Posts em destaque

Produtos básicos para quem é escrava de secador e chapinha

Outro dia contei sobre a minha batalha diária para deixar meus cabelos bonitos. Como meus fios são muito fininhos, eles armam com facilidade. Então não consigo sair de casa sem antes passar pela dupla secador + chapinha. Aí entra outro problema: o ressecamento. Nós sabemos que esse ritual de beleza não é nada saudável, ainda mais quando os cabelos têm química. No meu caso, o cuidado deve ser redobrado, já que, além da tintura, tenho a progressiva. Como sei que não sou a única que gosta de ver os cabelos saudáveis, preparei uma listinha com os produtos que eu uso. Vamos lá:

Bepantol Derma: hidratação caseira com efeito de salão

b

Esse produto mudou minha vida, sério! Já conhecia o creme em bastão do Bepantol porque ele é o mais indicado para cicatrização de tatuagens. Como lá em casa todo mundo tem rabiscos na pele, nós já estamos acostumados a ver a pomada por perto. O que eu não sabia é que ela também pode ser usada nos cabelos. Existe uma versão líquida chamada Bepantol Derma que deixa os fios brilhantes e hidratados. E o melhor: é  superfácil de aplicar. Basta misturar algumas gotinhas  com a máscara de sua preferência. Eu uso uma linha da Seda Profissional exclusiva para cauterização, que evita a formação de pontas duplas (terror dos cabelos fininhos). Importante lembrar que o ritual deve ser feito a cada quinze dias. Em doses excessivas, o produto pode deixar os fios com uma aparência pesada, ok?

Modo de usar: depois de aplicar e retirar o xampu e o condicionador, passe a máscara com o Bepantol e deixe agir por três minutos. Após esse prazo, volte para o chuveiro e enxague até tirar todo o produto. Os cabelos realmente ficam mais fortes e crescem com uma aparência melhor. Essa técnica, inclusive, fez com que meus fios começassem a crescer mais rápido. Antes eles quase nunca passavam dos ombros.

Living Proof: primer antifrizz com função de protetor térmico

148225

Quem usa secador sabe que um dos maiores vilões do alisamento é o frizz. Eu já tinha tentado de tudo, até que me recomendaram o Living Proof. Comprei em uma loja da Sephora dos Estados Unidos e lembro que todas as vendedoras me falaram que ele era realmente mágico. Comprovei logo no primeiro uso. Além de reduzir os fiozinhos arrepiados, ele deixa os cabelos com volume e brilho. Eu também gostei da duração. Apenas para terem uma ideia, ainda estou usando o tubo que trouxe da viagem que fiz em 2013. Mas como ele realmente faz milagres, já tenho mais um fechadinho no meu armário para usar quando esse acabar.

Modo de usar: a aplicação deve ser feita com os fios úmidos. Passe uma toalha para retirar o excesso de água e coloque uma pequena quantidade do produto nos cabelos desembaraçados antes de ligar o secador. A boa notícia  é que ele vale para qualquer tipo de cabelo e não é exclusivo para os quimicamente tratados (Viva!!).

Óleo de Argan: brilho e força por mais tempo

organix_renewing_moroccan_oil_healing_dry_oil_4oz

Lembro que há quatro anos ninguém falava desse tal óleo. Mas foi só anunciarem os efeitos que ele trazia para todo mundo correr atrás de um frasco. Hoje existe uma quantidade enorme de marcas que vendem a fórmula, mas meus fios só se deram bem com a versão da Organix. Além do brilho e da proteção que ele oferece, eu também gosto muito do perfume, então uso para tirar aquele cheirinho de comida que as vezes fica nos cabelos. A regra de ouro é usar um pouco (bem pouquinho mesmo) do óleo para não terminar com os fios pesados. E nada de passar na raiz, pois pode dar a impressão de estar ensebado. Aplique sempre do comprimento para as pontas, combinado?

Modo de usar: depois de secar os fios para tirar a umidade, aplique o óleo e ligue novamente o secador para turbinar os efeitos. Essa versão é um pouco cara, mas vale muito a pena. Existem uns formatos pockets que cabem na bolsa e também funcionam!

Xampu Tickening (Bumble and Bumble): volume extra imediatamente

10303317-1330615555-404178

Uma das maiores frustrações de quem tem cabelo fino e alisado quimicamente é a falta de volume. Cheguei até a dormir de trança para ver se dava um jeito no visual, mas não adiantou. Eu me acostumei a ter os fios mais murchinhos. Até que conheci a linha Thickening, da Bumble and Bumble. A proposta dos produtos é justamente essa: deixar os cabelos lisos mais fartos. O problema é que eles não têm uma fórmula muito cremosa, então os fios ficam um pouco duros (é justamente por isso que muita gente não gosta da marca). Aí entra o segredo: combinar o xampu com um condicionador que deixe os cabelos mais suaves e macios. Dá supercerto!

Modo de usar: a aplicação é feita da mesma forma que acontece com os outros xampus. Passe em toda a extensão do cabelo e massageie bem antes de enxaguar. Importante lembrar que, por conta da textura pesada, o ideal é fazer esse ritual a cada quinze dias para deixar os fios “respirarem”.

Sérum Dove Reconstrução de Pontas Duplas: proteção por muito mais tempo

710737_Ampliada

Nós sabemos que é fundamental cortar os cabelos a cada dois ou três meses para ele crescer com saúde. Só que nem sempre a gente faz isso, não é? Pensando nas mulheres que morrem de medo de ir ao cabeleireiro (levanta a mão quem sofre desse mal), a Dove criou um reparador que promete eliminar as pontas duplas. Essa era a minha única salvação antes do Bepantol. Os fios realmente ficam mais saudáveis e brilhantes e o melhor de tudo é que apenas cinco gotinhas dão conta do recado, então ele dura bastante.

Modo de usar: aplique depois do secador e da chapinha. Apesar de sonharmos com o cabelo da Rapunzel, não tem milagre que faça o cabelo crescer. As pontinhas precisam, sim, ser cortadas a cada tanto.

 

Fotos: Lu Candeias, Oz Cosmetics, Hair Friday, Look Fantastic e Lojas Rede

[Resenha] MiraCurl: Testado e aprovado

MiraCurl_Babyliss_Pro_Nano_Titanium_-_Perfect_Curl_Starbeauty_Cosmeticos...

É praticamente impossível encontrar uma mulher que seja 100% feliz com os cabelos. Sou dessas. Nos meus primeiros anos de vida, meu cabelo era tão liso, mas tão liso, que minha mãe colocava uma fivela antes de me levar para a escola e ela se soltava dos fios já no elevador. Aí veio a adolescência e seus lindos hormônios transformaram meu liso perfeito em ondas à la Elba. Pois é! Naquela época, não tinha nada inovador, então não tinha outro jeito a não ser assumir a rebeldia. Aos 12 anos, ganhei uma chapinha que funcionava com um recipiente de água (é velha, mas naquele tempo ela era considerada a top das chapinhas) e eu alisava no domingo para fazer bonito na aula do dia seguinte e só lavava de novo na quarta à tarde – eu sei, era feio.

Para piorar as coisas, comecei a clarear o cabelo com 14 anos. Ou seja, brilho, maciez e leveza eram texturas que passavam longe daqui. A solução só apareceu quando eu me rendi à progressiva, em 2007. Então hoje eu consigo sair por aí com o cabelo liso novamente (claro que com muito secador e a minha chapinha deusa de laser que me acompanha há nove anos). Só que aí entra um outro problema: e na hora de cachear? Porque mulher nenhuma se dá por satisfeita e eu gosto de enrolar quando tenho alguma festa ou evento.

O bichinho tem tanta química que nada, nada mesmo, funcionava. Já tentei babyliss, grampo, rolinho, bobes e até escova rotatória (também conhecida como as dez parcelas mais inúteis da minha vida!). Como nada dava certo, eu tinha que ir até o cabeleireiro, gastar milhões e sair de lá à base de spray e laquê. Já tinha me acostumado a essa rotina quando comecei a ver as pessoas falando do MiraCurl, um aparelho inovador que diziam enrolar seu cabelo de verdade. Mas, claro, como nem tudo é perfeito, o produto mágico tinha um preço que não era nada gostoso – em média, um valor aproximado a mil reais.

image

Aquela vontadinha que vinha crescendo dentro de mim aflorou de vez quando meu padrasto foi viajar de férias para os Estados Unidos. Comecei a pesquisar para ver se achava algum genérico mais barato e encontrei algumas opções. Ele achou, comprou e disse que todo mundo (sério, todo mundo mesmo!) estava com um desses na mala durante a volta.

No primeiro teste, não consegui fazer um cachinho sequer. Aí corri para a internet e comecei a ver alguns tutoriais para então entender. Vi resultado logo na segunda tentativa e hoje ele virou meu melhor amigo e salvador de beleza. Já usei em três eventos, a última vez foi no sábado passado, e arrumei meu cabelo em (sim, isso mesmo) 10 minutos! Apenas para terem uma ideia, quando quero deixar liso, levo em média uns 40 minutos.

antedepois

Antes e depois em questão de minutos!

Como funciona:

– Coloque na tomada e espere esquentar. O meu aparelho é o Curl Secret, da Conair, e vem com um formato de tomada americana. Por isso, é bom ter um adaptador de tomada universal por perto.

– Selecione o formato do cacho (tem três níveis, do mais fechado ao mais largo) e a temperatura. Depois, é só esperar a luz que indica o funcionamento parar de piscar e ficar acesa. Leve em média uns cinco minutos.

– Separe uma mecha média do cabelo e coloque no aparelho. Não adianta colocar muito cabelo porque ele não vai funcionar.

– Aperte o botão e aguarde o sinal sonoro. Ele vai “sugar” os fios e fazer um barulho semelhante ao de um bipe. Quando o alerta for contínuo, é hora de soltar e voilà, se surpreender com o cachinho. Em média, ele emite de quatro a cinco sinais sonoros antes de ficar pronto.

– Vale lembrar que ele só funciona se o cabelo estiver seco e desembaraçado. Ao perceber um nó, ele apita e para de funcionar imediatamente. Então não tem o risco de ficar careca. (Viu, não precisa entrar em pânico ouvindo aquelas lendas de gente que usou e perdeu todo o cabelo)

Se você ainda não entendeu como usar, dá uma olhada nesse vídeo da Nina Secrets:

O aparelho que eu uso custou uns 100 dólares e olha, valeu cada moedinha. Existem alguns sites que vendem produtos importados, mas o melhor mesmo é economizar e comprar na própria Polishop, em alguma viagem ou ainda fazer como eu e pedir para alguém trazer de fora. Estou para dizer que essa é uma das melhores invenções femininas… Adorei!

 

Crédito das imagens: Star Beauty Cosméticos e Arquivo Pessoal

Franjas: como usar

Elas já foram sinônimo de corte de crianças, mas, de alguns anos para cá, brilham como um detalhe que faz toda a diferença no visual. Sim, estamos falando das franjas. Se antes elas apareciam apenas com a base reta, anote aí: hoje é possível usar de lado, assimétrica, desfiadas, curtas, longas… Ou seja, tem opções para todos os gostos! Com tantos estilos, é comum ficar na dúvida na hora de escolher. Mas, além de combinar com o seu estilo, é importante que o modelo valorize o seu rosto. Ficou confusa? Calma que eu te explico melhor:

Rosto redondo

Sem título

Inspire-se nas famosas acima e use a franja lateral. Mulheres mais delicadas podem usar a base reta, enquanto as mais ousadas preferem desfiar as pontas. Seja qual for a escolha, o objetivo deve ser alongar a face, combinado? Por isso, evite aquele franjão reto na altura das sobrancelhas, pois deixa o rosto mais pesado.

Rosto quadrado

Sem título

Franja longa sempre, ok? Tome cuidado com o volume, pois os excessos podem deixar a aparência marcada. Sendo assim, passe longe das opções curtinhas – aquelas que ficam no meio da testa. Aqui, a proposta é levar charme e leveza. Boa notícia: esse tipo de corte combina com todos os tipos de cabelo! Então, é só se jogar!

Rosto triangular

Sem título

A franja reta, que cobre a testa, é a mais indicada. Mas dá para fazer algumas alterações e desfiar as pontas. É preciso apenas tomar cuidado para não deixar o rosto muito pesado. Por isso, prefira modelos com comprimentos mais longos que não cubram os olhos. Esse tipo fica melhor em cabelos lisos. Caso opte e tenha fios ondulados, lembre-se de que o secador será seu melhor amigo.

Rosto oval

Sem título

Se esse é o seu tipo de rosto, pode comemorar! Afinal, permite usar e abusar da franja. Ela pode ter base reta, desfiada, comprida, lateral, dividida. O segredo é conversar bem com o seu cabeleireiro para ver qual opção será mais prática e demandará menos cuidado, já que em alguns casos costuma ficar armada.

Pronta para encarar a tesoura? Então mãos à obra!

Penteados práticos para o bad hair day

Seu cabelo tem vontade própria? Você acorda e se assusta ao ver sua imagem no espelho, sem saber como sair de casa em tal estado? Fique tranquila, você não está sozinha. Todas nós temos o chamado bad hair day. Como o próprio nome diz, em inglês, são aqueles dias em que o cabelo não está nem um pouco bom. A única opção que você encontra é voltar para cama ou se enfiar no chuveiro e chegar atrasada no trabalho depois de passar pelo secador e pela chapinha? Pois saiba que você não precisa de nada disso. Basta criar um penteado especial – mas sem perder o estilo, claro. Está sem ideias?  Então dê uma olhada:

Coque

Está mais em alta do que nunca. Afinal, é versátil e combina com as diversas atividades do dia a dia (vai bem tanto no trabalho quanto no jantar com as amigas depois do expediente). Se estiver com pressa, dá para fazer uma versão mais simples, apenas torcendo os fios. Para um efeito moderninho, prenda-os bem no alto da cabeça. Outra opção prática e já conhecida de todas nós é o famoso coque rosquinha. A forma mais fácil é fazer um rabo de cavalo e enrolar as mechas ao redor do suporte, finalizando com grampos. Fica uma graça! Quem está com tempo sobrando pode fazer algo mais elaborado, como o coque com tranças nas laterais.

image1

Tranças

Não tem jeito: a embutida ou de raiz é a preferida na hora de disfarçar o bad hair day. Parece complicado, mas é só separar três mechas do alto da cabeça, começar a trançar e adicionar mais fios em cada mecha conforme for descendo. Se você já é craque neste penteado, vale partir para a trança rabo de peixe. Basta fazer um rabo de cavalo baixo em uma das laterais e esconder o elástico com uma pequena mecha. A partir daí, separe duas partes mais finas e vá trançando para frente. Não consegue fazer nenhuma das opções? Então não tenha medo e vá de trança normal.

 image (1)

Rabo de cavalo

Nossa primeira opção na hora de disfarçar a sujeira do cabelo, não é mesmo? A boa notícia é que dá para modernizá-lo. O rabo do momento tem mais volume. Por isso, aproveite que os fios já estão bagunçados e dê uma desfiada antes de prender. Criar um topetinho na parte de cima também fica ótimo. A regra é a mesma: separe umas mechas do alto da cabeça e desfie atrás, sempre em direção ao couro cabeludo. Não se esqueça do spray para finalizar, ok? Se você tem medo de ousar, invista nas versões laterais ou no rabo baixo, que são clássicos. Outra forma de repaginar o penteado é apostar no efeito molhado. Ele é mais rente e tem pouco volume. Para deixar todos os fios no lugar, tenha em mãos um gel de qualidade.

image (2)

Lenços e headbands

Não é porque o cabelo está sujo que você precisa prendê-lo. Que tal apostar nos lenços e turbantes? Os acessórios estão em alta e combinam com qualquer tipo de cabelo. A dica é usá-los no alto da cabeça e esconder o nó com os próprios fios, na parte de baixo. Outra ideia é a boa e velha tiara, que volta repaginada com o nome de headbands. Os arcos agora aparecem com aplicações de pedras, flores, spikes e brilhos. Fica delicado e, ao mesmo tempo, muito elegante.

image (3)

Gostou? Então nada de desespero da próxima vez, combinado?

 Fotos: Pinterest