Posts em destaque

Dia do Trabalho |4 lições de filmes para usar no ambiente de trabalho

Olá, pessoal! Chegamos em… maio! Gente, sério, não foi ontem que o ano começou? Bom, mas maio é um mês muito especial para mim porque, claro, tem meu aniversário e um feriado bem no início. Pois é, em 1 de maio comemoramos o Dia do Trabalho. A data simboliza a luta do trabalhador por seus direitos e envolve muitas passeatas em diversos lugares do mundo.

Por aqui, reuni alguns filmes que mostram bem a realidade corporativa. Mais que isso, são histórias com lições que a gente pode levar para o nosso dia a dia no trabalho, seja ele qual for. Vamos conferir?

Relembre outras coisas boas que acontecem no mês de maio!

Respeite seus colegas, independentemente da idade deles (Um Senhor Estagiário)

A gente tende a achar que pessoas novas são inexperientes no ambiente de trabalho e que pessoas mais velhas são lentas e não entendem das coisas. Um baita preconceito, né? O filme Um Senhor Estagiário conta a história de um viúvo com 70 anos que consegue uma vaga de estagiário em um e-commerce de roupas. Ele vai trabalhar diretamente com a CEO da empresa, uma workaholic assumida. Ela não tem a menor paciência com ele, até que um dia resolve seguir seus conselhos e os negócios seguem em frente. Viu só, qualquer um tem boas ideias. Não julgue!

Seu chefe não pode tudo e você não precisa agradá-lo sempre (O Diabo Veste Prada)

Miranda Priestly, eternizada pela atriz Meryl Streep, caiu no gosto do público e sempre aparece nos memes. Só que a personagem, na verdade, nos mostra o que os chefes não devem fazer no trabalho. Mesmo que um funcionário não tenha muita experiência, ninguém (especialmente o chefe) pode humilhá-lo ou pedir que façam coisas para satisfazer vontades pessoais. Um chefe de verdade te respeita e te mostra os caminhos para mudar uma coisa ou outra e continuar crescendo.

Criar uma empresa é MUITO difícil (A Rede Social)

A gente tem vivido um momento bem interessante no mundo corporativo. Muita gente está cansada das longas jornadas de trabalho e decide ter um negócio próprio. Pois é, só que essa missão é tão (ou até mais) difícil do que ser funcionário. A gente nem imagina, mas o filme A Rede Social mostra a criação do Facebook. Mark Zuckerberg cria uma rede social para falar mal da ex-namorada e, de repente, se torna o mais jovem bilionário da história. Mesmo com o sucesso, ele precisa lidar com vários problemas e até com a justiça. Ou seja, só quem tem muito planejamento e visão de negócio consegue ir em frente com a própria empresa.

Confira alguns filmes para comemorar o Dia das Mães!

Saber trabalhar em equipe é fundamental (Vida de Inseto)

Vida de Inseto foi lançado em 1998, ou seja, há 20 anos e ainda continua sendo um dos filmes favoritos. E o mais engraçado de tudo é que eu só fui gostar mesmo depois que vi quando já era adulta (é mais um daqueles desenhos que não são para crianças). A história fala sobre uma comunidade de formigas, que trabalha arduamente na colheita de alimentos. Até que os gafanhotos chegam e elas precisam da ajuda de outros insetos para travar uma verdadeira batalha. No mundo do trabalho, o que tiramos de lição é cada pessoa da equipe é importante e saber trabalhar em conjunto é fundamental para o crescimento da empresa.

 

E você, lembra de outro filme que fala sobre o ambiente de trabalho?

Um beijo e até o próximo post!

Dia Internacional da Mulher | Filmes sobre empoderamento feminino que comprovam a força das mulheres

 

Olá, pessoal! Chega março e a gente logo lembra do Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março. Claro que nós sabemos (ou, pelo menos, deveríamos) que a mulher precisa ser lembrada todos os dias, já que a gente ainda vive em uma desigualdade enorme de gêneros, mas a questão aqui neste post não é esta rs…

Na verdade, o cinema vem mostrando ao longo dos anos o quanto as mulheres sofreram e ainda sofrem. Por isso, uma das maneiras de começar a entender um pouco mais sobre empoderamento feminino é vendo alguns desses filmes. Ah, é importante assistir com esse foco mesmo, de se colocar no lugar da mulher, para entender mais sobre essa nossa luta contínua e diária.

Confira aqui outra lista de filmes para comemorar o Dia Internacional da Mulher!

Preciosa – Uma História de Esperança

preciosa-cena-do-filme

Um dos destaques do Oscar de 2010, este filme continua muito atual. Isso porque conta a história de Preciosa, uma adolescente de 16 anos que vive no bairro do Harlem, em Nova York, e leva uma vida bem diferente da maioria das mulheres de sua idade. Vejam bem: ela é agredida de todos os jeitos pela própria mãe, abusada pelo pai e tem um filho com Síndrome de Down. Para piorar, ela é gorda, está grávida pela segunda vez e foi expulsa da escola. A situação só melhora quando ela vai para uma escola alternativa e encontra um jeito de fugir de sua realidade.

Lembro que o que mais me deixou chocada foi o tratamento recebido pela mãe, já que a relação entre filha e mãe costuma ser forte e sagrada. Daí a gente lembra que existem muitas mulheres que enfrentam essas situações todos os dias e começa a cair a ficha do quanto a mulher ainda sofre. O filme é incrível e, por sinal, a atriz Mo’Nique, que interpreta a mãe de Preciosa, saiu vitoriosa do Oscar como melhor atriz coadjuvante.

Moana – Um Mar de Aventuras

 

filme-moana-um-mar-de-aventuras

O filme da Disney estreou por aqui em janeiro de 2017 e causou o maior auê justamente por quebrar um padrão entre as famosas princesas da Disney. Eu cresci nos anos 90 acostumada a ver princesas esperando um príncipe ou lutando por causa dele, mas essa ideia não faz o menor sentido e não combina com as mulheres de hoje, certo?

Bom, Moana nem se define como princesa, para começar, e fica irritada quando a chamam assim. Ela sabe que tem seus deveres onde mora, mas resolve partir sozinha em busca de novas soluções para o seu povo. No meio do caminho, ela enfrenta diversas dificuldades, mas nada a faz desistir. Mulher guerreira, né mores?

Confira algumas dicas para cuidar de cabelos mistos!

Que Horas Ela Volta?

que-horas-ela-volta-filme

Contei aqui algumas vezes que eu não sou muito chegada em filmes nacionais. Na verdade, eu detesto aquelas comédias com atores que fazem sucesso no humor. Sou mais de filmes que fazem a gente pensar e nós temos ótimos representantes nacionais nesse quesito. Um deles é Que Horas Ela Volta?, um dos maiores sucessos no cinema brasileiro de 2015, e que retrata bem a realidade de muitas mulheres.

O filme conta a história de Val, uma pernambucana que se muda para São Paulo para trabalhar como babá de Fabinho e morar na casa dos patrões. Treze anos depois, ele vai prestar vestibular e ela recebe um telefonema de sua filha, que pede ajuda para ir a São Paulo para prestar a mesma prova. O problema é que a menina quebra vários protocolos da casa e a confusão começa a se instaurar. Vale MUITO a pena!

A Hora Mais Escura

filme-a-hora-mais-escura

Outro fato que nem todo mundo sabe sobre mim é que eu tenho uma raivinha da Jennifer Lawrence porque ela ganhou o Oscar de 2013 por um papel infinitamente inferior ao da Jessica Chastain. No mesmo ano, ela concorreu pelo filme A Hora Mais Escura, no qual interpretou Maya, uma agente da CIA responsável por participar das buscas para capturar Osama Bin Laden.

Por que coloquei este filme aqui? Bom, porque a CIA ainda é um ambiente bastante masculinizado e, ao longo da história, a gente percebe como Maya vai conquistando seu espaço como mulher e profissional, superando o machismo e a desconfiança. Fora que o filme prende com várias cenas de ação e a gente fica tenso querendo saber como tudo vai acabar. Vocês vão amar!

Histórias Cruzadas

filme-historias-cruzadas

Se hoje ainda é difícil ser mulher, imaginem como essa situação era no passado. Temos um retrato de parte disso no filme Histórias Cruzadas, que se passa no estado norte-americano do Mississipi nos anos 60. Naquela época, as mulheres negras só conseguiam trabalho como empregadas domésticas e ainda sofriam constantemente com o preconceito. Até que uma jornalista retorna à cidade e decide entrevistar essas mulheres para escrever um livro e denunciar esse absurdo.

Eu AMO esse filme e o elenco é maravilhoso, contando como atrizes como Emma Stone, Viola Davis e Jessica Chastain. Mas o ponto alto é a atriz Octavia Spencer, que venceu o Oscar de melhor atriz coadjuvante e faz uma cena IMPERDÍVEL (não vou contar para não estragar, é claro) que nos deixa indignados e contentes ao mesmo tempo.

 

E vocês, lembram de outro filme sobre empoderamento feminino?

Um beijo e até o próximo post!

Oscar 2018 | Meus palpites de vencedores do grande prêmio do cinema

Olá, pessoal! Quem me acompanha aqui no blog sabe que eu sou APAIXONADA pelo Oscar. Sempre corro feito doida nos primeiros meses do ano para tentar ver o máximo possível de filmes indicados para poder torcer e comentar com propriedade rs. A entrega do Oscar 2018 acontece no próximo domingo (04) e eu não consegui assistir a todos os filmes, mas vi uma boa leva.

Como sempre acontece, vou postar aqui os melhores e os piores looks da cerimônia, mas hoje queria falar sobre os meus palpites de vencedores do Oscar 2018. Para ser bem sincera, não teve nenhum filme que me deixou completamente apaixonada (como aconteceu no ano passado) e acho que os atores favoritos estão concorrendo sozinhos, mas vamos lá, vou falar mesmo assim!

Aproveite e relembre os looks que marcaram a entrega do Oscar do ano passado!

Melhor filme: Três Anúncios Para Um Crime

Foto: CinePOP

Sem dúvida, o melhor filme entre todos que eu vi que estão concorrendo na principal categoria do Oscar 2018. A história se concentra em uma mulher que teve sua filha brutalmente assassinada e resolve alugar três outdoors que ficam na entrada da cidade para chamar a atenção da polícia, que não encontrou o culpado do crime. O problema é que esse simples fato acaba mexendo com a vida de todos os moradores. Sei que lendo assim não parece um grande filme, mas é muito humano e prende do início ao fim. Estou na torcida por ele (mas queria muito que Eu, Tonya – outro filmão – estivesse entre os candidatos).

Melhor atriz: Frances McDormand – Três Anúncios Para Um Crime

Foto: A Tribuna

Favorita, levou todos os prêmios na categoria até agora e, verdade seja dita, ela merece mesmo. Segura o filme todo, chora, dá risada, faz a gente sentir o drama dela, entender tudo que ela faz, sentir a mesma raiva que ela sente e por aí vai. Sally Hawkings (A Forma da Água) e Margot Robbie (Eu, Tonya) estão maravilhosas em suas atuações e merecem um destaque aqui, mas a Frances tem que levar, não tem para mais ninguém nesta categoria do Oscar 2018.

Melhor ator: Gary Oldman – O Destino de uma Nação

Foto: CinePOP

Não assisti a esse filme, mas o Gary Oldman, assim como a Frances McDormand, ganhou tudo até agora e tem todas as chances de repetir o feito no Oscar 2018. Ele interpreta Winston Chruchill e, pelo que sei, o filme fala sobre as estratégias que a Inglaterra adotou para não ser derrotada pela Alemanha na Segunda Guerra Mundial. Junto com ele, concorrem Daniel Day-Lewis, por Trama Fantasma, e Daniel Kaluuya, por Corra!, mas também acho que o Gary Oldman concorre sozinho. Vocês já assistiram? O que acharam?

Relembre os melhores e os piores looks do Globo de Ouro 2018!

Melhor atriz coadjuvante: Allison Janney – Eu, Tonya

Foto: Gazeta Online

Todo ano temos aquele ator ou aquela atriz que arrebenta e que tem um trabalho elogiado por todos os críticos. No Oscar 2018, quem representa isso é Allison Janney, que interpreta a mãe da patinadora Tonya Harding no filme Eu, Tonya. Praticamente irreconhecível, ela maltrata a filha (fisicamente e mentalmente) e é parte do motivo que explica a tragédia que foi a vida da ex-atleta. Como falei lá em cima, eu AMEI esse filme e é baseado em uma história real, então o trabalho de interpretar uma pessoa que existe é ainda mais intenso. Torcendo MUITO para ela!

Melhor ator coadjuvante: Sam Rockwell – Três Anúncios Para Um Crime

Difícil pensar no filme Três Anúncios Para Um Crime e não lembrar da Frances McDormand, mas Sam Rockwell é responsável por fazer a gente rir em muitos momentos e é aquele personagem que dá uma quebrada na história, que é megapesada. Tudo bem, ele interpreta um policial racista e explosivo, faz coisas bizarras ao longo do filme, mas é justamente ele que tem momentos heroicos e uma redenção daquelas. Quando percebemos, já estamos torcendo por ele. Aliás, ele é o que mais merece entre todos os candidatos do Oscar 2018, concordam?

Melhor diretor: Guillermo del Toro – A Forma da Água

Foto: Super Cinema UP

A Forma da Água foi o filme recordista de indicações do Oscar 2018, com presença em 13 categorias. Eu estava looouca para assistir, até que vi e foi aquela coisa: minha expectativa estava alta demais e eu acabei não gostando. É muito bom tecnicamente, mas achei fraco em história, principalmente quando a gente compara com Três Anúncios Para Um Crime e Eu, Tonya. Agora, o enquadramento das cenas é perfeito, a trilha sonora é incrível, a fotografia é linda. Então, nada mais justo do que o diretor Guillermo del Toro vencer na categoria. Sou apaixonada pelo filme O Labirinto do Fauno e torço por ele desde então.

 

E aí, concordam com os meus palpites?

Um beijo e até o próximo post!

Os filmes mais aguardados de 2018

Olá, pessoal! Quem aí gostou de acompanhar todos os posts da retrospectiva de 2017 aqui no blog? Para fechar este especial com chave de ouro, é hora de olhar para a frente e pensar nos filmes que prometem fazer o maior sucesso em 2018. Sabe aqueles títulos que já são aguardados ansiosamente e que carregam bastante expectativa? Reuni os principais para você anotar na agenda e começar a se programar. Vem ver:

Jumanji: Bem-vindo à Selva

457f97fdf9fd31788461fbdc9b16434a

Quem aí lembra do filme Jumanji, em que um jogo de tabuleiro bem do mal ganha vida? Lançado em 1995, foi um dos meus filmes favoritos durante a infância, então vocês podem imaginar que eu estou bem curiosa para conferir este remake, né? Claro que, quase 20 anos depois, a sequência está um pouquinho diferente para ficar atual. Agora, quatro adolescentes jogam um videogame que se passam em uma floresta, mas acabam transportados para esse universo fictício. Tenho a impressão de que não vai ser tão legal quanto o primeiro, mas vamos aguardar.

Previsão de estreia: 4 de janeiro

Cinquenta Tons de Liberdade

download

Mais uma sequência, desta vez a conclusão da trilogia Cinquenta Tons de Cinza. Na última parte da história, Ana e Christian superaram todos os problemas e estão prontos para viver uma vida cheia de amor. Mas a vida ainda reserva alguns obstáculos para eles. Vou ser bem sincera, detesto essa história e acho muito chato. Li todos os livros na esperança de que em algum momento ficasse bom, mas este livro foi o que eu menos gostei. Espero que eles mudem no filme.

Previsão de estreia: 9 de fevereiro

Vingadores: Guerra Infinita

legiao_szGvSKkRL85pBjDAetNYHaoxXUwEPOdhqncW6V1fiJ.jpg

2018 vai ser mesmo o ano das sequências no cinema. Quem também vai chegar chegando é a série Vingadores, que apresenta agora uma nova formação de super-heróis. Eu não ligava muito para filmes de heróis, aí assisti o primeiro dos Vingadores e pirei, mas estou meio incerta com esses novos personagens. Será que vai dar a mesma liga?

Previsão de estreia: 26 de abril

Deadpool 2

deadpool-2

Olha aí mais uma continuação que promete lotar as salas de cinema. Lançado em 2016, a primeira parte de Deadpool foi um sucesso que rendeu até indicações ao Globo de Ouro, um dos maiores prêmios de Hollywood. Ainda não se sabe muito sobre a história desta sequência, mas o ator Ryan Reynolds deve voltar mais uma vez com o seu jeito irônico e ácido de criticar filmes do gênero.

Previsão de estreia: 31 de maio

Os Incríveis 2

096493

Vamos falar agora sobre uma das estreias do ano que EU mais quero ver! Lembro tão bem da estreia de Os Incríveis, parece que foi ontem, mas vejam só: faz TREZE anos que o filme foi lançado. E desde então, a gente fica no aguardo dessa prometida sequência. Bom, ela está chegando e mais uma vez vai trazer a família de super-heróis se metendo em uma confusão. Ah, eles também prometeram um destaque bem legal para a Edna Moda, a divertida estilista que cria o uniforme dos protagonistas – e uma das personagens coadjuvantes mais incríveis da Disney.

Previsão de estreia: 14 de junho

Jurassic World – O Reino Está Ameaçado

download (2)

Eu amava o primeiro filme da série Jurassic Park quando era criança e, ao mesmo tempo, morria de medo. Vi outros e achei bem fraquinhos, tanto que nem me empolguei para ver Jurassic World, lançado em 2015. Mas aí saí com uma amiga um dia, ela sugeriu de assistirmos no cinema e nós adoramos! Agora estou bem curiosa para ver como vai ser essa sequência. Por enquanto, não se sabe muita coisa, mas os principais nomes do elenco devem voltar. Quem mais está na expectativa?

Previsão de estreia: 21 de junho

Barbie

Barbie-Movie-Cast-Anne-Hathaway

Sim, amigas, nossa boneca favorita vai ganhar um filme. Tudo acontece quando uma das bonecas que vive no mundo das Barbies descobre que não se encaixa no padrão das outras moradoras e acaba expulsa de lá. É quando ela decide vir para o nosso mundo real em busca do tão sonhado padrão de beleza. Fofo, né? O mais legal de tudo é que a atriz Anne Hathaway – eternizada para mim como a princesa Mia, minha melhor amiga da adolescência – vai estar no elenco. Quero muito assistir!

Previsão de estreia: 19 de julho

Animais Fantásticos e Onde Habitam 2

fantasticbeats

O primeiro filme baseado no livro da J. K. Rowling, mesma autora de Harry Potter, foi um sucesso. Até mesmo eu, que não sou a maior das fãs dessa história (sim, é chocante, eu sei) acabei assistindo durante uma viagem de avião e achei legal. Agora, o protagonista Newt reencontra seus amigos e parte em uma mais uma aventura para combater o terrível Grindelwald. A boa notícia é que nós teremos a participação de Dumbledore em seus tempos de juventude.

Previsão de estreia: 15 de novembro

Detona Ralph 2

088579

O primeiro Detona Ralph estreou em 2013 e eu confesso que só fui ver porque a música-tema era do Owl City. Mas achei tudo tão lindinho que virou um dos meus filmes favoritos da Disney. Dá para imaginar, então, que eu estou bem animada para a segunda parte da história, né? Ainda não se sabe muito sobre esta nova aventura, mas todos os personagens dos games estarão presentes. Eu quero!

Previsão de estreia: 22 de novembro

Aladdin

will-smith-genie

Vejam só que maravilhoso: Aladdin, uma das melhores animações da Disney (está na lista das minhas favoritas de todos os tempos) vai ganhar uma versão live action só com atores reais em 2018. A história aparentemente será a mesma do desenho: um jovem descobre uma lâmpada mágica e pede a ajuda do Gênio para se transformar em príncipe e conquistar a princesa que ama. Motivos para ficar ainda mais feliz? A direção é de Guy Ritchie e teremos Will Smith no papel do Gênio. Quero muito!

Previsão de estreia: a definir

Mary Poppins Returns

mary-poppins-returns

Eu amo o filme da Mary Poppins desde criança e já perdi a conta de quantas vezes assisti. Estou doida para ver esta sequência desde que ela foi anunciada, há alguns anos. Sabe o que é mais legal? Agora a história se passa na época da Grande Depressão e a nossa linda Mary desce dos céus para ajudar Jane e Michael, que se tornaram adultos. Ah, gente, vai ser lindo ver como eles ficaram crescidinhos. E estou bem curiosa para ver a Emily Blunt no papel, já que a Mary da Julie Andrews, pelo menos para mim, é eterna.

Previsão de estreia: 25 de dezembro

 

E aí, gostou da lista? Qual filme você mais quer ver?

Um beijo e até o próximo post!

Os filmes que marcaram 2017

Olá, pessoal! Como vocês sabem, o blog está especial neste mês com vários posts de retrospectiva de 2017. Na lista das coisas que eu mais gosto de relembrar nesta época, estão os filmes que foram sucesso de bilheteria e de crítica. Antes de começar, é importante lembrar que esta seleção é feita com base em dois critérios: filmes que eu vi e gostei (que não necessariamente são os melhores do ano, mas que marcaram) e outros que, mesmo eu não gostando, agradaram a maioria do público. Dito isso, pegue sua pipoca e venha comigo conhecer os eleitos da vez.

Moana: Um Mar de Aventuras

 

Boneca-Moana

Logo no começo do ano, a Disney surpreendeu a todos a criar um filme protagonizado por uma mulher que foge dos estereótipos. Ela não é princesa (deixa claro que é filha do chefe), está longe de pensar em príncipe encantado e só quer seguir seus instintos para salvar seu povo. Ela é corajosa, destemida e não liga para qualquer comentário negativo que recebe. Para ser bem sincera, eu achei o filme um pouco chatinho e sem história, mas não dá para negar que foi um grande sucesso, ainda mais atualmente. Fora que a música How Far I’ll Go gruda de um jeito na cabeça que nunca mais sai – ah, ela foi indicada ao Oscar de melhor canção original.

La La Land: Cantando Estações

lalalanddestaque

Vamos resumir logo? O MELHOR FILME DO ANO E UM DOS MELHORES DA MINHA VIDA! Exageros à parte, foi um dos filmes mais lindos que eu já assisti e um dos que eu mais identifiquei. Sabe quando você encontra várias coisas que gosta? Nessa lista, incluo musical, história sobre sonhos, Los Angeles, Ryan Gosling, final perfeito. Pois é, gente, chorei feito criança da primeira vez que assisti, chorei mais um pouquinho da segunda e ganhei o DVD de presente de aniversário. É perfeito e eu nunca vou superar o fato de ter perdido o Oscar de melhor filme para Moonlight, que entra na lista dos piores filmes do ano (sério, gente, fui com toda a expectativa do ano, mas o filme é bem fraquinho).

Manchester À Beira Mar

391735

E quando tem aquele filme que você assiste achando que vai ser ruim e acaba totalmente surpreendida? Juro que entrei na sala do cinema com uma impressão bem diferente e, quando vi, já estava apegada na história. A gente se coloca no lugar do protagonista tantas vezes, pensa em tudo que ele passou e, mesmo assim, não consegue sentir a dor dele. É triste, mas mesmo assim, dá para rir em alguns momentos. E neste caso eu super entendi os Oscars de melhor roteiro original (merecidíssimo) e de melhor ator para o Casey Affleck. Claro que eu estava na torcida pelo Ryan Gosling, mas não tem nem como comparar. Também foi muito merecido!

Até O Último Homem

131341

O gênero de filmes de guerra talvez seja o que eu menos gosto. Costumo achar tudo igual e sempre fico com sono. Foi por isso que eu relutei para assistir Até O Último Homem, mesmo sabendo que tinha o Andrew Garfield no elenco e que todo mundo dizia que era muito bom. Só vi depois que entrou na Netflix e para saber se era melhor do que outro filme de guerra que eu vou contar logo mais. E olha, ainda bem que fiz isso porque realmente é LINDO e emociona demais quando lembramos que é uma história real. Para quem não sabe, fala sobre um homem que, mesmo na guerra contra o Japão, reafirmou sua missão de não pegar em armas e salvar o máximo possível de soldados. Maravilhoso!

A Bela e a Fera

landscape-1478512906-beauty-and-the-beast-movie

A versão live action da Disney mais aguardada de todos os tempos. A Bela e a Fera é uma das animações mais famosas da companhia norte-americana e a primeira produção do gênero ao concorrer ao Oscar de melhor filme. Foi justo então que esta versão em carne e osso da história fosse bem fiel ao desenho. A gente volta na infância, canta as músicas (algumas foram criadas exclusivamente para este filme) e torce pelos personagens mesmo já sabendo o final. Muita gente amou, mas eu estava com a expectativa tão lá em cima que acabei achando o filme ok, nada de muito “wow”.

Corra!

121083

Não sei vocês, mas eu cansei de ver no meu feed do Facebook o trailer do filme “Get Out”, que prometia revolucionar o gênero de terror ao mostrar o preconceito. Fiquei curiosa porque amo terror e queria saber se era mesmo tudo isso. A produção chegou por aqui com o nome “Corra” e eu fui no cinema logo na primeira semana em cartaz para conferir. É realmente incrível como eles mostram a forma como o preconceito é cruel, a partir do ponto de vista de um homem negro que viaja para conhecer a família da namorada branca. Sim, é bem assustador em muitos momentos. Mas sei lá, gente, achei o final tão besta. Começou maravilhosamente bem, mas aí segue por uma linha trash que eu não curti. De qualquer forma, é um daqueles casos que agradou à crítica e merece estar aqui.

Mulher Maravilha

mulher-maravilha-filme_1

Outro forte candidato ao título de melhor filme de 2017. Você pode até não gostar de filme de super-heróis, mas não dá para negar a força que este aqui trouxe para a história recente do cinema. Vamos começar pelo fato que ele se tornou o filme de origem (que mostra o surgimento de um herói) com a maior bilheteria do mundo. Depois, é importante lembrar do impacto que ele traz para a questão atual (e superimportante) do feminismo. É dirigido por uma mulher e protagonizado por outra mulher que é mais forte que qualquer homem em cena. Ah, não por acaso, terá uma sequência garantida para os próximos anos.

Okja

350223

Este filme ficou mais conhecido pela polêmica que gerou ao ser um dos primeiros da Netflix a concorrer à Palma de Ouro em Cannes. A história fala sobre a criação de uma nova espécie de super-porcos que deve ser criada em países diferentes por dez anos para então concorrer a um concurso que elegerá o melhor animal entre eles. Quando esse prazo chega, a jovem Mija decide proteger a super-porca Okja custe o que custar. Também gerou muito burburinho, especialmente nas redes sociais, e é um filme que faz a gente pensar. Vale a pena!

Dunkirk

maxresdefault

Lembram que falei lá em cima que filmes de guerra não me agradam? Pois bem, vi TODO MUNDO (todo mundo mesmo) falando que Dunkirk era o melhor filme de todos os tempos e, mesmo sendo de um gênero que eu não gosto, resolvi dar o braço a torcer e assistir. Também baseado em fatos reais, fala sobre o resgate de solados aliados da Bélgica, do Império Britânico e da França, que estão cercados pelo exército alemão. Os efeitos especiais realmente são muito bons e é bem diferente ver a mesma história contada de três formas diferentes, mas, de verdade, não vi nada de surpreendente neste filme. Para mim, está bem longe de ser o melhor de todos os tempos, mas arrisco o palpite de que pode ser um dos grandes concorrentes ao Oscar do ano que vem.

It – A Coisa

maxresdefault (1)

Ah como eu estava esperando por este filme, gente! Adoro a primeira versão, de 1990, e foi graças a ela que eu fiquei com medo de palhaço, acreditam? Bom, mal sabia eu que em 2017 veria um remake mais “terror”, com classificação para maiores de 18 anos e cenas pesadíssimas. Mas posso falar? É sensacional, um dos melhores filmes do gênero que eu vi. Não por acaso, se tornou a maior bilheteria de filmes de terror de todos os tempos. E a sequência já está confirmada para 2019. Quem vai ver com certeza?

Bingo: O Rei das Manhãs

427419

Quem já me acompanha aqui no blog há um tempo sabe que eu tenho verdadeiro pavor daquelas comédias que marcam o cinema nacional. Então, quando soube que iam fazer um filme do Bozo, achei que seria horrível e mais da série de filmes sem conteúdo. Até que todo mundo começou a me falar muito bem, a nota no IMDB só subia e eu resolvi dar uma chance. E realmente achei SENSACIONAL, prende a gente que é uma beleza. Fora que tem um enredo bem gostoso, principalmente para quem gosta dos bastidores da televisão e para quem viveu nos anos 80. Ah, não por acaso, foi a escolha deste ano para representar o Brasil como indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

Mãe!

jennifer-lawrence-em-mae-1504618181222_v2_900x506

Este aqui foi o filme mais polêmico do ano, que dividiu opiniões e rendeu até aqueles debates eternos no Facebook que ninguém aguenta mais. Teve gente que ODIOU e gente que AMOU, assim, em letras maiúsculas mesmo. Como vocês sabem, eu amo coisas assim e corri logo para saber de qual lado eu ficaria. Segui o conselho de uma amiga e estudei antes algumas mensagens do filme. Mas, no geral, eu AMEI. O filme é cheio de metáforas muito bem feitas sobre a criação do mundo do ponto de vista cristão. É forte, é pesado e deixa muitas dúvidas, exatamente do jeito que eu gosto.

Star Wars 8: Os Últimos Jedi

Star-Wars-Last-Jedi-Opening-Scene-Snoke-Vs

Aqui eu faço a mesma observação que fiz quando falei de Mulher Maravilha. Você pode não gostar de Star Wars, mas a série ganhou um novo fôlego depois do lançamento do episódio 7, há dois anos. Os novos filmes reconquistaram os fãs antigos, conquistaram novas pessoas e ajudaram a resgatar o mesmo clima da primeira trilogia. Eu não sou fanática, mas gosto de assistir aos filmes e adorei este episódio, que falou sobre o encontro de Rey com Luke Skywalker.

 

Gostaram das minhas escolhas?

Um beijo e até o próximo post!