Posts em destaque

Diário dos 30: Definindo a playlist

 

Olá, pessoal! Contei no primeiro post da série Diário dos 30 que a ideia da festa surgiu quando estávamos escutando músicas antigas. Não sei vocês, mas eu sou muito movida à música, desde pequena. Escuto de tudo um pouco, amo ir a shows, amo ver clipes e por aí vai. Então, essa etapa da trilha sonora era MUITO importante.

Você pode tentar procurar no Google ou no Spotify por músicas dos anos 90/2000 para perceber que a gente teve uma mistura bem louca de fases nessa época. Tem a fase grunge do Nirvana, a fase do pagodão, a fase do axé malicioso, a fase do sertanejo mullet, A FASE DAS BOY BANDS (minha favorita né, vocês sabem), a fase das bandas de rock adolescente (pais dos emos) e por aí vai. Foi tanta coisa junta que é praticamente impossível achar uma playlist que reúna tudo isso.

Decidimos, então, montar a nossa própria playlist da festa. Começamos ouvindo algumas músicas clássicas desse período e gente, incrível como dá aquela sensação gostosa de nostalgia, né? Estamos com quase 30 anos, mas sabemos de cor a letra dessas músicas. Fora que a gente não sente que passou tanto tempo assim, muito doido isso!

backstreet_boys_35670

Reis dos anos 90/2000, também conhecidos como Backstreet Boys

Fico boba quando penso que muita gente que está lendo este post não viveu a magia dos anos 90, então preparei uma linha do tempo para contextualizar vocês sobre como foi crescer nessa época.

No início da década, a gente teve o movimento grunge que eu falei lá em cima, com muitas bandas de rock explodindo lá fora, enquanto aqui era o momento das bandas de rock nacional que faziam a linha dos protestos. Alguns anos depois, começou o momento do axé, do pagode e foi no meio desse caos todo que a música pop (nacional e internacional) ganhava espaço.

Pois é, amiga, foi no finzinho dos anos 90 que as boy bands explodiram (Backstreet Boys, ‘NSync, Westlife, Five, etc.) e algumas cantoras surgiram, como Britney Spears e Christina Aguilera. Aqui, muita gente pegou carona – que o digam Wanessa Camargo, Kelly Key, KLB e o grupo Rouge, que voltou com tudo (nem preciso dizer que estou AMANDO esse revival do início dos anos 2000).

A gente foi jogando todas essas músicas em um documento do Google, até que eu não aguentei e montei uma playlist com elas no Spotify. Óbvio que eu não vou postar o link aqui por enquanto porque quero fazer surpresa, mas posso falar? Está INCRÍVEL!

 

E vocês, o que mais gostavam de ouvir na infância e na adolescência?

Um beijo e até o próximo post!