Posts em destaque

Os cinco figurinos mais marcantes do cinema

Eba, chegou o final de semana!  Mesmo em época de Copa do Mundo, vale a pena aproveitar o tempo livre para ver um filme. Se já está pensando em pensando em pegar o carro e enfrentar o auê para achar uma vaga no estacionamento do shopping, pode começar a se acalmar! Isso mesmo! A ideia é escolher um clássico (sim, aquele que você já viu um milhão de vezes) e assistir novamente, mas prestando atenção no figurino. Afinal, as peças usadas podem dizer muito sobre os longas. Quer ver só?

Grease

image (2)

Tem estilo mais fofo e bacana do que o dos anos 1960? Calças cigarrette, saias rodadas e de cintura alta, jaquetas colegiais, calças de couro… Pois é, dá para perceber a importância dessa década, já que nós usamos muitas das peças até hoje. E o figurino do filme, assinado por Albert Wolsky, é responsável por facilitar a compreensão do enredo. Isso porque a história se passa em uma escola, onde existe a turma de roqueiros e rebeldes que abusam do preto e das roupas coladas, e das mocinhas, que preferem cores delicadas em tons pastel. Essa diferença também é notável no casal principal, já que a protagonista é toda certinha, enquanto o galã segue uma linha mais ousada. Vamos combinar que essa é uma dupla mais queridas da telona, não é?

Titanic

image (3)

Ok, o filme pode não ser grande coisa, mas fez muito sucesso, vai? E, por mais que a Rose tenha sido egoísta por não dividir a maldita da porta com o Jack, ela tinha um closet invejável. É praticamente impossível escolher qual vestido é mais bonito – até aquele mais simples que ela usa na hora do naufrágio é bonito. Mas o mais famoso é o da cena do jantar de gala. Criação da figurinista Deborah L. Scott, a peça é bordô com camadas de chiffon bordado. É justamente nesse momento do filme que nós percebemos um dado histórico muito importante: a diferença entre as classes sociais. Enquanto a riqueza usava tecidos finos e ocupava a primeira classe do navio, os mais humildes tinham poucas peças de roupa e ficavam na parte mais zoneada (que, por sinal, é a mais legal!)

Cisne Negro

image (5)

Eu, particularmente, gosto muito desses filmes sombrios que mexem com o psicológico. Mas entendo que muita gente pode não entendido a pegada desse longa. Seja qual for a sua opinião, o importante é a transformação da protagonista (aliás, Natalie querida, você arrasou na atuação) e isso fica muito claro na última parte do filme. No início, Nina é uma jovem bailarina infantilizada pela mãe que sofre ao ganhar o papel principal do próximo baile da companhia em que trabalha. O problema é que, para se tornar o verdadeiro cisne negro, ela precisa ter mais poder, maturidade e sensualidade. Durante a apresentação, podemos perceber claramente a superação. Ela deixa a fantasia branca e delicada para aparecer com uma roupa preta linda e chique feita por Amy Westcott e que ficou ainda mais ousada com aquela maquiagem um pouco tenebrosa. O filme já tem três anos, mas ainda tem gente que escolhe essa produção para festas a fantasia. Superaprovado!

Noivo neurótico, noiva nervosa

image (4)

Você certamente já leu por aí que o estilo boyfriend está em alta. Se a ideia lhe agrada, mas você não tem em quem se inspirar, vale muito a pena conferir o guarda-roupa de Annie Hall, interpretada por Diane Keaton. Na época em que o filme foi feito, no final dos anos 1970, as mulheres não sabiam muito bem como mesclar peças masculinas com femininas. Até que vem a figurinista Ruth Morley para provar que nós podemos ficar lindas com coletes, calças mais largas e blazers sem cintura marcada. Tanto é que a própria Diane é adepta desse estilo até hoje. O longa é bem legal e fala dos dilemas de um relacionamento, que continuam os mesmos. Caiu tanto nas graças do público que venceu o Oscar de melhor filme em 1978.

O Mágico de Oz

image (1)

Quem nunca se apaixonou pelo vestido azul e branco da Dorothy e os famosos sapatinhos vermelhos? Pois é, o figurinista Adrian Greenburg  foi responsável por criar essa produção clássica que foi leiloada recentemente. Mas, além da mocinha, nós também somos surpreendidas pelo visual rosa bolo de Glinda, a bruxa boa. Sem falar nos queridos homem de lata, leão e espantalho – todos possuem roupas ricas em detalhes. A proposta era justamente essa. O filme, lançado em 1939, foi um dos primeiros a serem produzidos em cores e elas só aparecem quando embarcamos nesse mundo de fantasia (antes disso, Dorothy é mostrada em preto e branco na fazenda em que vive). Por isso, a ideia é impactar e abusar de tons quentes e alegres – vide a famosa estrada de tijolinhos amarelos. E aí, ficou com vontade rever? Eu também!

Diferenças entre os tipos de saia

Delicada e ultrafeminina, a saia é uma peça versátil que combina com todos os estilos e formatos de corpo. Porém, com tanta variedade de modelos, é comum ficar na dúvida na hora de escolher qual combina mais com você. Que tal conhecer mais cada tipo?

Evasê/Modelo “A”

Evasê

Por ser mais larga na parte inferior, é uma opção que cai muito bem em mulheres com bastante quadril. Também fica ótima em quem tem ombros largos, pois equilibra a silhueta. O único cuidado é a cintura mais justa, que pode marcar a barriga! Então, se estiver acima do peso, é melhor escolher uma peça mais larga com corte reto.

Mídi

Sem título

Sempre em alta, são aquelas saias que ficam na altura da panturrilha. A ideia da peça é trazer mais elegância ao look, então não é indicada para quem tem muito quadril e culote, já que pode deixar o visual carregado. Para as baixinhas, a dica é escolher uma produção monocromática para dar sensação de amplitude.

Lápis

Sem título

Sequinhas (sem pregas e volumes), ficam mais justas na cintura e devem ser usadas por cima de blusas e camisas. Esse formato pede um shape fininho e fica ótimo em mulheres com ombros largos. Se você vive na luta para eliminar as gordurinhas a mais ou tem quadril avantajado – o que acontece com a maioria das mulheres –, é melhor evitar, ok?

Envelope

Sem título

O diferencial é que ela é fixada no corpo por meio de botões ou fitas. Por isso, precisa ter o tamanho certo para o seu corpo, senão pode correr o risco de abrir ao longo do dia (já imaginou?). Mas olha que coisa boa: pode ser adaptada a qualquer estilo. As mais compridas, por exemplo, são superindicadas para as mais cheinhas, enquanto as baixinhas podem optar por modelos mais curtos.

Plissada

Sem título

Cheia de pregras, é delicada e combina com produções mais clássicas. O problema é que o excesso de volume pode aumentar o quadril. A solução é equilibrar com blusas mais soltinhas. É uma ótima opção para usar no trabalho e em eventos noturnos. Para fazer bonito, prefira tecidos mais nobres, como seda, chiffon e cetim.

Sino

b82755b60fd6f6dfa26fd3c1ae5ce7f1

Está fazendo maior sucesso por conta do visual jovem que carrega. As saias são mais curtinhas, com a barra aberta em babados na altura do quadril, por isso ficam melhores em mulheres mais magras. Quem tem coxas mais grossas pode investir em modelos mais próximos do joelho – fica tão lindo quanto, viu?

(Fotos: Pinterest)

A origem das bolsas Wayuu

Você pode até não saber o nome, mas com certeza já viu as bolsas coloridas e artesanais, típicas de países da América do Sul. Batizadas em homenagem a uma tribo localizada entre a Venezuela e a Colômbia, as Wayuu fizeram o maior sucesso no último verão e devem continuar em alta. Por isso, se você ainda não adquiriu a sua, ainda dá tempo! Mas, antes de escolher o modelo, que tal saber mais sobre a origem desse acessório?

image

Nessa tribo, as mulheres ocupam posições de destaque e aprendem, desde cedo, a tecelar (daí a riqueza de detalhes!). Engana-se quem pensa que, com o sucesso, as peças passaram a ser produzidas em massa. Muito pelo contrário! Cada bolsa é feita por uma única pessoa e pode levar até um mês para ficar pronta.

10424265_649483075138140_4598255321125594333_n

As cores fortes e os desenhos também são pensados com muito cuidado. Isso porque cada símbolo e tonalidade deve traduzir os princípios da tribo. Em algumas bolsas é possível ver figuras geométricas, estrelas, plantas… Ou seja, tudo que é considerado importante para os membros da comunidade. Outras peças são mais abstratas, mas também representam a forma de pensar e se vestir dos Wayuu. Quanto mais detalhe tiver, mais valiosa!

10488128_649483215138126_7891191796432248355_n

Por toda essa história, não é de se espantar os preços elevados. Mas pense pelo lado bom: parte do valor é revertida para as tribos. Viu só? Além de ficar na moda, você ajuda a fazer com que esse estilo de vida seja mantido.

10505343_649483078471473_4803438958122454165_n

______________________________________________

Gostou das bolsas das fotos? Elas estão à venda!

É isso mesmo! Todas as bolsas usadas para ilustrar esse post estão à venda e esperando um lugarzinho no seu closet. Interessados em adquirir as peças e ter mais informações podem mandar um e-mail para wayuu_original@yahoo.com.  Ah, são originais mesmo, viu? Trazidas com muito carinho lá da Colômbia! Eu já tenho a minha e você?

Farm + Adidas Parte 2

detalhe

Lançada em março deste ano, a coleção da Adidas, em parceria com a Farm, foi um verdadeiro sucesso. Se você garantiu as peças ou não conseguiu chegar a tempo, prepare-se para uma excelente notícia! Vem aí a segunda parte da coleção colaborativa (Oba!). Pois é, a proposta é a mesma: trazer itens esportivos com estampas pra lá de lindas, inspiradas na natureza do Brasil. Dá só uma olhada no que estará a venda a partir do próximo semestre:

adidasfarm2

making_of_adidas-foto-fernando_azevedo031

Serão mais casacos, jaquetas, calças, leggings e mochilas! Em um primeiro momento, serão lançadas duas estampas: índigo e arara (essas aí de cima). No final do ano, a Farm trará mais dois padrões. Ou seja, teremos opções para todos os gostos. Ainda não foi divulgada a data oficial de início das vendas, mas já dá para começar a economizar.

making_of_adidas-foto-fernando_azevedo039

making_of_adidas-foto-fernando_azevedo049

making_of_adidas-foto-fernando_azevedo059_1

O jeito agora é esperar e controlar a ansiedade. Confesso que já estou apaixonada por essa estampa arara. E vocês?

(Via Vogue – Fotos: Fernando Azevedo/Divulgação)

________________________________________

Fik Dik Blog no Instagram

Pois é, o blog completou dois meses de vida e, para comemorar, criei um perfil no insta só para ele. Além de falar dos posts, vou trazer mais notícias sobre o universo feminino. O novo endereço foi lançado ontem e já está um sucesso. Quer seguir também? Então entra lá: @fikdikblog

As cores do inverno 2014

O inverno começa oficialmente no próximo dia 21. Ou seja, ainda dá tempo de correr para garantir as peças que farão sucesso nesta temporada. Antes de ir às compras, é importante conhecer as cores escolhidas para representar a época mais fria do ano. Há anos marcado por tons sóbrios e neutros, a estação agora passa a dividir espaço com padrões mais abertos e alegres (Oba!). Vamos conhecer?

Burgundy

IMG_5708

O bordô aparece repaginado, com mistura do vinho, do marrom e do púrpura. Resultado: cor pra lá de elegante que deixa os looks mais chiques. Batizado de burgundy em homenagem à região de Borgonha, na França, o tom aparece em calças, camisetas, calças, casacos, bolsas, sapatos e até mesmo na maquiagem. Mais uma boa notícia: cai superbem em qualquer estilo e tom de pele. Para combinar, use preto, branco ou cinza.

Verde-esmeralda

IMG_5713

O verde bombou no ano passado, mas continua em alta. Dá para entender o motivo do sucesso. É uma cor sofisticada e versátil – vai do trabalho ao casamento. Em loiras e morenas, garante um contraste perfeito com o tom de pele. A dica é equilibrar a produção com outro tom mais sóbrio para evitar o exagero. Já as ruivas e donas de olhos claros podem usar à vontade. Aliás, essa é a melhor opção para destacar cabelos e rostos delicados.

Azul-bic

IMG_5719

É o famoso azul-royal. Assim como as outras opções, fica ótimo em qualquer ocasião e funciona como um ponto de luz nos looks de inverno. Por isso, invista em combinações com preto, branco e cinza. Quer alegrar ainda mais o visual? Então opte por acessórios metalizados. Tome cuidado apenas com produções monocromáticas, pois o resultado pode ficar muito pesado, principalmente se usado durante o dia.

Mostarda

IMG_5725

Solução para quem faz cara feia para o amarelo, é uma versão mais queimada e próxima do bege. Atenção para não ficar apagada: equilibre com cores mais fortes, como preto, cinza, marrom e verde-escuro. Medo de arriscar? Então invista no look blusa mostarda + calça jeans. Fica lindo! Ah, também dá para levar mais charme com o uso de pedraria. O que isso significa? Que essa é a melhor opção de cor para usar com colares bem coloridos, caso do turquesa e do coral.