Posts em destaque

7 coisas que aprendi com o meu blog

Este post é especial em comemoração aos dois anos deste blog! 🙂

Muita gente não sabe, mas meu primeiro blog surgiu em 2003. Eu estava prestes a completar 15 anos e, naquela época, a coisa funcionava como um diário virtual, ou seja, não durou muito. No finzinho de 2007, eu voltei em outro endereço e, ainda que também fosse um diário, me permitiu dar voos mais altos. Graças à ele, fiz parte de um projeto da revista Capricho chamado Tudo de Blog que me rendeu amigas lindas que eu tenho até hoje.

Escrevi nele até 2010 e aí bateu um cansaço. Parei e ensaiava uma volta desde 2012, mas sentia que faltava algo. Ao mesmo tempo, eu já tinha me formado na faculdade e estava em dúvida sobre o que mais gostava de escrever, afinal, o jornalismo é uma profissão bem ampla. E foi no meio disso tudo que surgiu um clique: eu sempre fui apaixonada por qualquer assunto do universo feminino e poderia fazer do blog uma plataforma para dividir esses conhecimentos.

Parece que foi ontem que eu decidi voltar de vez, mas lá se vão dois anos de uma linda história. Desde o dia 10 de abril de 2014, este cantinho só me dá alegrias. No começo, era um hobby. Mas, no ano passado, percebi que ele poderia, sim, ser levado mais a sério. E aí, minha gente, comecei um processo contínuo de aprendizado. Para comemorar o aniversário do blog, vou compartilhar tudo que saquei nos últimos 24 meses:

 

Dá MUITO trabalho ser blogueira

d9c543516f8d55d361e4b959e41f3977

Sempre lia isso e pensava “ah, é mentira. Duvido que dê trabalho escrever um texto”, mas estava completamente enganada. Quando a gente encara o blog como um negócio, percebemos que – como em qualquer outra profissão – é preciso comprometimento. Olhem só o que esse processo todo me exige: elaborações mensais de posts, criação de textos com antecedência, busca por seguidores TODOS OS DIAS, pesquisa de fotos, divulgação de posts nas redes sociais… Como eu trabalho, só consigo me dedicar ao blog à noite e, com isso, durmo superpouco (é ruim, eu sei, mas não tem outro jeito). E olha que eu sou amadora ainda, as bloggers profissas sofrem BEM mais.

 

Organização é fundamental

71be27610062100c2fd674a5d4924cb5

Vejo muitas meninas que criam blogs e desejam crescer com ele, mas nem todas conseguem lidar com a organização. Um dos sucessos das blogueiras é que elas criam uma fidelização com seus leitores. Ou seja, é preciso desenvolver uma rotina de postagens. Não dá para ficar um mês sem postar nada e desaparecer completamente porque isso afasta os seguidores. Se você estuda ou trabalha em paralelo com o blog, vale achar um meio para se organizar. A forma mais legal é com os planners (existem diversos por aí). Eu tenho um rascunho no meu e-mail com todo o planejamento trimestral do blog, assim posso acessar de qualquer lugar.

 

É preciso investir dinheiro

61952044dfeae65cf600459b26c9c7fe

Ok, existem plataformas gratuitas de blogs e acho mesmo que você deve começar por elas. Mas, se a sua intenção é viver do blog, você vai precisar encará-lo como negócio. E qualquer negócio exige investimentos financeiros no início. O primeiro passo é criar um layout próprio, só seu (quem fez o meu foram as meninas lindas da Euforia Web, recomendo super). O problema é que algumas plataformas, como o WordPress, não permitem layouts próprios, então você vai ter que contratar um serviço de hospedagem e, consequentemente, transferir o domínio. É caro? Sinceramente, não pesou tanto para mim. Mas é dinheiro e você vai ter que se planejar financeiramente para dar conta de tudo. Vai por mim, faz uma mega diferença em relação aos outros blogs-padrão que existem por aí.

 

Problemas podem acontecer – a qualquer momento

outOfOrder

Desde que migrei para um serviço de hospedagem, meu blog já saiu do ar milhares de vezes. Essas coisas acontecem mesmo e você precisa incluir, no seu orçamento, os custos com um programador. A não ser que você seja expert em assuntos de programação (o que não é o meu caso), você vai precisar de alguém de confiança para resolver esses pepinos. Dá uma dor de cabeça danada e uma vontade de jogar tudo para o alto e desistir, mas é só ter calma e paciência. Infelizmente, qualquer negócio na internet está sujeito a essas falhas. Lembre-se também de deixar seu antivírus atualizado, ok?

 

Não tem como fugir do Youtube

Já está inscrita no meu canal? É só procurar por Fik Dik Blog

Já está inscrita no meu canal? É só procurar por Fik Dik Blog

Todo mundo sempre me dizia para fazer um canal no Youtube, mas eu tinha trauma das minhas aulas de telejornalismo na faculdade. Rolava um pânico quando me via em frente a uma câmera e outro pânico maior ainda quando me via e ouvia a minha voz. Então, fui adiando a ideia. Mas a questão é essa mesma: não dá para querer ser blogueira de sucesso sem estar no Youtube. A Gi, minha amiga do Pra Lá dos 20 (outro presente maravilhoso que eu ganhei por meio do meu blog) me disse que percebeu que as pessoas atualmente não estão mais com tanto tempo para ler posts enormes e preferem vídeos, que são mais rápidos. E ela está certíssima! Abri meu canal em janeiro e o retorno é BEEEEM mais rápido. Quer abrir seu canal? Coloque na planilha financeira os gastos com tripé, cartão de memória e câmera fotográfica (se você não tiver). Fazer vídeos é viciante e editá-los, então, é mais gostoso ainda. Caso alguém queira saber, eu uso o programa VideoPad, que é superfácil de mexer.

 

Ache algo para se destacar

a5c495df3a60dbe0701163a89677a7d1

Desde que criei o blog, muita gente linda veio me parabenizar. Outro dia, uma ex-colega me escreveu dizendo que eu tinha servido de inspiração para ela se tornar blogueira também (fiquei até emocionada quando li). O que a maioria me diz? Que amam a forma como eu escrevo. De fato, eu gosto de escrever meus posts como se a gente estivesse conversando pessoalmente e sem rodeios ou termos técnicos. Tenho facilidade porque sou jornalista e sempre amei escrever, mas é um diferencial. E é isso que cada uma de vocês precisa encontrar: aquilo que as torna únicas. Como todas nós amamos os mesmos assuntos, você verá conteúdos iguais ao que posta e, por isso, precisa se destacar. Vale qualquer coisa: fotos diferenciadas, edições de vídeos bacanudas, linguagem engraçada…

 

O retorno é maravilhoso

e19e71e789b485f0d51a5b28047db5c0

Passar por tudo isso aí em cima é muito difícil e nos exige demais, mas tem algo muito bom nisso, que é o retorno. Enquanto a gente não ganha com o blog – e, acredite em mim, demora muito até chegar lá –, nossa felicidade é receber um elogio ou um feedback de gente que você nem imagina que lê seu blog. São esses detalhes que nos fazem superar as noites mal dormidas e todo o estresse. O que eu digo com toda certeza é que ser blogueira é difícil, mas MUITO gostoso. É por isso que espero comemorar muitos outros aniversários do Fik Dik!

 

E vocês, o que mais aprenderam com o blog?

 

Um beijo e MUITO OBRIGADADA pelo apoio nestes dois anos!