar um estoque aqui em casa de tão maravilhosa que ela é!

 

E você, já testou? Me fala aqui nos comentários o que achou!

Um beijo e até o próximo post!

Eu li: Dando um Tempo | Marian Keyes

Olá, pessoal! Bora fazer a primeira resenha literária do ano aqui no blog? Bom, todo mundo que ama livros tem seus autores favoritos e comigo não é diferente. Tenho uma listinha de escritores favoritos e a Marian Keyes com certeza está entre eles. Já li quase todos os livros que ela lançou aqui no Brasil (só falta um). Aliás, foi graças a ela que eu me apaixonei pelo gênero chick lit – que eu costumo chamar de livros de mulherzinha.

Bom, fazia um tempinho que ela não lançava livros novos (o último foi A Mulher Que Roubou Minha Vida). No finzinho do ano passado, estava passeando em uma livraria quando vi Dando um Tempo. Fiquei empolgadíssima e resolvi levar na mesma hora. Só que tinha outros livros na frente e acabou que só consegui ler mesmo em novembro. Aliás, o livro tem quase 600 páginas, então demora mesmo (vamos combinar que a dona Marian curte uns livros enormes né?).

A história

Dando um Tempo conta a história de Amy, uma mulher de 44 anos que já foi casada e prometeu que nunca mais se envolveria com nenhum homem depois de encontrar seu ex na cama com outra mulher. Tudo vai bem, até que ela se apaixona por Hugh, engravida logo depois que eles começam a namorar e eles resolvem se casar. 20 anos depois, eles parecem levar uma vida ótima com suas três filhas.

Bom, eu disse que eles pareciam levar uma vida ótima, né? Um belo dia, Hugh diz para Amy que quer dar um tempo no casamento para entrar em período sabático de 6 meses e viajar pelo sudeste asiático. No entanto, ele JURA que continua amando Amy da mesma forma e que vai voltar conforme o prometido. Claro que ela se desespera e se pergunta o que faltou e o que ela deixou de fazer para ele tomar essa decisão.

Depois que ele enfim parte em sua viagem, Amy precisa se desdobrar para dar conta das filhas, do trabalho, dos cuidados com a casa… e nesse tempo ela começa a avaliar sua própria vida. Enquanto ela lembra de alguns dos acontecimentos mais marcantes de antes e durante o casamento com Hugh, ela percebe que essa história de dar um tempo não foi tão ruim assim.

Minha opinião 

Eu de verdade gosto de todos os livros da Marian Keyes. Mas Dando um Tempo me fez lembrar dos primeiros livros que eu li dela, há mais de 10 anos. A gente simplesmente não consegue parar de ler. Como os capítulos são curtinhos, você vai lendo e quando percebe metade da história já foi. Então, apesar de ter quase 600 páginas, eu li rapidinho, em menos de 1 mês.

Sou quase 15 anos mais nova que a Amy, não sou mãe e não sou casada. Mesmo assim, me identifiquei MUITO com ela. Faria exatamente as mesmas coisas que ela fez. É aquela história: a gente sofre, dá risada, fica com raiva. Eu simplesmente AMO livros assim e mergulhei de cabeça neste aqui!

Eu também amei os personagens secundários deste livro. Destaco Neeve, a filha mais velha de Amy, que é youtuber de maquiagem (tipo eu né gente rsrs). A mãe de Amy também é divertidíssima, assim como os colegas de trabalho de Amy. Eu sempre amei a forma com que a Marian Keyes constrói a personalidade de seus personagens e não foi diferente desta vez.

Eu AMEI este livro e indico de olhos fechados para todo mundo. É tão vida real que é impossível não gostar!

 

E vocês, já leram este ou outro livro da Marian Keyes? Me contem aqui nos comentários!

Um beijo e até o próximo post!

Testei: Máscara de cílios BT WonderLash | Bruna Tavares

Olá, pessoal! Há alguns dias, trouxe para vocês a resenha do iluminador BT Glow, da Bruna Tavares com a TBlogs. Contei que sou fã assumida dos produtos da Bruna e que fiquei superfeliz quando soube que eles passaram a ser vendidos na Sephora. Mas, além do iluminador, eu também aproveitei para comprar outro item que eu queria muito testar: a máscara de cílios BT WonderLash.

Apesar de querer muito testar (justamente por aprovar todos os produtos da Bruna Tavares), fiquei na dúvida porque eu tenho muitas máscaras de cílios em casa. Aí perguntei para algumas amigas que também são influenciadoras e já tinham testado e todas me disseram que valia muito a pena.

Sei que existem várias resenhas desta máscara de cílios por aí, mas queria trazer a minha também. Fora que muita gente me perguntava sobre ela, então, resolvi comprar mesmo. Testei por alguns meses e agora chegou a hora de contar tudo!

Como funciona?

Algumas pessoas até podem achar que todas as máscaras de cílios são iguais, mas elas podem ser produzidas para várias finalidades (dar volume, definir, alongar, etc.). A BT WonderLash é focada para trazer dois efeitos de uma única vez: alongamento e definição.

A grande vantagem dela – e que pode causar estranhamento para muita gente – é o aplicador bem pequeno. Por mais estranho que possa parecer, ele tem esse tamanho para poder alcançar todos os cílios, inclusive os inferiores (que são mais difíceis).

A fórmula é ultraconcentrada e promete entregar o resultado logo na primeira camada. Importante destacar que a embalagem vem com 3g e a máscara de cílios promete durar cerca de 150 aplicações nos dois olhos.

Minha opinião

O aplicador bem pequeno é bem curioso, gente! Da primeira vez que olhei, pensei: “mas será que a máscara de cílios é mesmo tudo isso com esse aplicador minúsculo?”. Até mostrei para algumas amigas e elas também estranharam. Mas realmente o tamanho facilita MUITO na hora de pegar todos os cílios superiores. Nos inferiores, então, é uma maravilha, dá para pegar todos os cílios sem ficar com aquele borradinho embaixo, sabem?

Eu tenho os cílios naturais bem fininhos e com pouquíssimo volume, então, gosto de máscaras que você passa e fica aquele efeito de cílios postiços, sabe? Se você também gosta desse efeito, eu preciso dizer que não é o acontece com a BT WonderLash, pelo menos não rolou comigo.

Como falei lá no começo do post, o objetivo desta máscara de cílios é definir e alongar, não dar volume. Agora, eu também amo ter cílios bem marcados e longos, então é só aplicar outra máscara de volume depois se você quiser que fica lindo!

Achei que a BT WonderLash faz aquele leque com os cílios, ou seja, deixa eles bem abertos e realmente mais alongados. Fica com efeito de cílios de boneca, sabe? E tem mais: como o pincel é pequeno e preciso, não tem aquele lance de um cílio grudar no outro, eles ficam bem separadinhos!

Tenho gostado de usar essa máscara durante o dia mesmo, só para marcar os cílios. À noite, uso como base e aí aplico outra máscara de volume (vocês sabem que eu uso pelo menos três máscaras de cílios diferentes nas minhas maquiagens elaboradas, né? Realmente AMO fazer essas combinações).

Sobre o preço, paguei R$ 45 na Sephora do Shopping Eldorado, aqui em São Paulo, e vi que está R$ 44,90 no site da TBlogs. Acaba de dá no mesmo, então, acho que vale conferir se tem alguma loja da Sephora na sua cidade que vende os produtos da Bruna Tavares.

Algumas amigas contaram que a máscara seca rápido demais, mas eu ainda não senti isso. Até agora tenho amado muito e deixo sempre na minha nécessaire!

 

E vocês, já testaram? O que acharam?

Um beijo e até o próximo post!

São Paulo 465 anos | 5 filmes que se passam na terra da garoa

Olá, pessoal! Janeiro tem um gostinho especial para nós, paulistanos, porque é o mês em que a nossa cidade faz aniversário. Amanhã (25), São Paulo completa 465 anos e divide opiniões: tem quem ame e quem odeie.

Eu fico no meio termo (geminiana né, mores, nunca consigo me decidir). Acho que aqui vivemos para trabalhar e sempre me surpreendo quando vou para outra cidade e vejo uma galera saindo do trabalho com o céu ainda claro. Sério, aqui a gente respira trabalho.

Mas, ao mesmo tempo, não conseguiria viver em outra cidade. Eu gosto de agito e tudo acontece aqui, sabe? A gente nunca fica com tédio porque sempre tem algo para fazer.

Para comemorar o aniversário da capital paulista, separei 5 filmes que se passam em São Paulo. Vem ver!

Estômago

Um dos meus filmes nacionais favoritos! Conta a história de Raimundo Nonato, um nordestino que chega à cidade de São Paulo em busca de uma oportunidade de trabalho. Em pouco tempo, ele começa a trabalhar como cozinheiro e se envolve com a garota de programa Iria.

O que eu mais gosto no filme é que ele não é mostrado de forma linear. Ou seja, mistura cenas do começo com cenas do fim e você não vê a hora de descobrir o que aconteceu com ele para acabar naquela situação. É divertido e prende muito.

O Casamento de Romeu e Julieta

 

Gosto muito desse filme porque fala sobre uma rivalidade muito comum aqui em São Paulo: a torcida do Corinthians e a torcida do Palmeiras. Como o próprio nome diz, o filme pega carona na clássica história de Shakespeare e acompanha o relacionamento do corintiano Romeu com a palmeirense Julieta.

Também é divertido e rende boas risadas, daqueles que você pode ver sempre que não cansa, sabe? Fora que é bem nossa realidade: todo mundo conhece um corintiano e um palmeirense fanáticos, né?

Carandiru

Gosto muito de filmes baseados em histórias reais e este aqui me marcou porque li o livro que originou a versão do cinema alguns meses antes. Para quem não sabe, tanto o livro quanto o filme falam sobre o massacre que aconteceu na Casa de Detenção do Carandiru, em 1992. Hoje, o local abriga uma biblioteca em meio a um parque.

No filme, é possível acompanhar o dia a dia no presídio e o cotidiano de alguns presidiários marcantes, como Lady Di, Sem Chance e Deusdete. Se você ainda não viu, tem mais um motivo: o filme foi apontado pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) como um dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.

Domésticas

Outro filme nacional que com certeza está na minha lista de filmes favoritos. Gosto muito de filmes que acompanham a vida de vários personagens ao mesmo tempo e este aqui fala sobre 5 mulheres que trabalham como empregadas domésticas. Cada uma com os seus sonhos: uma quer casar, a outra quer ser famosa e também tem aquela que só quer servir à Deus e à sua patroa.

Mas, sem dúvida, o que eu mais gosto nesse filme é a trilha sonora, cheia de hits da música brega brasileira. Mais um que você pode ver e rever que não cansa. Sério, eu amo!

O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias

Mais um filme para quem prefere algo mais sério e quer saber mais sobre a história do Brasil. A história se concentra em Mauro, um garoto que passa a morar com um senhor judeu, já que seus pais fugiram do País por conta da ditadura militar. O menino espera por um telefonema dos pais e precisa se adaptar a sua nova realidade, enquanto acompanha o rendimento da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1970.

Sabe aquele filme que te deixa triste, depois te faz dar risada e alterna esses momentos? Ao mesmo tempo em que sentia dó do Mauro por ser “abandonado” por seus pais, me divertia muito com as aventuras dele e dos novos amigos. Ah, e o filme representou o Brasil na briga pela categoria de melhor filme estrangeiro do Oscar de 2008. Vale muito a pena assistir!

 

E você, lembra de outro filme que se passa em São Paulo?

Um beijo e até o próximo post!