Posts em destaque

Eu li: Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre? | Sophie Kinsella

Olá, pessoal! Vocês sabem que eu adoro os livros da Sophie Kinsella, né? A escritora deu origem a ninguém mais, ninguém menos, que Becky Bloom, a minha personagem favorita do mundo dos livros. Por isso, é só ela lançar alguma obra nova que eu já corro para comprar.

Seu livro mais recente, Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre?, foi lançado aqui no Brasil no primeiro semestre. Aproveitei que ganhei um vale de uma livraria de presente do meu aniversário de 30 anos e troquei por esse livro. Acabou que demorou um pouquinho para chegar e, no meio disso tudo, eu fui viajar. Comecei a ler assim que voltei e agora chegou a hora de contar tudo para vocês.

História

O livro fala sobre Sylvie e Dan, que são casados há 10 anos e pais de duas gêmeas, Anna e Tessa. Eles formam o casal perfeito, daqueles em que um completa a frase do outro. Tudo vai muito bem, até que eles vão a uma consulta médica e escutam que estão tão saudáveis que vão viver mais 68 anos. E aí eles pensam: “quase 70 anos juntos?”.

Os dois começam a pirar e Sylvie decide criar um projeto, no qual os dois devem criar pequenas surpresas um para o outro. A ideia é legal, mas logo as coisas começam a dar errado e um segredo do passado, envolvendo Dan e a família de Sylvie, entra em cena.

O que eu achei?

Os livros da Sophie Kinsella são conhecidos por serem bem engraçados. Eu sempre choro de rir quando leio. E sim, o começo deste livro é hilário. Quando os dois começam com a história das surpresas, algumas cenas são tão divertidas que eu tive que me segurar para não rir alto. Só que aí entra nessa coisa do segredo do Dan e o livro muda completamente. De todos os livros da Sophie Kinsella que eu li, este é o mais sério.

Eu acho que a história se perde um pouco, sabe? No começo, entendi que era para ser um dilema de um casal que se ama e que não sabe se realmente se ama quando descobre ter mais 7 décadas de casamento. A relação entre os dois começa a esfriar do nada e eu achei que ficou uma coisa um pouquinho forçada, sabem?

Depois, quando enfim o segredo de Dan é revelado, a história fica ainda mais séria. Fez sentido e eu meio que já imaginava o que era (acho até que é bem óbvio, na minha visão), mas acho que ficou muito para o final do livro e a Sylvie aceitou tudo muito fácil. Quem já leu pode não concordar comigo, mas senti falta daquelas histórias divertidíssimas que só a Sophie Kinsella sabe fazer.

Vale a pena ler, principalmente se você já é casada há alguns anos e vive o dia a dia do casamento. Não é uma super história, mas pelo menos vai te deixar querendo saber o que vai acontecer nas próximas páginas.

 

Alguém já leu? O que achou?

Um beijo e até o próximo post!