Posts em destaque

Retrospectiva | As músicas que mais tocaram em 2018

Olá, pessoal! Nossa retrospectiva de 2018 segue firme e forte e agora é hora de fazer mais um post bem tradicional por aqui: as músicas do ano. Quem me acompanha há bastante tempo sabe que eu adoro música e ouço para tudo, até para trabalhar. Por isso, nada mais justo do que falar sobre essa categoria também, né?

Como critério, eu escolho apenas músicas que foram lançadas neste ano ou que viraram singles ao longo dos últimos 12 meses. Algumas são do ano passado, mas estouraram mesmo em 2018, então vale o destaque. Bora conferir quem se deu bem?

The Middle – Zedd (com Maren Morris e Grey)

Já faz um tempo que o produtor e DJ Zedd lança sucesso atrás de sucesso. Depois de músicas como Clarity, Stay e Get Low, ele lançou The Middle no comecinho do ano e logo foi aquele boom. Eu gosto muito desta música porque ela é bem animadinha e a gente pode ouvir várias vezes sem cansar, sabem?

O Sol – Vitor Kley

Eu normalmente não coloco músicas nacionais aqui no blog porque eu mesma escuto muito pouco (sempre preferi pop internacional). Mas O Sol tocou tanto, mas tanto, que não tinha como deixar de fora. Na verdade, a música foi lançada no final do ano passado, mas pegou mesmo neste ano. Eu sei que o estouro foi tão grande que eu não aguento mais escutar. Alguém mais concorda?

IDGAF – Dua Lipa

Apesar de ter lançado suas primeiras músicas há alguns anos, a cantora Dua Lipa só estourou mesmo no mundo todo – inclusive aqui no Brasil – no ano passado, com New Rules. No começo deste ano, ela lançou outro sucesso: IDGAF. Eu não tenho nada contra a moça, só me irrita um pouco o jeito dela de falar (parece que tem uma batata na boca rs), mas eu gosto MUITO desta música. É aquela lição de moral bem dada no ex, sabem?

Perfect – Ed Sheeran

No ano passado, o cantor Ed Sheeran lançou o ótimo CD ÷ (Divide) e estourou com Shape of You. Nada mais justo do que continuar aproveitando as músicas do álbum para lançar singles, certo? Perfect foi a quarta música trabalhada do álbum e ganhou até uma versão com a diva Beyoncé. É fofinha, bem nos moldes das canções lentinhas do Ed Sheeran, mas sei lá, eu tenho um leve bode. Prefiro canções mais animadas.

This is America – Childish Gambino

Se é para indicar o melhor clipe do ano, o prêmio com certeza vai para This is America, uma baita reflexão sobre os preconceitos que os negros ainda sofrem (não só nos Estados Unidos, mas no mundo todo). O clipe fez tanto sucesso que a música bombou em todos os lugares. Confesso que eu escutei pouquíssimas vezes, mas que foi um sucesso, foi.

Meu Abrigo – Melin

Mais uma música nacional que não tinha como ficar de fora desta lista. O ano de 2018 também marcou a guinada na vida dos irmãos Gabriela, Diogo e Rodrigo Melin. Depois de aparecem no programa Superstar, eles lançaram o primeiro CD neste ano e explodiram com a música Meu Abrigo, que é tipo um reggae fofinho. A letra é bem bonitinha, mas também toca tanto que eu enjoei.

In My Feelings – Drake

Você deve ter visto um monte de gente postando vídeos no Instagram dançando perto de um carro em movimento, né? Foi um desafio que promoveu In My Feelings, música que o cantor Drake lançou no meio deste ano. Sei que não é uma música que agrada a todo mundo, mas eu adoro justamente por causa do meme.

Feel it Still – Portugal. The Man

Sim, esta música foi lançada no começo de 2017 e fez muito sucesso no ano passado, mas continuou ainda mais forte neste ano. Para vocês terem uma ideia, foi umas das músicas que mais tocou durante a viagem que eu fiz para os Estados Unidos. Desde então, escuto sem parar. É daquelas que você começa a escutar e já quer sair dançando.

Say Something – Justin Timberlake

Fazia um tempinho que o Justin Timberlake não lançava um CD, né? Pois ele fez isso bem no comecinho do ano e logo estourou com o primeiro single do álbum. Say Something tem a participação do cantor Chris Stapleton em uma pegada que mistura country com pop e tem aquele refrão chiclete que a gente ama. O problema é que ela também toca MUITO e eu acabei enjoando (mas acho muito boa).

Back to You – Selena Gomez

Em 2018, tivemos também a estreia da segunda temporada da série 13 Reasons Why na Netflix. Mais uma vez, a série dividiu opiniões e teve gente que realmente passou a boicotar depois de algumas cenas bem fortes. Eu gostei muito da primeira temporada, mas não consegui ir muito para frente com a segunda. O que eu amei mesmo foi a música-tema da segunda temporada, Back to You, da Selena Gomez (que também é produtora executiva da série). Embora ela diga que a música é sobre a série, muita gente associou ao Justin Bieber. Vai saber né…

E vocês, quais músicas mais gostaram de ouvir em 2018?

Um beijo e até o próximo post!

Retrospectiva | 5 fatos que marcaram 2018 para mim

Olá, pessoal! Os posts de retrospectiva continuam com tudo por aqui. Chegou a hora de fazer um balanço sobre o que eu fiz de legal em 2018. No geral, foi um ano muito bom! Eu tinha muitos planos e muitas expectativas para este ano. Acabou que deu praticamente tudo certo e eu realizei vários sonhos, além de entender que muitas coisas só dependem de mim. É aquele lance: quando você coloca foco, dedicação e força de vontade, a chance de dar certo é muito maior!

Poderia fazer um post enorme contando em detalhes como foi meu ano. Mas, para vocês não pararem na metade dele, resolvi resumir em 5 tópicos. Bem melhor, né? Então bora conferir!

Emagreci

Bom, quem me acompanha sabe que eu falo de emagrecer há muitos anos. Além de ter uma certa dificuldade para comer de forma saudável (amo uma besteira), eu fiquei muito estressada por conta de estresse. Neste ano, investi em alguns tratamentos estéticos (que são MARAVILHOSOS) e comecei a fazer uma dieta com uma nutricionista. Ah, também peguei mais pesado nos treinos na academia.

Cheguei a perder 6kg, mas acabei ganhando 1,5 agora mais pro final do ano. Em compensação, perdi muita medida e minha relação com o meu corpo mudou muito. Se antes eu me olhava no espelho e não gostava do que via, hoje está bem melhor. Consigo entrar melhor nas minhas roupas e tenho muito mais vontade de escolher meus looks. Ainda quero perder uns 5kg, mas já está ótimo!

Fiz 30 anos

Quando eu era mais nova, morria de medo de fazer 30 anos. Achava que estaria velha demais e queria chegar nessa idade casada, mãe e bem-sucedida na carreira. Fiz 30 anos em maio e adivinhem? Não casei e não virei mãe (bem longe disso) e também não sou bem-sucedida. AINDA. Pois é, eu não tive a crise dos 30, entrei numa nova faixa etária muito bem e com muita sabedoria. Sei lá, aos 30 você entende que ainda é nova e que tem muitos anos para fazer tudo isso. Tô amando, sério!

No primeiro semestre, compartilhei com vocês os detalhes da minha festa de 30 anos. Decidi fazer pela primeira vez uma festa junto com uma amiga minha e nós fizemos uma festa à fantasia temática dos anos 90/2000. Eu fui de Cher Horowitz, protagonista do filme As Patricinhas de Beverly Hills, que eu amaaaava quando era criança. Posso falar? Foi bom demais. nós AMAMOS!

Viajei para o exterior pela primeira vez sem a família

Eu AMO viajar e sou apaixonada pelos Estados Unidos, mas nunca tinha tido a oportunidade de ir para lá sem alguém da família. Em julho, viajei só com um amiga para a Disney da Califórnia e para Las Vegas. Foi a melhor viagem da minha vida e me fez crescer de diversas formas, mas foi incrível ver como eu posso me virar e ser dona do meu próprio nariz. Tanto foi maravilhoso que eu e a Tâni, minha amiga que viajou comigo, queremos repetir a dose. Não sabemos quando nem pra onde, mas queremos!

Conhecer o Grand Canyon: sonho realizado

Coloquei mega hair

Eu sempre quis deixar meu cabelo crescer e nunca consegui, já que ele é muito fininho e tem pouco volume. Não sei bem o porquê, mas meus fios quebraram muito neste ano e ficaram ainda mais frágeis. O resultado é que ele ficou bem curtinho. Foi aí que meu cabeleireiro me deu a dica de colocar o mega hair de fita adesiva. Coloquei em agosto e, desde então, minha vida mudou. Eu super me identifiquei de cabelo comprido e esta sou eu, sabem? Juro, pretendo usar por toda a vida rsrs…

Ganhei dinheiro como influenciadora

Estava morrendo de medo de não conseguir ganhar mais dinheiro do que aquilo que eu ganhei no ano passado como influenciadora. Mas eu mergulhei nisso, investi MUITO e coloquei todo o meu foco em fazer a minha carreira como influenciadora dar certo. E bom, foi o ano em que eu mais ganhei com isso. Ainda não dá para viver só disso, mas foi maravilhoso ver como esse resultado todo é fruto da minha dedicação e do meu esforço (ah, e de vocês né, estamos juntos nessa :)). Quero continuar ganhando mais, mas até agora está tudo LINDO!

 

E foi isso, gente! 2018 vai deixar saudade! E para você? Me conta aqui nos comentários!

Um beijo e até o próximo post!

Retrospectiva | Os livros que eu li em 2018

Olá, pessoal! Mais um post de retrospectiva aqui no blog e, desta vez, vou falar sobre um assunto que eu gosto muito: livros. Eu realmente amo ler, especialmente aqueles romances bem de mulherzinha, e sempre tenho metas anuais em relação à quantidade de livros lidos.

Neste ano, eu deveria ler mais de 17 livros, só que não deu muito certo. Estava em outra pegada, me dediquei muito ao canal e aproveitei meu tempo livre escrevendo posts para o blog, gravando e editando vídeos. Acabou que eu não li da forma acelerada dos últimos anos, mas acho que é tudo fase. Senti que aproveitei melhor cada livro lido, sabem?

Bora conferir os livros que eu li em 2018?

Quase Casados – Jane Costello

Em 2016, li o livro Corra, Abby, Corra da Jane Costello e simplesmente AMEI, foi um dos meus favoritos daquele ano. Ganhei um vale presente de uma livraria no fim do ano passado e comecei a pesquisar alguns títulos, quando encontrei Quase Casados. Acabei comprando por ser da mesma autora e li com a expectativa lá em cima.

A história gira em torno de Zoey, uma mulher que é abandonada pelo noivo na porta da igreja e que decide mudar de ares trabalhando como babá nos Estados Unidos. As crianças são uns amores, mas o pai delas é um workaholic grosso e sem tempo para os filhos. No geral, eu gostei e alguns momentos são bem engraçados, mas ainda sim prefiro o livro da Abby.

Guia Astrológico Para Corações Partidos – Silvia Zucca

Este livro estava na minha wishlist há muito tempo, mas só consegui comprar com esse vale presente que eu ganhei. Vocês sabem que eu sou doida por signos, então, fiquei com vontade de ler só pelo título. Ah, e é ficção, viu? Muita gente acha que é autoajuda, mas é um romance bem divertido.

A protagonista dessa história é Alice, que trabalha em uma emissora de TV e decide criar um reality show com 12 participantes, um de cada signo. No meio disso tudo, ela recebe a notícia de que seu ex vai se casar e que a empresa agora conta com um consultor para demitir funcionários antigos. Adorei ler um livro de uma autora italiana e ri muito em alguns momentos, mas achei tudo bem bobinho, sabem? Parece que faltou algo…

Ainda Sou Eu – Jojo Moyes

A Jojo Moyes é uma das minhas escritoras favoritas e eu sempre corro para ler os livros dela. Para quem não sabe, Ainda Sou Eu é a terceira parte da história de Lou, que nós conhecemos em Como Eu Era Antes de Você (tem o filme também, caso você não tenha lido). Eu já achava que a segunda parte – chamada Depois de Você – tinha sido desnecessária, mas mesmo assim quis ler este livro.

Nesta sequência, Lou desembarca em Nova York para trabalhar como assistente de uma mulher casada com um milionário. Em boa parte da história, acompanhamos o mundo de luxo na cidade, até que ela precisa se virar para começar de novo e lidar com o namorado, Sam. Bom, continuo achando desnecessário e é um livro BEM cheio de drama, com poucos momentos engraçados, mas foi legal saber como a Lou se redescobriu nesse novo momento.

Uma Noite com Grace Kelly – Lucy Holliday

Eu realmente adorei a saga da Libby Lomax, que começou no livro Uma Noite com Audrey Hepburn. Estava doida para ler este livro, que é a conclusão da série, e esperei por mais de um ano, só para não acabar logo. Vocês também são assim?

Bom, nesta parte da história, Libby enfrenta dificuldades para manter seu negócio e precisa lidar com os sentimentos que nutre por Olly, seu melhor amigo. No meio disso tudo, ela encontra um milionário e se depara com uma nova figura ilustre em seu sofá: Grace Kelly. Eu gostei, mas achei que faltaram algumas cenas que a gente sempre teve curiosidade por ser o último livro da série, sabem?

Se Nada Der Certo Até os 30, Você Se Casa Comigo? – Karina Halle

Prêmio de história mais surpreendente do ano! Também estava com vontade de ler este livro há muito tempo e comprei em uma promoção, mas deixei para ler quando estava bem pertinho de completar 30 anos. Eu achava que seria uma história bobinha, mas, quando percebi, o livro toma outro rumo e fica parecido com Cinquenta Tons de Cinza, só pegação atrás de pegação.

A trama gira em torno de Stephanie e Linden, dois amigos que fazem um pacto de se casarem se estiverem solteiros aos 30 anos. Os anos se passam e ambos seguem em outros relacionamentos, até que eles não aguentam mais reprimir os sentimentos que nutrem um pelo outro e a paixão explode. Eu gostei, mas confesso que fiquei com vergonha em vários momentos rsrs…

Um Lugar Para Mim – Melissa de la Cruz

Também comprei este livro em uma promoção e minha escolha foi mais pela capa (é bem fofa, vai?). Acabou que li em um timing perfeito, prestes a embarcar de férias para os Estados Unidos. Isso porque a trama fala sobre Jasmine, uma adolescente nascida nas Filipinas que se muda para os Estados Unidos ainda pequena e descobre que está ilegal no país depois que ganha uma bolsa de estudos para cursar a faculdade.

No geral, achei que é um livro bem teen, até porque a Jasmine é adolescente e tem todos os dilemas de escola e primeiro amor que nós já enfrentamos um dia. Mesmo assim, é bacana para entender o outro lado da história, sabem? A gente acaba julgando os imigrantes ilegais, mas não pensa nos motivos que os levaram até lá. Vale a pena ler!

Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre? – Sophie Kinsella

Este livro é escrito pela Sophie Kinsella, uma das minhas autoras favoritas (a mesma que escreveu a saga da Becky Bloom). Ao longo da trama, conhecemos Sylvie e Dan, casados há dez anos e pais de gêmeas de 5 anos. Um belo dia, eles descobrem que ainda terão mais 68 anos juntos e começam a surtar, criando um projeto para fazer surpresas um para o outro.

O começo é bem divertido e você precisa segurar a risada, mas depois a gente descobre que o Dan tem um segredo e a trama acaba indo mais para o drama. Eu gostei e realmente nos prende, mas achei que fica pesado demais e perde o humor característico da Sophie Kinsella.

A Lista de Brett

Este livro é simplesmente LINDO! Várias pessoas já tinham me falado sobre ele, há muitos anos, mas eu acabava adiando e nem eu sei o motivo. Mas eu li no momento certo e é impressionante como a história fala justamente sobre isso. Em vários momentos, eu me pegava com o olho cheio de lágrimas (sou chorona, eu sei). O fato é que o livro me fez querer ser uma pessoa melhor!

A história fala sobre Brett, que acabou de perder a mãe e descobre que tem 12 meses para cumprir as metas de uma lista que ela escreveu para si mesma quando tinha 14 anos. Algumas são mais fáceis, mas outras envolvem outras pessoas (como casar e ser mãe). Se ela conseguir, receberá uma herança milionária. Parece bobinho, mas o livro fala sobre aproveitar todas as oportunidades da vida e viver de coração e olhos abertos porque a resposta para as nossas dúvidas pode estar mais perto do que imaginamos.

Você Acredita Mesmo em Amor à Primeira Vista?

Sou fã assumida da família Santina, vocês sabem. Já faz muitos anos que acompanho o processo do famoso livro da Fabi Santina e ele foi lançado neste ano. Comprei logo na pré-venda e me segurei para não ler tudo em 1 dia, porque é tão bom que você devora. Quando vê, metade do livro já foi embora. Sério, me surpreendeu muito, é extremamente real e eu me identifiquei demais com a Fabi.

No livro, ela conta a história dela com o Leandro, que hoje é seu noivo (e figura constante nos vídeos dela). Eu sabia que o lance deles sempre foi meio enrolado, mas não fazia ideia do tanto que ela sofreu insistindo nesse amor. E ó, ela foi muito esperta porque o livro termina meio no ar e ela já disse que vai lançar a parte 2. Vê se não demora hein, Fabi! Estamos curiosas!

Um Pequeno Favor

Já aconteceu de vocês só comprarem um livro por causa da versão cinematográfica baseada nele? Fui ver um filme, vi o trailer de Um Pequeno Favor e fiquei enlouquecida. No dia, até brinquei com uma amiga que poderia ter um livro dessa história, porque seria ótimo. Uma semana depois, estava passeando numa livraria e adivinhem, não é que tinha mesmo o livro? Comprei e comecei a ler no mesmo dia, tamanha a minha curiosidade.

A história começa sob o ponto de vista de Stephanie, uma mãe blogueira que está em busca de sua melhor amiga, Emily. que desaparece de forma misteriosa. A primeira parte é realmente muito boa e eu devorei, tentando descobrir o que tinha acontecido com a Emily. Só que depois o livro vira uma cópia de Garota Exemplar e embarca em uma verdadeira loucura que deixa a gente confusa. Para ser sincera, achei tão doido que eu não sei se gostei ou não rsrs…

Dando um Tempo

Marian Keyes é uma das minhas autoras favoritas e eu sempre me divirto com os livros dela. Fazia um tempo que ela não lançava um título, até que encontrei este aqui numa livraria e comprei no mesmo dia. Sério, foi um reencontro maravilhoso e eu estou amando cada página (sim, ainda estou lendo, até porque…são quase 600 páginas de história, imaginem!). Às vezes, eu até me seguro para ler pouquinho e não acabar rápido.

livro fala sobre Amy, uma mulher de 44 anos que sofre com a ausência do marido, que simplesmente pede um tempo para tirar um período sabático e viajar pela Ásia. Ela é mãe de três meninas e precisa se virar para dar conta de tudo. De repente, ela descobre que não só dá conta, como se descobre como uma nova mulher. Sério, é maravilhoso!

 

E você, quais livros leu neste ano?

Um beijo e até o próximo vídeo!

O que eu fiz de legal em 2016

Olá, pessoal! Como muitas de vocês já sabem, o blog está em clima de retrospectiva. Para que ela fique completa, não pode faltar o post com um balanço sobre os últimos meses. Está ficando chato e repetitivo, mas a gente entendeu que 2016 foi um ano complicado. Infelizmente, ficaram marcadas as mortes e as tragédias, as reviravoltas políticas e tal da crise, que parece não terminar nunca.

Eu sempre tive uma teoria de que anos pares são melhores do que ímpares. Guardo com carinho os anos 2000, 2002, 2006 e 2014. Mas aí me lembro de que eu também tive anos pares ruins e anos ímpares maravilhosos, então acho que essa teoria anda meio furada rs…

Gravei um vídeo contando os principais momentos do ano, então, se não quiser ler o post inteiro, aperta o play e vem se divertir comigo:

Meu 2016 foi pesado. A palavra que definiu o ano para mim foi TRABALHO. Assim, em letras grandes mesmo. Graças a Deus (e à muito empenho e dedicação diária), o blog cresceu e ganhou um canal no YouTube. Agora, preciso me dividir em três funções: meu trabalho fixo como jornalista; escrever e atualizar o blog; e gravar e editar para o canal. Desde então, são poucas horas de sono, finais de semana com horas reservadas para as gravações, muita dor muscular e pelo menos uns cinco quilos a maiscredo, odeio reclamar, mas foi bem assim!

Mas também tem coisa boa. Os índices de acesso em todas as minhas redes não param de crescer (são mais de 7 mil lindos e lindas só no Instagram – juro que nunca imaginei chegar nesse número) e eu conheci outras blogueiras e youtubers maravilhosas em todos os cantos do Brasil. E elas estão comigo nessa: a gente sabe que é difícil, mas fica mais fácil quando podemos contar umas com as outras. 

2016 me proporcionou outros momentos deliciosos. Realizei diversos sonhos: andei na montanha-russa mais alta do mundo (era um sonho mesmo, alimentado por anos e anos) e conheci o Nick Carter, o primeiro ídolo que eu tive na vida. Passei minhas férias em Nova York e fiz uma nova (a terceira) tatuagem. Peguei um buquê de casamento (será que agora vai?) e consegui ler mais de 15 livros. Fui nas Olimpíadas e foi lindo e especial ver várias nações unidas em um só objetivo. 

2016

Isso tudo sem falar no mais importante, que é estar viva e cheia de saúde. Além do fato de ter novas seguidoras a cada dia. Saber que você está aí do outro lado lendo o que eu escrevo é um dos motivos que me faz seguir em frente mesmo com todo esse cansaço acumulado. Muito obrigada por isso!

O mais legal de tudo é se propor a melhorar. Estou cheia de metas (reais e possíveis de serem alcançadas) para 2017 e logo mais vou postar todas aqui. E você, como foi seu 2016?

 

Um beijo e até o próximo post!