Posts em destaque

Top 10: Os casais mais fofos do cinema

CA-dia-namorados-casais-inspiradores-disney-carl-elie-D-732x412

Quando era mais nova, tinha pânico só de pensar no Dia dos Namorados, comemorado nesta sexta-feira (12). Era terrível ser solteira e ver todas as amigas recebendo flores, pensando em presentes ou então no jantar. Superei meu trauma ao perceber que a data não tem nada de mais. Ok, é um dia fofinho e normalmente cheio de surpresas, mas o certo seria você ser surpreendida pelo namorado nos outros dias, concordam?

Pois bem, para celebrar a data, preparei uma lista com os casais mais fofos do cinema. Faço sempre listas com cinco opções, mas encontrei tantas duplas bonitinhas que o Top 5 acabou virando Top 10. E como o assunto é romance, a maioria dos filmes é bem água com açúcar. Vamos saber quais são?

Kat e Patrick (10 Coisas que Eu Odeio em Você)

10-things-i-hate-about-youVerdadeiro clássico do final dos anos 90, o filme é uma versão atualizada de “A Megera Domada”, de Shakespeare. A história gira em torno de um garoto que se apaixona por uma menina, mas só pode namorá-la depois que a irmã mais velha dela, Kat, também estiver encaminhada. Parece fácil, mas a irmã é insuportavelmente chata e, por isso, não arruma ninguém. Escalado para a missão, o bad boy Patrick tenta conquistar Kat.

Por conquistar, entenda canções no meio da escola, declarações e muita fofura. É tudo tão bonitinho que eles descobrem que estão apaixonados de verdade e a gente, claro, torce para que fiquem juntos. A história fez tanto sucesso que serviu de inspiração para a novela “O Cravo e a Rosa”. Para resumir: podemos ver inúmeras vezes sem enjoar.

Fiona e Shrek (Série Shrek)

shrek-and-fiona-weddingShrek foi um dos maiores acertos do mundo dos filmes de animação dos anos 2000. Ninguém botava muita fé quando a primeira parte saiu, mas todos que viram saíram surpreendidos e incentivaram outras pessoas a assistir. Tudo porque faz uma crítica muito divertida aos contos de fada. Para quem nunca viu, mostra a história de um ogro que precisa resgatar a princesa Fiona.

Eles não têm nada a ver, mas Shrek descobre que Fiona se transforma em ogra à noite. A partir daí, percebem que têm muitas coisas em comum e decidem se casar. São tão fofos juntos que fizeram uma série de quatro filmes para mostrar a vida deles, incluindo a chegada dos três bebês ogros. Meu favorito é o segundo, que começa quando eles voltam de lua de mel.

Summer e Tom (500 Dias com Ela)

summer1Lançado em 2009, o filme foi uma verdadeira revolução e conquistou inúmeras fãs. Vi alguns meses depois e não achei tudo isso, mas gostei por mostrar um relacionamento do ponto de vista do homem. Como o próprio nome diz, a história aborda os 500 dias em que Tom e Summer se relacionaram.

É bacana ver que os homens podem sofrer por amor da mesma forma que a gente e que também sonham. A cena mais legal, para mim, é a que a tela é dividida entre a expectativa de Tom e a realidade em que vive. Também vale a pena por causa do figurino de Summer, que é cheio de estilo.

Vivian e Edward (Uma Linda Mulher)

pretty-woman_0_0Esse filme é tão atual que a gente custa a acreditar que ele já tem 25 anos. Chocante, né? Em 1990, Julia Roberts ainda era a rainha das comédias românticas e interpretou, ao lado de Richard Gere, um dos casais mais clássicos do cinema contemporâneo. Na história, ela é Vivian, uma garota de programa contratada por um milionário que a transforma em uma mulher elegante para acompanhá-lo em eventos da sociedade.

Rapidamente, passam a nutrir um sentimento de respeito e amizade que, mais tarde, se transforma em um relacionamento. Mas, para ficarem juntos, eles precisam lidar com o preconceito e o julgamento das outras pessoas. Muito fofinho, o filme também ficou conhecido pela música Pretty Woman. Aliás, é só pensar nele que começo a cantar mentalmente a canção.

Bridget e Mark (O Diário de Bridget Jones)

Film Title: Bridget Jones: The Edge of ReasonBecky Bloom é, sem dúvida, a minha melhor amiga no mundo dos livros. Mas, assim como a Becky, Bridget Jones pode ser considerada uma inspiração para muitas mulheres. Acontece que ela é tão gente como a gente que a identificação é imediata. O filme é tão bonitinho e, ao mesmo tempo, engraçado que mais parece nossa vida no cinema.

Bridget é uma mulher de trinta e poucos anos que decide escrever um diário com diversas resoluções de ano novo, entre elas arrumar um namorado. Ela até conhece um cara bonitão e sedutor, mas é pelo eterno Mark Darcy que a gente suspira. Ele é comum, mas muito atencioso e carinhoso com a heroína. Gosto tanto dessa história que a incluí no meu Top 5 de filmes para comemorar o ano novo.

Hazel e Augustus – A Culpa é das Estrelas

Stars1A adaptação cinematográfica do livro homônimo do escritor John Green foi, sem dúvida, um dos maiores sucessos de 2014. Junte uma história fofa e muito triste e um casal cheio de química e, pronto, aí está a fórmula do sucesso. O mais incrível, para mim, é ver como a Ansel Elgort é um ator promissor. Estava acostumada a ver ele como o Caleb, da série Divergente, mas adorei vê-lo na pele de Augustus.

Não faz ideia do que acontece no livro e no filme? Vamos lá: a história começa mostrando Hazel, uma garota que vive há anos com um câncer no pulmão e se afasta do mundo. Incentivada pelos pais, ela começa a frequentar um grupo de apoio e conhece um jovem que superou a doença. Ele é responsável por fazer com que ela realize todos os sonhos enquanto pode e, claro, por mostrar como o amor verdadeiro é poderoso. Tudo é tão lindo que é bom preparar o lencinho.

Sandy e Danny (Grease)

Sandy-Danny-GreaseNormalmente, não repito filmes nos Top 5 aqui do blog, mas gosto tanto de Grease que é impossível deixa-lo de fora desta lista. Sou completamente apaixonada por musicais e posso dizer com toda certeza que Grease é um dos meus favoritos. Principalmente por conta do casal, que vivem uma história retratada nos anos 60, mas bastante atual. O que faz com que a relação de Sandy e Danny continue moderna é que ele é um bad boy que morre de vergonha do estilo dela, que é uma moça certinha. Vemos muito isso aí hoje em dia, não é mesmo?

Eles se conhecem no verão e vivem um lindo romance, mas nem imaginam que vão se reencontrar na escola onde ela vai começar a estudar. Danny precisa superar os próprios preconceitos para aceitar a moça e ela, por outro lado, deve aceitar o jeitão de malandro do namorado. Some a isso um figurino inspirador (falo mais sobre as roupas aqui) e músicas que ficam na cabeça por dias.

Latika e Jamal (Quem Quer Ser um Milionário?)

slumdog_millionaire11No Oscar de 2009, um filme surpreendeu por ser indicado em dez categorias e vencer em oito. Como ele ainda não tinha sido lançado no Brasil, surgiu todo um mistério em volta. Será que esse tal de Quem Quer Ser um Milionário era tão bom assim? Depois de ter visto um milhão de vezes, eu digo: sim, é MUITO bom e um dos meus filmes favoritos. O que mais gosto é a história superoriginal, que fala sobre um garoto indiano que participa de um programa televisivo para ganhar dinheiro.

Jamal sempre viveu de forma humilde e viveu nas ruas ao lado do irmão. Em uma dessas aventuras, conhece a garota Latika e se apaixona por ela ainda jovem. Só que a vida separa o trio e agora ele vive tentando encontrar seu grande amor e mostrar a ela que podem ficar juntos. O filme é tão envolvente que é impossível parar de assistir. Todo mundo quer saber se ele vai acertar a pergunta final, conquistar a riqueza e, claro, ficar ao lado de quem ama.

Carol e Melvin (Melhor É Impossível)

Quando pensamos em casais fofos, é mais comum nos lembrarmos de relacionamento entre jovens. Mas é muito legal quando um filme surge para mostrar que o amor não tem data e idade certa para acontecer. Isso acontece em Melhor É Impossível, que gira em torno de Melvin, um escritor racista e homofóbico que tem TOC e vive isolado. Ele só se mostra mais simpático quando está diante de Carol, a garçonete de um restaurante que ele frequenta.

A confusão começa quando Simon, seu vizinho homessexual é internado e Melvin precisa cuidar do cachorro dele. A partir daí, passa a ter mais contato com Simon e não consegue mais parar de pensar em Carol. Ele, inclusive, a convida para fazer uma viagem e descobre que precisa mudar seu jeito para ficar ao lado dela. E olha como o amor funciona: ele tenta de tudo e está superdisposto a ser uma pessoa mais amigável. O resultado é tão lindo que rendeu o Oscar de melhor ator para Jack Nicholson e de melhor atriz para Helen Hunt.

Bela e Fera (A Bela e a Fera)

Belle-and-Beast-beauty-and-the-beast-9326800-852-480Como é de costume aqui no blog, todo Top 5 tem que ter um filme da Disney. E aqui está a opção da vez, um verdadeiro clássico das histórias das princesas. Fiquei pensando em qual casal era o mais fofo e a resposta apareceu de imediato: A Bela e a Fera. É uma das poucas histórias antigas da Disney em que o príncipe participa bastante, tem personalidade e consegue ser amado mesmo com sua aparência e seu jeito rude.

Ok, é um pouco surreal pensar em uma garota que se apaixona por uma fera. Mas, vendo a trama com olhos de criança, a lição que fica é a de que muitas vezes é preciso quebrar estereótipos para encontrar um amor. Bela poderia ficar com o cara bonitão, mas se apaixonou por uma criatura muito estranha. E esse ser bizarro, aos poucos, muda seu aspecto grosseiro e se torna mais amigável. Bonitinho, vai?

Seja qual for a escolha, o importante é celebrar o amor em suas mais diversas formas. Feliz Dia dos Namorados!

As Melhores Adaptações de Livros Para o Cinema

A Culpa é das estrelas

É hoje! Finalmente poderemos conferir o filme baseado no livro “A Culpa é das Estrelas”, John Green. Quem já viu em pré-estreias garante que o longa é extremamente fiel à obra e que o número de lágrimas derramadas é tão grande quanto (sim, você vai precisar de um lencinho para ir ao cinema). Para quem não conhece, a história fala sobre uma paciente terminal de câncer que se apaixona por um menino que também está doente. Juntos, eles decidem aproveitar o tempo de vida que ainda têm da melhor forma. Enquanto você corre para garantir o seu ingresso (dica: compre com antecedência), confira outras adaptações que são melhores do que os livros.

O Diário de Uma Paixão (The Notebook)

The notebook

Qualquer livro do Nicholas Sparks é fofo, mas esse é especial. Talvez pelo fato de ser narrado na visão do homem, o que normalmente não acontece, ou por mostrar que, sim, é possível ter um único amor a vida toda. Embora a obra seja linda, o filme é muito melhor! Normalmente as adaptações de livros do Nicholas não são muito boas, mas essa complementa as informações escritas. Isso porque no livro, a história se passa depois que o casal principal se conheceu e se separou. Mas, no filme, sabemos o que de fato aconteceu quando os dois eram mais novos e se apaixonaram. E vamos confessar que a química entre o Ryan Gosling e a Rachel McAdams fez toda a diferença. Até as brigas entre os dois são legais – no livro, o negócio é meio parado, sabe?

O Diabo Veste Prada (Devils Wear Prada)

O diabo veste

Na maioria das vezes, a gente lê o livro para depois ver o filme, não é? Mas, no caso de “O Diabo Veste Prada”, a situação se inverteu e muita gente assistiu primeiro o longa. São vários pontos positivos: quem faz a personagem principal é a Anne Hathaway e eu já disse aqui o quanto eu gosto dela, a vilã Miranda Priestly fica ainda mais incrível na pele de Meryl Streep e a trilha sonora é muito boa! (Tem U2, Madonna, Alanis Morissette e muito mais!). É uma ótima pedida para quem gosta de moda ou quem é jornalista – afinal, a história se passa em uma revista conceituada. Ou até mesmo para quem já teve um(a) chefe terrível. Vale muito a pena, de verdade! Sobre o livro: eu comprei assim que lançou e tentei ler por duas vezes, mas achei bem chato e não consegui passar da página 50.

Água Para Elefantes (Water For Elephants)

água para elefantes

Sou daquelas que assiste o filme só por causa do trailer. E eu lembro que decidi assistir “Água para Elefantes” só porque o trailer era lindo, cheio de efeitos e parecia ser bom. O livro saiu algumas semanas antes da estreia, então eu comprei logo e li rapidinho. Tanto o livro como o filme são difíceis e não é tão fácil compreender a história, mas é bem bonito, principalmente para quem gosta de animais. O livro é mais completo, mas também é mais parado. Em compensação, o filme pode parecer cansativo mas tem um vilão muito melhor do que o da obra. No fim, acho que entra na categoria “leia antes de assistir”.

127 Horas (127 Hours)

127

Ok, não é romance, não é fofo, não tem beijo, mas vale mesmo assim! Imagine uma história de mais de 200 páginas onde um homem conta sua experiência dos cinco dias em que ficou com o braço preso em uma fenda. Pois é, essa história é real e aconteceu com o alpinista Aaron Rolston. Tanto o livro  quanto o filme começam igual: mostram o espírito aventureiro da Aaron e as horas que antecederam o acidente. A partir daí, vira um tédio. No livro, ele recorre a episódios do passado enquanto fala da dor e da luta pela sobrevivência enquanto tenta se soltar da fenda. Mas no filme, temos o James Franco, que consegue segurar o filme sozinho. Ele brinca, chora, sorri e faz com que a gente sofra junto com ele no final (não vou contar para não prejudicar quem ainda não viu). O livro é muito parado e eu demorei muito para terminar, mas só fui até o final porque eu gostei MUITO do filme. Até hoje não me conformo por não terem dado o Oscar para o James Franco. Ele super mereceu!