Posts em destaque

Eu li: Três Semanas Com Meu Irmão – Nicholas Sparks

Olá, pessoal! Quem aí é fã do escritor Nicholas Sparks? Para quem não sabe, ele escreveu alguns dos livros de maior sucesso ao redor do mundo. Nesta lista, entram Diário de uma Paixão, Um Amor Para Recordar e Querido John. Houve uma época em que eu era fissurada nele e lia um livro atrás do outro. Mas acabei enjoando depois de um tempo (acaba que todas as histórias são parecidas) e eu acabei deixando o pobre do Nicholas um pouco de lado.

Neste ano, resolvi tirar alguns livros que estavam no fundo da minha prateleira para finalmente ler. Três Semanas Com Meu Irmão estava nesta pilha de livros que eu comprei há tempos, mas que ficaram no esquecimento. Comprei meu exemplar em 2015, mas enjoei das histórias do Nicholas Sparks pouco tempo depois. Resultado: me dava ranço só de pensar em pegar o livro.

Resolvi dar uma chance e enfim peguei o livro em fevereiro. Li mais rápido do que imaginava e, em poucas páginas, já estava envolvida de novo com o autor. Hora de contar tudo sobre ele para vocês!

Sinopse

Nicholas Sparks começa o livro dizendo que ele traz duas histórias ao mesmo tempo. A primeira é de uma viagem que ele fez ao lado do irmão mais velho, Micah. Ao longo de três semanas, os dois deram uma volta ao mundo. Já a segunda história é a do próprio Nicholas, que conta sobre a sua vida desde que nasceu até o momento da viagem.

Enquanto relembra momentos da infância e os lugares que visitou ao lado do irmão, Nicholas compartilha fotos da família. Nos primeiros capítulos, vemos que ele viveu em uma família de classe baixa e se divertiu com pouco. Micah foi seu melhor amigo e os dois amavam brincar na rua, algo que é quase impossível nos dias de hoje. Ele também relembra as aventuras nas férias, os perrengues na escola e as primeiras namoradas. Sem falar nos dramas comuns de quem é o filho do meio.

Quando fala sobre a viagem, ele descreve muito bem cada lugar. Em apenas três semanas, Nicholas conhece alguns dos destinos mais incríveis do mundo. Machu Picchu, Ilha de Páscoa, deserto de Ulurú e Taj Mahal são alguns dos paraísos citados. Claro que eles aproveitam esse momento para dar conselhos um ao outro. Enquanto o escritor precisa desacelerar e ficar mais com a família, Micah precisa se reconectar com seu lado espiritual.

Minha opinião

Bom, contei lá no começo do post que eu estava com muito ranço dos livros do Nicholas Sparks. O que posso dizer é que Três Semanas Com Meu Irmão é a obra mais diferente dele. Tem a parte turística e também tem a parte da autobiografia mesmo, coisas que você não encontra nos outros livros que ele escreveu.

Sobre a viagem, é incrível como ele nos transporta para aqueles lugares. Parece que estamos visitando os mesmos museus e os mesmos monumentos. E é louco pensar como tanta coisa mudou. Ele fez a viagem em 2002 e precisava de um sinal especial para conseguir falar com a família. Hoje, a gente usa sinal de Wi-Fi e fala pelas redes sociais instantaneamente.

Mas, sem dúvida, o que eu mais gostei foi de saber da vida dele. Os primeiros anos são até engraçados, mas quando ele se torna adulto, o livro fica PESADO real. Ele fala sobre várias tragédias pessoais (os fãs de verdade dele talvez até já saibam dela), mas é muito forte. Não é à toa que ele curte tanto fazer livros com finais tristes. E, por falar nisso, é muito bacana acompanhar como ele começou na carreira de escritor. Ele até cita alguns de seus primeiros livros.

Eu AMEI este livro. Foi um reencontro muito especial com o Nicholas Sparks e até me deu vontade de ler os dois livros dele que eu ainda não li. Essa mistura de dicas de viagem e lembranças do passado me agradou muito, gente! Recomendo para todo mundo, especialmente para quem gosta dos livros dele, mas é importante ficar com um lencinho por perto porque é muito triste e pesado.

 

E você, já leu este livro? Conta aqui nos comentários! 🙂

Um beijo e até o próximo post!