Posts em destaque

Séries da Netflix para maratonar neste Carnaval

Olá, pessoal! Estamos em ritmo de Carnaval e muita gente aproveita a folga para curtir bastante nos bloquinhos e nos bailes. Também tem a turma que prefere viajar e descansar e ainda aqueles que ficam em casa. Se você, assim como eu, é do tipo que não curte muito a muvuca das ruas nesta época, tenho uma super dica no post de hoje! 🙂

Contei neste vídeo aqui do canal que uma das minhas metas para 2019 é ver mais séries. Eu sempre gostei de séries, mas estava complicado arrumar tempo para assistir. Agora que estou trabalhando só como influenciadora, coloquei isso como uma das minhas prioridades. Se você também tem dificuldade para encontrar um espaço na agenda para ligar a TV e ver uma série, a pedida é aproveitar o Carnaval para fazer aquela maratona delícia em uma nova história televisiva.

Como agora estou mais por dentro das últimas séries, separei algumas novidades e outras que já são clássicas da Netflix. Vamos conferir quais eu escolhi?

You (Você)

You estreou no dia 26 de dezembro do ano passado e rapidinho se tornou uma das séries da Netflix mais assistidas dos últimos tempos. Estava viajando e minha timeline inteirinha (tanto do Facebook quanto do Instagram) estavam falando sobre o assunto. Lógico que eu voltei e comecei a ver, né? Baseada no livro homônimo, a série conta a história de Joe, gerente de uma livraria em Nova York que se apaixona à primeira vista por Beck e passa a agir como um verdadeiro stalker da garota.

A série gerou uma série de polêmicas, já que mostra como todos nós estamos expostos na era das redes sociais e ainda porque muitas mulheres postaram que estavam torcendo para o Joe, que é o verdadeiro vilão da história. Algumas coisas são BEEEEM infantis nesta série e eu achei um pouquinho clichê. Mesmo assim, gostei muito e já quero assistir a segunda temporada (ainda não foi lançada).

Safe

Ok, Safe não é uma série, mas uma minissérie. Sinceramente, eu até prefiro, já que são menos episódios e apenas uma temporada (ótimo para quem tem pouco tempo para assistir). Quis ver porque ela é estrelada pelo Michael C. Hall, o Dexter (para quem não sabe, Dexter é a minha série preferida da vida). Mesmo assim, vi o primeiro episódio e achei ok, o segundo não me convenceu muito e eu fui adiando. Só quando realmente parei pra ver com atenção é que ela ficou boa de verdade!

Não é fácil de assistir. Os episódios são longos e com muitos diálogos, então você tem que prestar atenção e se concentrar. Achei que ficou boa na metade, quando eu comecei a ter vontade real de continuar vendo. A história gira em torno de Tom, um médico que investiga o desaparecimento de sua filha, Jenny, dentro do condomínio de luxo onde mora. É uma série perfeita para quem gosta de ação e mistério!

A Maldição da Residência Hill

Vi A Maldição da Residência Hill no finzinho do ano passado e curti DEMAIS. Quando vi as primeiras notícias da série, não fiquei muito convencida. Vamos combinar que é bem difícil uma história de terror não cair nos clichês e nas cafonices, né? Mas ok, resolvi assistir e amei tanto que recomendei para todo mundo. A trama gira em torno de uma família (um casal e seus cinco filhos) que se muda para uma casa mal-assombrada durante um verão e começa a observar coisas muito estranhas naquele lugar.

Pela sinopse, não parece tão legal quanto é. Juro, muitos episódios dão medo DE VERDADE. Até tem um clichê ou outro, mas é tudo muito bem feito e a gente só quer saber como eles vão se livrar desse grande trauma. Eu só não gostei do final, mas a maioria das pessoas gostou, então sei que é uma coisa minha. Ah, a série foi baseada em um livro e eu fiquei tão enlouquecida que pedi o livro de presente (conto mais sobre ele em outro post).

Black Mirror

Black Mirror é um clássico da Netflix. São quatro temporadas, mas cada episódio tem uma história diferente, então você pode assistir da forma que quiser e apenas os episódios que tiver mais vontade. Eu adoro a série e já vi vários episódios, mas ainda não consegui parar e ver todos. O mais bacana é que todos os assuntos são ligados à tecnologia. Eles podem parecer que fazem parte do futuro, mas estão tão dentro do nosso dia a dia que deixam a gente pensando por dias e dias.

Entre os meus episódios favoritos, destaco San Junipero, em que pessoas podem transferir suas consciências para um local paradisíaco virtual. Playtest, com uma experiência aterrorizante de realidade aumentada, também é sensacional. Ah, e eu também AMEI Bandersnatch, o filme produzido pela série recentemente. Nele, o conteúdo é interativo e você escolhe o que o personagem principal deve fazer. É MUITO bom!

Stranger Things

Stranger Things é uma febre no mundo todo. É até difícil encontrar alguém que ainda não tenha visto, mas, se você ainda não assistiu, aqui está sua chance. A Netflix divulgou que a terceira temporada estreia em julho deste ano, então dá tempo de ver. Para quem não sabe, a trama é ambientada nos anos 80, com várias referências à década e gira em torno de um grupo de crianças que descobre uma realidade paralela em uma cidade pequena.

É bem legal e dá medo em alguns momentos (mas nada desesperador). Todo mundo se apaixonada pelos personagens, que são muito carismáticos. Sério, não conheço ninguém que não ame a Eleven e o Dustin, o mais fofo de todos. Deu até vontade de ver de novo de tão boa que é!

 

Você já viu estas séries? Tem outra para indicar? Me conta aqui nos comentários!

Um beijo e até o próximo post!

Por que você precisa ver Stanger Things?

Olá, pessoal! A menos que você viva em outro planeta, certamente já ouviu falar sobre Stranger Things, a nova série da Netflix. Não é novidade para ninguém que a série já é um sucesso absoluto: ela estreou no dia 15 de julho e, no dia seguinte, muita gente já tinha caído de amores. Outra prova é a nota 9,2 no IMDB, uma das maiores que eu já vi na plataforma. Mas a pergunta que não quer calar é: vale a pena mesmo assistir?

ab1ee6c0880595437fc2d5c4f25c1273

Eu respondo: sim, vale MUITO a pena! Eu já tinha lido uma notinha sobre a estreia da série na revista Glamour, mas confesso que não tinha me interessado muito. O que me chamou atenção mesmo foi a nota altíssima no IMDB. Diante disso, não tive muita opção a não ser assistir. E, olha, bastam os primeiros minutos pra você perceber que já foi conquistado – e que não vai sossegar enquanto não terminar tudo (sim, amiga, pode desmarcar todos os compromissos que tiver pela frente porque você dificilmente sairá da frente da televisão).

Se ainda não está convencida, dá uma olhada nessa listinha que eu preparei abaixo com os principais motivos que me fizeram AMAR Stranger Things.

 

É suspense – mas não dá tanto medo assim

429d2b591eff3465841295d9d18b9d54

Muita gente gosta, mas eu tenho verdadeiro pavor de séries de comédia. O ator faz uma piada, a plateia ri e eu penso “nossa, cadê a graça nisso?”. Por isso, o fato de Stranger Things ser um suspense já me deixou com a pulguinha atrás da orelha. A trama gira em torno do misterioso desaparecimento de um garoto, mas, na real mesmo, a coisa vai além e fala sobre ciência, fantasia e as teorias do mundo inverso, que seria uma outra dimensão da realidade. Muita gente não quer ver porque acha que vai ficar com medo, mas nem dá tanto assim. Rolam uns sustinhos e tem um monstro bizarro, mas a vontade de saber o que vai acontecer é bem maior. É como se fosse mesmo um livro do Stephen King.

 

É uma homenagem das mais lindas aos anos 80

1ca3f85863d7c0d62e06af379cfe6ce9

Eu nasci no finalzinho dos anos 80 e, portanto, não me lembro muito de como a vida era naquela época. Stranger Things se passa em 1983 e, na verdade, é uma homenagem aos filmes clássicos da época, como Os Goonies e ET. Algumas semelhanças são super perceptíveis. Fora a delícia do figurino, dos objetos (inclua aqui as bicicletas famosas da época e os walkie-talkies), dos penteados e até mesmo da vinheta de abertura e do logo da série, inspirado nos livros do autor Stephen King.

 

Tem um clima de nostalgia muito gostoso

Stranger Things

Como a série se passa nos anos 80, a gente já sente saudade logo de cara. E não importa se você nasceu depois porque a sensação é a mesma. Os protagonistas são membros de um grupo de amigos de 12 anos de idade, que embarcam uma aventura tensa, mas muito gostosa. Tudo isso remete aos filmes que a gente assistiu na Sessão da Tarde quando era criança e, consequentemente, rola todo um clima de nostalgia. Na hora que comecei, já lembrei de quando era adolescente e gastava minha mesada alugando filmes VHS (o pai do DVD) na locadora. Ô saudade!

 

Você vai se apaixonar perdidamente pelos protagonistas

bd24e15b02233b9fbf8e0b768bbc044c

O nome mais conhecido do elenco é a atriz Winona Ryder, que, por sinal, ficou famosa na década de 80, e agora interpreta a mãe de Will, o garoto desparecido. Mas, como falei aqui em cima, o foco fica mesmo no grupo de amigos de Will, que fazem de tudo para encontrá-lo. No meio desse caminho, é impossível não se apaixonar pela Eleven, uma garota com poderes sobrenaturais que é MARAVILHOSA e a personagem mais incrível de toda a série. Eu também morri de amores pelo Dustin, um dos meninos do grupo, que é o mais fofo e dá os melhores conselhos!

 

A trilha sonora é maravilhosa

57737f29d78885527f00b97e084476f4

Os anos 80 tinham toda aquela pegada eletrônica e isso é visível na série. A música de abertura, que foi inspirada na música do filme Halloween, é intrigante e totalmente retrô. Algumas músicas foram compostas para a própria série e são igualmente incríveis, combinando super com o clima das cenas. E também tocam, é claro, algumas músicas que fizeram muito sucesso na época, como a clássica “Should I Stay or Should I Go?”, do The Clash. Tem até playlist no Spotify – clique aqui para ouvir!

 

São poucos episódios

c0084c76ec4770582897a78be6c23546

Não sei vocês, mas um dos motivos que me dão preguiça de ver séries é que elas parecem nunca ter fim. Quando assisto a alguma que tem mais de 15 episódios, já me dá aquela sensação de que a coisa vai ser eterna. Outro ponto que me fez amar Stranger Things: são apenas 8 episódios (na verdade, eles são chamados de capítulos). É muito bom porque você consegue tranquilamente assistir tudo numa tacada só. Ou, se preferir ver picado (tenho dó de assistir tudo em sequência), terá apenas uma semana de vício. Juro, todas as séries podiam ser assim!

 

O final é perfeito – e você não vai se aguentar até a próxima temporada

9d2a7d9b82a1168b0e3f04d93d07617c

A série é tão curtinha que a gente acha que não vai ter como resolver o conflito central. Não vou contar o que acontece, óbvio, mas posso garantir que o final é muito bom. O último episódio, aliás, é tão tenso que você nem pisca com medo de perder alguma informação. Ficaram algumas dúvidas no ar, mas a boa notícia é que os diretores já confirmaram uma segunda temporada. Falaram que seria uma nova história, mas eles desmentiram e afirmaram que vai ser continuação. Ponto ruim: só vai estrear no ano que vem. Como faz para segurar a ansiedade, Brasil?

 

E você, já assistiu? O que mais gostou?

 

Um beijo e até o próximo post!

The Leftovers: clima de mistério à moda de Lost

The-Leftovers

Apesar de não ser fanática, eu gosto muito de séries televisivas, o que me causou certa surpresa ao descobrir que ainda não tinha feito nenhum post sobre elas por aqui. Acontece que, ao contrário de muita gente, eu não vejo a menor graça nos seriados de comédia (sabe aqueles com umas risadinhas ao fundo?) e prefiro assistir os mais dramáticos. Recentemente, Dexter e Breaking Bad entraram para a minha lista de favoritas – ainda não consigo decidir qual delas é a melhor – mas resolvi dedicar meu tempo à outro programa: The Leftovers, que encerrou sua primeira temporada no último domingo (7).

A série gira em torno dos moradores de Mapletown, cidadezinha norte-americana, que sofrem com o evento que aconteceu no dia 14 de outubro, quando parte da população misteriosamente desapareceu. O episódio inicial começa mostrando o desespero de uma mãe que perde seu bebê de uma hora para outra. Depois dessa cena, é impossível não ter vontade de continuar assistindo. O seriado se passa três anos após a tragédia e mostra que ninguém conseguiu se recuperar.

140303-the-leftovers-2p-900

A história central da série gira ao redor da família do delegado Kevin Garvey

O delegado Kevin Garvey (interpretado por Justin Theroux, mais conhecido por ser o noivo de Jennifer Aniston) é o protagonista. Nos primeiros minutos, descobrimos que a família dele não está nada bem. A mulher de Kevin sai de casa após fazer parte de uma seita com pessoas que se sentem culpadas pelo evento do dia 14 de outubro e fazem voto de silêncio, além de fumarem sem parar e só se vestirem de branco. O filho mais velho se abriga em outra seita, comandada pelo guru Wayne, que diz ter o poder de afastar a dor. Enquanto isso, a filha adolescente tenta se adaptar a essas mudanças.

O enredo é bom, mas acabou se perdendo ao longo dos dez episódios da temporada. Na minha visão, houve muitos fatos ao mesmo tempo e grande parte deles acabou sem explicação. Não ficou claro o que aconteceu de fato com as pessoas desaparecidas e as causas da tragédia. Também achei que a personagem da Liv Tyler – a atriz mais conhecida do elenco – prometia, mas no fim virou secundária. As próprias crenças do Wayne foram ditas por cima, mas ficaram algumas dúvidas no ar.

Ainda não se sabe muito sobre a seita dos culpados

Ainda não se sabe muito sobre a seita dos culpados

Os episódios que saíram da família principal para focar na história de outros personagens, como o padre Matt e sua irmã Nora (que se tornou a atriz de destaque da série), foram os meus favoritos. Apesar de o começo ter sido muito bom, acredito que a série tenha derrapado em outros momentos. Sorte que os últimos dois foram excelentes e terminaram com aquele gostinho de quero mais.

Torço pelo contrário, mas senti que vai ser igual Lost, que prometia muito, mas terminou sem revelar pontos principais. Espero que os mistérios de The Leftovers sejam explicados na segunda temporada, que já foi confirmada, mas ainda não tem data de estreia. Só nos resta aguardar!