Posts em destaque

Diário dos 30: Como foi a minha festa de 30 anos?

Olá, pessoal! Em janeiro deste ano, resolvi criar a série Diário dos 30, especial aqui no blog para compartilhar com vocês os preparativos para a minha festa de 30 anos. Na verdade, eu e a minha amiga Cláu tivemos a ideia de comemorarmos juntas nossos aniversários (eu faço aniversário no dia 31 de maio e a Cláu, no dia 12 de junho) com uma festa à fantasia temática anos 90/2000.

Contei para vocês que desde pequena eu sonhava em fazer uma festa à fantasia quando completasse 30 anos e queria que ela tivesse músicas da minha infância e adolescência. Tudo calhou para que isso desse certo e ficasse mais especial ao ser comemorado junto com uma amiga muito querida: meu aniversário caiu bem no dia do feriado de Corpus Christi e eu teria que comemorar no fim de semana seguinte, pertinho do niver da Cláu. Ah, nós temos muitos amigos em comum e, com mais gente, seria mais fácil convencer a galera de ir fantasiado.

Bom, foi praticamente 1 ano inteirinho de preparação e enfim nossa festa de 30 anos aconteceu no último sábado (09). Só de lembrar me dá vontade de chorar porque foi tudo ainda mais lindo do que eu imaginei: nossos convidados entraram super no clima, a pista de dança lotou, todo mundo elogiou o espaço e a comida.

A única coisa é que eu estava tão feliz, mas TÃO feliz que eu simplesmente esqueci de postar durante a festa no meu stories ou de gravar para o vlog de arrume-se comigo que eu preparei para o canal. Não parei de dançar um minuto (até tirei o sapato em alguns momentos), ri muito e me joguei mesmo, nem lembrei do celular. Vocês me perdoam, né?

Minha fantasia

Bom, eu fiz suspense da minha fantasia por todos esses meses, né? Chegou a hora de revelar (isso se você não me acompanha nas minhas redes sociais, lá eu já contei). Minha escolha foi a Cher Horowitz, protagonista do filme As Patricinhas de Beverly Hills. Quem teve a ideia foi minha amiga Tânia e fez todo o sentido porque eu AMO esse filme (um dos meus favoritos da infância) e eu realmente adoro a Cher. Fora que eu sou loira e tenho olhos claros, ou seja, mais fácil de (tentar) ficar parecida com a Alicia Silverstone.

Lições que a gente tirou

Bom, a primeira coisa que eu posso dizer é que é MUITO gostoso dividir seu aniversário com uma pessoa tão querida como aconteceu comigo ao ter a Cláu do meu lado. Alguém para se empolgar com você, planejar os detalhes, ajudar na decoração. A gente passou a manhã no salão enchendo bexiga e…APRENDEMOS A DAR NÓ EM BEXIGA, foi algo mágico! (sim, temos 30 anos e não sabíamos como fazer isso)

Realmente escolhemos o lugar certo. Conhecemos a Casa Caribe em outubro do ano passado, foi o primeiro espaço que visitamos e fechamos na mesma hora. Nesse tempo todo, a gente dizia para as pessoas que era um lugar pequeno e mais simples. Mas foi só chegar lá no sábado de manhã que uma olhou pra outra e disse: “eita, não é tão pequeno assim” ou “é bem maior do que eu lembrava”.

A gente ainda teve a sorte (ou coincidência) de ter bexigas pretas e douradas, que combinaram com a decoração em amarelo e preto do lugar (e do meu look, né? Cher sempre soube das coisas). Falando nisso, a mesa do bolo ficou espetacular, toda colorida e linda!

Não poderia faltar fotos nossas da infância

As músicas (uma das minhas maiores preocupações, confesso) deu certo, tocou um pouco de tudo e a galera se empolgou para valer. Eu fiz um vídeo com um compilado dos melhores programas dos anos 90/2000 e estava morrendo de medo de não dar para passar. Pois ele passou e todo mundo adorou. Deu muito trabalho baixar todos os vídeos e editar, então foi muito legal ver cada convidando assistindo e dando risada ou se lembrando dos programas.

Teve cada fantasia legal, gente! Todo mundo se empenhou para pensar em um personagem que estivesse dentro do tema. Sei que muita gente não curte muito esse lance de festa à fantasia, então eu já deixo aqui o nosso agradecimento para todos os convidados. E o anúncio dos vencedores das melhores fantasias foi um arraso. A gente não tinha ensaiado nada e saiu tudo perfeito. Foi lindo de verdade!

Nossos bolos (sim, foram dois) eram inspirados no biscoitinho Fofy, em forma de ursinho, que a gente amaaaaava

Obrigada especial para a Clara, que nos aguentou durante todos esses meses e nos ajudou muito para decorar o espaço, receber os bolos e deixar tudo pronto para que a nossa festa fosse incrível. Obrigada para a minha mãe que fez os brigadeiros, comprou forminhas especiais e nos deu de presente as lembrancinhas com os docinhos da época. Obrigada ao meu pai e à minha madrasta, que vieram de carro do Rio de Janeiro dois dias antes e fizeram com que eu pudesse ter um aniversário ao lado deles e da minha irmã (foi incrível ter ela aqui pertinho).

Minha irmã não estava linda de Punky, a Levada da Breca?

E, claro, obrigada à Cláu, que topou essa ideia louca e curtiu cada momento. Não vou me esquecer da hora em que ela me chamou no meio da festa e disse: “MIGA, OLHA ESSA PISTA LOTADA. QUE SUCESSO!”. Ok, também não vou me esquecer da nossa tentativa hilária de entrar em um Uber com oito bexigas enormes. Sério, é só lembrar dessa cena que eu rio sozinha.

Foi MARAVILHOSO. Um sonho que virou realidade e foi muito melhor do que eu imaginei. Se existe forma melhor de entrar na casa dos 30, eu não conheço. Obrigada a todos que fizeram parte! Vocês me deram um dos melhores dias da minha vida!

 

Um beijo e até o próximo post!

(Conforme o fotógrafo for mandando as fotos, eu atualizo o post, ok?)

Diário dos 30: Escolhendo a fantasia

Olá, pessoal! Vocês estão acompanhando os posts da série Diário dos 30? Se você não sabe do que eu estou falando, clique aqui para saber dos primeiros preparativos da festa que eu vou fazer com a minha amiga para comemorar os nossos 30 anos (dá para acreditar que é daqui dois meses? Passou voando).

Contei para vocês que nós decidimos, logo de cara, fazer uma festa à fantasia temática anos 90/2000. A Cláu e eu nos conhecemos durante a faculdade, que é conhecida por fazer uma festa à fantasia bombada no meio universitário. Fomos em muitas edições e sempre rolava um concurso das melhores fantasias de cada ano.

Vejam bem, vivemos isso por mais de cinco anos, então quando o assunto é festa à fantasia, a gente tem uma referência enorme, porque o pessoal levava a coisa a sério na faculdade. Então, decidimos fazer a mesma coisa: premiar as melhores fantasias, divididas nas seguintes categorias:

  1. a) Casal
  2. b) Grupo
  3. c) Mulher
  4. d) Homem

Esse foi o primeiro passo, mas a gente precisava definir as nossas fantasias. Óbvio que eu não vou contar para vocês qual vai ser (não vamos estragar a surpresa, né?), mas posso falar que quando me sugeriram, eu logo pensei: “é isso! ”. E ansiosa do jeito que eu sou, já estava com a fantasia na mão em novembro do ano passado – comprei ela prontinha, então fica a dica para vocês pensarem em qual será meu traje rs…

Bom, contei antes que esse período dos anos 90/2000 foi um momento muito louco em que várias coisas diferentes aconteceram ao mesmo tempo. Foi uma época em que podia tudo, principalmente na TV, então nosso acervo de sugestões de fantasias para os nossos convidados é beeeeeeem vasto (até acho estranho quando alguém diz: “NOSSA, ANOS 90? E AGORA, DO QUE EU VOU? ”. Como assim né, tem tanta coisa legal que dá para pensar).

Quem aí assistiu ao seriado Barrados no Baile?

Hoje eu vejo alguns vídeos antigos e percebo que a gente cresceu vendo muita coisa apelativa (pesquise por “prova da banheira” no Google para entender o que eu estou falando). Mas, ao mesmo tempo, foi interessante perceber como a gente – pelo menos eu – não via maldade naquilo.

Então, temos diversas sugestões de cantores e bandas muito doidas, casais de namorados bem bizarros (vocês sabiam, por exemplo, que o Luciano Huck já namorou a Ivete Sangalo?), participantes dos primeiros reality shows da televisão brasileira, personagens icônicos de novelas quando todo mundo ainda assistia, personagens de comerciais, boybands, personagens de filmes e muuuuuuito mais!

 

Esse processo de pensar nas fantasias também foi muito gostoso e nós estamos na expectativa de ver todo mundo com roupas bem criativas. Será?

Um beijo e até o próximo post!

Diário dos 30: Definindo a playlist

 

Olá, pessoal! Contei no primeiro post da série Diário dos 30 que a ideia da festa surgiu quando estávamos escutando músicas antigas. Não sei vocês, mas eu sou muito movida à música, desde pequena. Escuto de tudo um pouco, amo ir a shows, amo ver clipes e por aí vai. Então, essa etapa da trilha sonora era MUITO importante.

Você pode tentar procurar no Google ou no Spotify por músicas dos anos 90/2000 para perceber que a gente teve uma mistura bem louca de fases nessa época. Tem a fase grunge do Nirvana, a fase do pagodão, a fase do axé malicioso, a fase do sertanejo mullet, A FASE DAS BOY BANDS (minha favorita né, vocês sabem), a fase das bandas de rock adolescente (pais dos emos) e por aí vai. Foi tanta coisa junta que é praticamente impossível achar uma playlist que reúna tudo isso.

Decidimos, então, montar a nossa própria playlist da festa. Começamos ouvindo algumas músicas clássicas desse período e gente, incrível como dá aquela sensação gostosa de nostalgia, né? Estamos com quase 30 anos, mas sabemos de cor a letra dessas músicas. Fora que a gente não sente que passou tanto tempo assim, muito doido isso!

backstreet_boys_35670

Reis dos anos 90/2000, também conhecidos como Backstreet Boys

Fico boba quando penso que muita gente que está lendo este post não viveu a magia dos anos 90, então preparei uma linha do tempo para contextualizar vocês sobre como foi crescer nessa época.

No início da década, a gente teve o movimento grunge que eu falei lá em cima, com muitas bandas de rock explodindo lá fora, enquanto aqui era o momento das bandas de rock nacional que faziam a linha dos protestos. Alguns anos depois, começou o momento do axé, do pagode e foi no meio desse caos todo que a música pop (nacional e internacional) ganhava espaço.

Pois é, amiga, foi no finzinho dos anos 90 que as boy bands explodiram (Backstreet Boys, ‘NSync, Westlife, Five, etc.) e algumas cantoras surgiram, como Britney Spears e Christina Aguilera. Aqui, muita gente pegou carona – que o digam Wanessa Camargo, Kelly Key, KLB e o grupo Rouge, que voltou com tudo (nem preciso dizer que estou AMANDO esse revival do início dos anos 2000).

A gente foi jogando todas essas músicas em um documento do Google, até que eu não aguentei e montei uma playlist com elas no Spotify. Óbvio que eu não vou postar o link aqui por enquanto porque quero fazer surpresa, mas posso falar? Está INCRÍVEL!

 

E vocês, o que mais gostavam de ouvir na infância e na adolescência?

Um beijo e até o próximo post!