Posts em destaque

As melhores montanhas-russas do mundo

Sempre que sobra um tempinho (o que tem sido bem difícil nos últimos dias), eu corro para o Youtube e procuro vídeos sobre montanhas-russas. Pois é, tenho um lado criança fortíssimo que se anima em questão de segundos quando aperto o play do vídeo. Acontece que, ao contrário de muita gente, eu faço parte daquele time de doidos que adora parques temáticos só por causa das atrações radicais. Não me importo nem um pouco em virar de cabeça para baixo. Aliás, quanto mais inversões o brinquedo tiver, melhor. É justamente por isso que eu tenho uma meta na vida de conhecer as melhores montanhas-russas do mundo. Enquanto isso não acontece, me contento em ver os vídeos. Quer saber quais são? Então vamos lá:

Kingda Ka

Kingda_Ka

Inaugurada em 2005, é a mais alta do mundo, com 140 metros de altura, o que equivale a um prédio de 40 andares. Esse “pequeno” fato já é responsável por causar o famoso frio na barriga, mas não para por aí. O trajeto começa com uma aceleração de zero a 206 km/h em aproximadamente três segundos, seguido por uma subida vertical. A descida também é vertical, só que cheia de torções (dá para sentir assistindo ao vídeo). Precisa de mais? Pois saiba que neste ano a montanha-russa ganhou torres que despencam em queda livre e que ficam acopladas nas estruturas dos trilhos. Medo? Só de ser atacada por pássaros – sim, isso aconteceu em 2012.

Onde fica: Six Flags Great Adventure, em New Jersey – Estados Unidos

Takabisha

Takabisha-roller-coaster

Apesar de ter sido inaugurada em 2011, foi uma descoberta recente na minha vida. Nos primeiros dias deste ano, quis mostrar para minha irmã as montanhas-russas mais legais do mundo. Acabei vendo o vídeo da Takabisha por acaso e me surpreendi. Até então, encarar uma subida ou uma descida em 90 graus era o máximo possível quando o assunto era adrenalina. Até descobrir que essa boniteza faz o carrinho despencar em 121 graus, o que rendeu o título de montanha-russa mais íngreme de todos os tempos. E olha que bacana: o trajeto de dois segundos (que você pode acompanhar clicando aqui) tem vista para o Monte Fuji.

Onde fica: Fuji-Q Highland, em Fujiyoshida – Japão 

Sheikra

SAMSUNG DIGIMAX A503

De todas as que eu já fui, essa com certeza é a melhor. Na época da inauguração, em 2005, não tinha nada parecido. Só fui realizar o sonho de conhecê-la mais de perto em 2008. Antes disso, eu ficava horas e horas assistindo a um vídeo em que tocava Call n’ Return, do Hellogoodbye (esse foi um dos motivos pelos quais eu amava essa banda). E o melhor de tudo: fui sozinha, porque ninguém mais teve coragem. Amei e voltei mais duas vezes. E olha, até hoje me dá medinho, principalmente quando o carrinho para lá no alto, prestes a descer, e te segura por três segundos. Gostou? Então veja essa belezura em ação.

Onde fica: Busch Gardens Africa, em Tampa – Estados Unidos

Revenge of the Mummy

ROTM_3

Eu gosto muito de montanhas-russas temáticas, principalmente se forem inspiradas em filmes ou desenhos. A Múmia era meu filme de aventura favorito na pré-adolescência. Talvez seja por isso que eu fiquei empolgada quando soube que iria andar na montanha-russa feita em homenagem ao longa. Mas confesso que também senti um leve pânico porque eles prometiam sustos e algumas interações. Quer saber? Tem tudo isso mesmo. Tem escaravelhos, múmias enfurecidas, salas com tesouros e muitos gritos. Mas é justamente isso que faz com que ela seja tão divertida. Para terem uma ideia, eu saí da primeira volta e entrei na fila de novo (sim, é impossível andar nela apenas uma vez). Ficou curioso? Dá para ver um pouco aqui.

Onde fica: Universal Studios, em Orlando – Estados Unidos

Está vendo o círculo rosa? Sou eu em um momento de extrema felicidade na Kumba, montanha-russa do Busch Gardens

Está vendo o círculo rosa? Sou eu em um momento de extrema felicidade na Kumba, montanha-russa do Busch Gardens

Gostou da minha lista? Se tiver alguma sugestão de montanha-russa, deixe nos comentários. Vou adorar saber mais sobre ela 😉

Beauty Fair: loucura que vale (muito) a pena

Sem título

Hoje em dia, principalmente aqui em São Paulo, existe feira para tudo. Desde o mercado pet até produtos para banheiros, passando por motos, livros e construção civil. Eu já estive em vários eventos, mas morria de vontade de conhecer a Beauty Fair, a maior feira de beleza das Américas. Ao mesmo tempo, tinha preguiça de encarar a multidão de visitantes. Finalmente, decidi vencer o cansaço e encarar a edição deste ano, que começou no último sábado e termina amanhã. O que achei? Sim, tem muita gente. Sim, é praticamente uma saída de show por causa do empurra empurra. Mas também é incrível para quem é apaixonada por qualquer coisa que envolva o mercado da beleza – ou seja, nós!

O tamanho da feira realmente impressiona. São 82 mil metros quadrados e 500 expositores. Eu sou rata de feira e já cobri muito evento desse tipo como jornalista, mas olha… Nunca na vida tinha visto algo assim. Mesmo chegando bem cedo (começa às 10h), é impossível conhecer tudo em apenas um dia. Meu conselho para quem tem disponibilidade é ir em pelo menos dois dias. Vale super a pena. Te explico o porquê.

Esse é o "pequeno" mapa da feira. Os estandes circulados são aqueles que eu pretendia visitar. Obviamente não deu certo!

Esse é o “pequeno” mapa da feira. Os estandes circulados são aqueles que eu pretendia visitar. Obviamente não deu certo!

A megaestrutura é dividida em sete espaços: profissional, varejo profissional, estética, internacional, negócios, profissional negócios e nails. Apesar de ser mais voltada para os profissionais de beleza, a maioria é formada por consumidores. Por isso, a dica é começar pela área profissional (a vermelha da foto). É lá que fica concentrada a maior parte do público. Isso porque os estandes são bem conhecidos e aproveitam a feira para divulgar produtos que prometem efeitos incríveis aos cabelos. Xampus, máscaras e outros tipos de tratamento dividem espaço com secadores e chapinhas.

É nesse espaço que fica a Ikesaki, Para quem não conhece, é uma loja que vende tudo, absolutamente tudo, de beleza. A empresa possui vários estandes na feira, mas o maior funciona como supermercado. Sério, tem até carrinho para fazer as compras. Parece bom, né? Só que a fila é assustadora. No dia em que eu fui deviam ter mais de 50 pessoas esperando. Ou seja, se você é de São Paulo, tenha paciência e compre nas lojas físicas que o transtorno será bem menor.

Em 2014, a Beauty Fair comemora dez anos e espera receber 145 mil visitantes por dia (Foto: Make a Little Make)

Em 2014, a Beauty Fair comemora dez anos e espera receber 145 mil visitantes por dia (Foto: Make a Little Make)

Depois dessa loucura, vale a pena passear pelo setor de unhas e maquiagem. A Fenzza, por exemplo, levou uma coleção de make da Barbie que me deixou de queixo caído. Além das embalagens serem fofíssimas, tinha uma palheta gigantesca de sombra com mais de cem opções de cores. Dá vontade de comprar tudo, mas já adianto: como tem muita gente que visita a feira porque trabalha com beleza, as coisas não são baratas. Aí depende do quanto você pretende gastar.

A Beauty também é conhecida pela quantidade de artistas que leva. O tempo todo você escuta os gritos histéricos da mulherada. E não dá para fugir muito, porque as atrações duram todos os dias. Vale mesmo pela diversão. Eu já quero voltar. Quem vem comigo?

Magia ao Luar: o novo filme de Woody Allen

e

Não sei bem quando começou o meu amor pelos filmes do Woody Allen. Lembro de uma vez (em 2006 ou 2007) ter alugado o dvd de Scoop enquanto passava as férias de final do ano no Rio com uma amiga. Nós amamos e, desde então, temos como meta de vida assistir a todos – todos mesmo – os filmes dele. Temos uma coleção gigante com grande parte da obra do diretor e já vimos muita coisa, mas ainda faltam muitos…

Eu também faço questão de ver todos os novos, logo na semana de estreia. E não foi diferente com Magia ao Luar, que entrou em cartaz no dia 28 de agosto. Vi no último domingo cheia de expectativa, mas saí com a sensação de que eu já tinha visto aquilo. Não me entendam mal, o filme é superfofo, tem um enredo bonitinho, mas não me surpreendeu. Em cinco minutos eu já sabia tudo o que ia acontecer.

globo-6g9w8folxlk13kcqso21originaljpg

O filme se passa em Paris nos anos 20. Só isso basta para te fazer sair de casa e encarar a sessão lotada. A paisagem inspiradora da região conhecida como Côte d’Azul é um dos pontos altos do filme. Parece que o local é realmente mágico – desculpem-me pelo trocadilho – e que fica ainda mais bonito com um figurino que deixa qualquer fashionista de queixo caído. Vestidos em tons clarinhos, chapéus delicados e paetês ajudam a contar a trama.

Logo no início da história, o mágico Stanley (vivido por Colin Firth, nosso eterno Mark Darcy) é chamado por um amigo para desmascarar uma vidente  que está hospedada na casa de uma rica família francesa. Convencido de que irá provar que a garota é uma farsa, ele começa a observar o comportamento da jovem, mas acaba se surpreendendo ao descobrir que as previsões dela estão corretas.

magia4

Basicamente é isso. O que percebi é que os filmes do Woody Allen realmente se concentram nas mulheres. Elas sempre são poderosas, misteriosas e capazes de deixar qualquer homem nervoso. Diane Keaton, Mira Sorvino, Mia Farrow, Penelope Cruz, Scarlet Johansson e, mais recentemente, Cate Blanchett são algumas das musas do diretor. Em Magia ao Luar, é a vez de Emma Stone provar a teoria. Não sou muito fã dela, mas preciso admitir que ela mandou bem. Todos nós acabamos nos envolvendo com a personagem de alguma forma.

Mas, o que eu mais senti falta no filme foi da ironia e do toque de comédia que sempre me cativam nos filmes dele. Sabe, não tem aquele momento em que você cai na risada ou aquela situação que parece louca demais para ser verdade. É correto, mas me lembrou muito Meia-Noite em Paris. Quando as luzes da sala se acenderam e as pessoas começaram a se levantar, o que eu mais escutava era: “ah, é fofo, né? Vamos chegar em casa e ver um filme antigo dele?”. E foi exatamente o que eu fiz. Assisti Poderosa Afrodite (amei, por sinal) e cheguei a uma conclusão: o que realmente faz falta é o próprio Woody Allen. Quando ele resolve atuar, é uma diversão sem fim.

magia-ao-luar-woody-allen-4

No fim das contas, valeu ter assistido. E superindico para quem gosta de um bom filme água com açúcar e para quem, assim como eu, também morre de amores pelo Woody. Já estou no aguardo do próximo!

Dois produtos incrivelmente bons para quem sofre de olheiras

Sei que é feio, mas preciso confessar: eu nunca liguei muito para esse lance de cuidar da pele. Usava meu protetor solar facial por causa de uma história cabulosa que uma médica uma vez me contou – dessas que eles realmente dizem só para nos impressionar – e fim. No ano passado, fiz 25 anos e decidi que era hora de comprar um creme anti-idade. Afinal, se existem produtos próprios para essa faixa etária é porque eles ajudam a cuidar do rosto, né?

Desde então, percebi que eu fiquei mais exigente em relação ao que vejo quando me olho no espelho. Tenho algumas rugas – principalmente quando dou risada – e minhas olheiras ficaram mais profundas. Herança de mãe e de pai, era praticamente impossível eu me ver livre das manchas embaixo dos olhos. E ô defeitinho terrível esse. Não tem filtro do Instagram que resolva o problema. Só mesmo muita maquiagem e produtos redutores.

Joguei uma luz forte para dar uma disfarçada, mas dá para ver que eu sofro de vermelhidões e big olheiras!

Joguei uma luz forte para dar uma disfarçada, mas dá para ver que eu sofro de vermelhidões e big olheiras!

Aí entra a razão deste post. Recentemente descobri duas maravilhas que melhoram a aparência. O Glam Glow, da Sephora, é uma delas. Revolucionária, a máscara de argila promete te deixar com a pele das celebs de Hollywood por até três dias. Entre os benefícios, reduz as olheiras. Assim que o potinho chegou ao meu alcance, já comecei a me embelezar.

Para ter a pele de porcelana tão sonhada, você precisa espalhar o produto em todo o rosto. Sim, é argila, então a textura não é das melhores. Logo depois de aplicar, a pele começa a formigar. Não se preocupe, o objetivo é esse. Quando ficar insuportável (ou seja, em três minutos), é hora de lavar e retirar a consistência da cara. Nesse momento, você vai sentir os efeitos esfoliantes e perceber que a pele realmente está mais bonita e, principalmente, mais macia.

Embalagem fofinha, rosa e cheia de glamour. Assim que eu gosto!

Embalagem fofinha, rosa e cheia de glamour. Assim que eu gosto!

O resultado? Gostei bastante! Único ponto negativo: é caro. Mas vale tanto! É praticamente um investimento de tão bom que é e serve para aquelas festas de última hora em que você se desespera por estar com uma aparência cansada. Ficou com vontade de experimentar? No site da Sephora Brasil tem (claro que você também pode encomendar para aquela amiga que vai viajar em breve). Esse tutorial explica como é fácil usar. Dá só uma olhada:

Outro produto que mudou minha vida é o Bepantol Creme. Já contei aqui que o Bepantol é ótimo para cicatrizar tatuagens e para hidratar o cabelo. Tinha lido que ele também era bom para amenizar olheiras, mas só tinha tentado com a pomada clássica. Elas até melhoravam, mas acho que o resultado era mais psicológico do que físico. Só porque  gosto muito do Bepantol, tinha certeza de que ele estava deixando meu rosto mais bonito. Mas não sei se era verdade…

image

O fato é que as farmácias agora contam com uma versão mais compacta do Bepantol Derma, linha voltada para cuidados com a pele. Mais suave do que o bastão em creme, a pomada pode ser usada em qualquer região do rosto. Testei e aprovei. No dia seguinte, as manchas já estavam melhores. Mamãe também usou e gostou muito. Sinal de que outras mulheres que sofrem da síndrome urso panda também podem se dar bem com o produto. Aproveitem!

Quimono: o must-have da primavera

357580bdf3e34983859df4e9ce482c16

Agosto está finalmente indo embora (ô mês mais demorado) e setembro já está aí. O que isso significa? Que os dias cinzas vão dão lugar a uma temperatura mais agradável (assim esperamos) e os dias prometem ser mais floridos. Na moda, representa a troca de estação. A primavera começa no dia 22 e as lojas já estão preparadas para oferecer tudo que será tendência nos próximos meses. Se você fica de olho nas peças-chave de cada temporada, já sabe que o quimono – ou kimono – será um item obrigatório para fazer bonito no calor. Quer aprender como usar? É pra já!

Parte da cultura japonesa, o quimono original é aquela espécie de robe utilizado por homens e mulheres. Normalmente, é feito de seda com estampas orientais e vai até o chão. O quimono moderno, utilizado pelas fashionistas, é mais curtinho e fica na altura dos quadris. A peça é perfeita para os finais de semana, seja naquele almocinho delícia ou em um passeio ao ar livre. No trabalho? Também pode, mas é importante seguir algumas regras para não chamar atenção.

IMG_0819

O primeiro passo é escolher uma blusa mais sequinha e neutra para combinar com o quimono. T-shirts brancas e pretas são ótimas pedidas e caem superbem com qualquer tipo de estampa. Nos dias livres, a produção fica uma graça com short jeans. Para não ter problema durante a semana, aposte na calça jeans. Finalize com uma sapatilha ou rasteirinha. Fica show! O maior erro é justamente o excesso de informação. O quimono precisa reinar sozinho, principalmente se for bastante estampado ou se tiver franjas (outro elemento que fará sucesso no verão). Por isso, nada de brincos enormes e colares compridos, combinado?

Versátil, a peça da vez combina com qualquer estilo. Isso porque tem estampas que passam do geométrico ao floral. Sempre atenta ao que é tendência no mundo da moda, a C&A lançou uma coleção com várias opções de quimonos. A Gabi Sales, do blog Rica de Marré, postou alguns no instagram dela. Dá uma olhada:

IMG_0823[1]

Eu também não sou boba e já corri para garantir o meu. Encontrei por acaso na C&A antes de ver o post da Gabi. Fui lá para garimpar a collection da Giuliana Romanno, mas acabei preferindo os itens da coleção C&A Ama Estampa (prometo falar dela depois) e aí achei um quimono lindo lindo com flores e muitas franjas, exatamente como eu queria. Paguei R$ 60 e usei hoje pela primeira vez. Vale muito a pena, viu? Dá vontade de usar sempre!

Sem título

Me senti tão poderosa com meu quimono! O segredo é combinar com peças mais neutras (como essa camiseta preta).

E aí, ficou com vontade de soltar seu lado gueixa? Então corra e garanta agora mesmo sua peça. São tantas opções que eu garanto: difícil é escolher apenas uma!